Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 09/03/2011

Água é tema de reflexão na Quaresma

O acesso à água na Terra Santa, na Nigéria, na Guatemala estarão no foco das reflexões das Sete Semanas para a Água, que começou na segunda-feira, 7, e se estenderá pelo tempo da Quaresma. O tema deste ano analisa “A água, os conflitos e a paz justa”.

“Escolhemos esse tema por causa da importância da água para comunidades e igrejas do mundo”, disse a coordenadora da Rede Ecumênica da Água (Reda), Maike Gorsboth. O tema leva ao exame dos vínculos entre o acesso à água, as lutas pela água e a construção de uma paz justa.

O tema geral será desdobrado em sete subtemas, um para cada semana: A mercantilização da água, mulheres água e violência, o conflito da água na Terra Santa, refugiados climáticos, petróleo e água na Nigéria, água para os sem-terra da Guatemala, terra e água.

O livro do Êxodo fornece as imagens para as reflexões sobre os conflitos relacionados com a água e o petróleo, preparadas pelo diretor do Instituto de Igreja e Sociedade do Conselho Cristão da Nigéria, reverendo Ezekiel Babatunde.
O pastor luterano José Pilar Álvarez meditou sobre a função da fé para as comunidades que defendem seus meios de subsistência, e o padre copta Afrayem Elorshalimy analisou o conflito da água na Terra Santa.

A Reda incentiva igrejas a celebrarem culto no Dia Mundial da Água, em 22 de março. A Rede é uma iniciativa de igrejas, organizações e movimentos que advogam a água como um direito humano e trabalha para promover o acesso à água por iniciativas comunitárias.

São vários os fatores que geram a crise, entre eles, o uso crescente e insustentável da água na agricultura e na indústria, desmatamento e erosão da terra, lixo, contaminação , crescimento populacional. A crise se agrava, contudo, pelos valores do sistema econômico, a diminuição do controle público-estatal sobre o abastecimento de água. A água é tratada como mercadoria, sujeita às condições de mercado.


Posts relacionados