Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Fátima do Sul

 Pr. José do Carmo da Silva

Artigo:

Sobre visibilidade evangélica e ação social em Fátima do Sul

Pr. José do Carmo da Silva

Jornal Fátima News

13 de agosto de 2009

Foto: Divulgação



Do dia 25 ao dia 29 do mês de maio do presente ano, para o "espanto" evangélico nacional, algumas igrejas protestantes, evangelicais e pentecostais clássicas, receberam destaque em horário nobre no Jornal Nacional, exibido pela Rede Globo de Televisão. Muitos cristãos, principalmente protestantes ao assistirem a série de programação, ficaram se perguntando o porquê de a "Venus de Prata", dedicar uma semana aos evangélicos em horário nobre? Penso que, uma das razões, fora os trabalhos sociais, que tais igrejas desenvolviam. O que chamou atenção também, é que, só as denominações históricas receberam destaque, novas denominações nacionais e que estão na mídia televisiva, principalmente as que possuem emissoras próprias não foram citadas.

Para muitas pessoas, a ação empregada a transformação social é o que confere credibilidade e relevância a determinadas igrejas. Alguns acreditam que, uma igreja que não se envolve com os problemas da cidade onde se faz presente, merece a crítica Marxista de ser: "ópio" para o povo, promovendo assim alienação social.

Nos últimos anos, o numero de cristãos evangélicos tem aumentado sistemática e notoriamente no Brasil e América - latina. Os "crentes", como alguns ainda costumam chamar a aqueles que professam a fé cristã nos seguimentos, protestante, evangelical, pentecostal e neopentecostal, estão adentrando todas as esferas da sociedade brasileira. A chamada, "Cultura Gospel", principalmente por meio da música, gera milhões, cria "ídolos", fãs clubes, e cada vez mais vai dando visibilidade aos evangélicos. Cantores e cantoras gospel têm sido homenageados/as até mesmo em programas seculares de TV, recebendo discos de diamante e tendo suas músicas executadas como tema de novelas. Outro termômetro que evidencia o crescimento do povo que se declara, "do Senhor", é a "marcha para Jesus", que embora junte milhares de pessoas, não recebe da Mídia, principalmente a televisiva o mesmo destaque de outros eventos tais como a "marcha do orgulho gay".

A pesquisadora e matemática, Eunice Stutz Zillner, coordenadora do Ministério de Apoio com Informação (Mai), tem acompanhado o franco crescimento do povo evangélico Brasileiro, e segundo suas pesquisas, o rebanho evangélico, atingirá a soma 49,8 milhões, 25,4% de um total de 196,5 milhões de brasileiros/as. Persistindo o atual processo de crescimento, o Brasil terá em 2020, 100 milhões de evangélicos

As igrejas que estão na Mídia televisiva, em grande parte de vertente neopentecostal, são as que mais crescem, superando em muito as chamadas Igrejas protestante históricas, tais como: Metodista do Brasil, Presbiterianas, Luteranas e Batistas. Porém, o que tem ocorrido em grande escala é o "transito religioso", caracterizado pela migração de membros das denominações históricas para as novas denominações.

Em Fátima do Sul, não sabemos o numero exato de cristãos seguidores da fé protestante. Infelizmente, ninguém ainda teve a idéia de contabilizar-nos, ou se teve, não tornou público os números. Porém, sabemos que existem em Fátima do Sul, cristãos das vertentes Protestantes: Reformada, evangelical, pentecostal clássica e neopentecostal. Algumas que aqui estão desde a formação da cidade, tais como a Assembléia de Deus Ministério Belém, Presbiteriana do Brasil e Igreja Metodista do Brasil. Apesar deste fato, penso que, assim como somos invisíveis nos números, infelizmente também o somos na presença concreta em meio à sociedade, e muitas vezes por nossa própria omissão.

Lamentavelmente, são pouquíssimos os cristãos evangélicos, que se envolvem com as questões sociais da cidade. Quando acontecem manifestações públicas, o numero que aparece e sempre reduzido, salvo quando é um evento "gospel".

Além do fato de ser um reduzido percentual da população, há outros motivos usados para tentar explicar a não presença evangélica. Quando indagados sobre a razão de pouco participarem de questões de relevo social, tais como a VIII Conferencia Municipal de Assistência Social ocorrida em Fátima do Sul, no ultimo dia 05 do 08, para tratar de questões de interesse público, alguns evangélicos respondem que, não receberam o ofício a tempo ou não estavam sabendo do evento. Existem também, aqueles grupos cristãos mais fechados, que quando convidados pelo poder público, deixam bem claro, que não se envolvem com tais questões sociais, alegando que deve existir separação entre, fé e política, religião e estado e etc.

Com todo o respeitando ao pensamento de cada um dos meus pares evangélicos, e ao exercício do direito de não se envolverem com estas questões sociais, gostaria de convidá-los a uma reflexão, na qual defendo uma maior presença evangélica nas questões sociais da cidade onde Deus nos levantou.

Em Mateus capítulo 5. Versículos 13 e 14. Jesus de Nazaré, dirigindo - se aos seus seguidores, chama-os de: "sal" e "Luz". Ao refletir sobre este texto, fico imaginando, como será maravilhoso, se estes milhões de evangélicos em nível de Brasil, e dentre eles, o desconhecido percentual em Fátima do Sul, passarem a agir, como os dois elementos citados por Jesus.

Vejamos as características principais destes elementos:

1 - O sal. O sal tem a propriedade de dar sabor e preservar. Quando Jesus diz, que somos o sal do mundo nos desafia a impedirmos a corrupção do mundo, preservando a vida. Por isso, que Ele orou: "Pai não vos peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal". Porém, o sal só pode salgar e preservar, se estiver em meio ao alimento, da mesma forma que o cristão só pode fazer a diferença se não viver alienado as questões que o cerca. Principalmente as questões sociais, que afeta a crentes e descrentes. Penso que cristãos verdadeiramente comprometidos com o Evangelho, a justiça e o direito, em meio à política podem impedir a corrupção.

2 - A luz. A Luz só faz diferença se estiver em meio às trevas. Para pouco, serve uma vela, ou uma lâmpada acesa em local aberto em pleno dia. A razão de termos sido iluminados pela graça é, se tornarmos luz, em forte oposição as trevas da corrupção moral, política, religiosa e social. A luz, trás as coisas a claridade, tornando evidente o que antes estava oculto. Disse Jesus: "Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que estas nos céus." Penso que, uma das maneiras, de provocarmos a glorificação de Deus, seja agindo diante da sociedade, trabalhando juntamente com os que buscam o bem estar social. Evangélico com caráter realmente transformado se envolve com a vida pública, trazendo luz, onde houver coisas ocultas.

Acredito que, nossa fé, muito mais do nos levar ao templo, nas reuniões semanais, deve nos levar ao engajamento na luta pela transformação e melhoria do meio em que vivemos, via participação dos eventos onde as igrejas evangélicas e outras entidades não governamentais têm espaço aberto e garantido por lei.

Concluindo, afirmo que, o povo evangélico nacional, tem que ser notado, não somente porque a "Marcha para Jesus" a qual ocorre anualmente nas grandes cidades do Brasil leva milhares de cristãos às ruas. Tampouco, o que deve despertar a atenção para nossa presença, não deve ser a aquisição de emissoras de rádio e televisão, muito menos a construção de mega catedrais, ou templos suntuosos que enaltecem mais o ego humano do que glorificam a Deus. Estas coisas, não são "pecados" em si mesmos, quando feitas visando à implantação do Reino de Deus e o bem do próximo, mas o que, deve fazer com que sejamos notados e Deus glorificado, são nossas boas obras, frutos de uma fé cristã equilibrada, que acredita no celeste porvir, mas que se soma a todos quantos trabalham socialmente por um aqui e agora terrestre mais digno, humano e justo.

Que Deus desperte em nós a consciência cidadã, fazendo com que somemos ações as nossas orações, amor concreto e objetivo a nosso louvor muitas vezes abstrato e subjetivo. Que tocados pela graça, busquemos construir a "civilização do amor", pautados numa fé cristã compromissada com a transformação, não só do individuo, mas também do meio onde ele está inserido.

Pr. José do Carmo da Silva.

Igreja Metodista do Brasil. Rua Marechal Candido Rondon - 799. Centro. Fone - 3467-2980. przedocarmo@gmail.com


Posts relacionados

Expositor Cristão, Jovens, Mídia, Geral, por José Geraldo Magalhães

Igreja em Campo na Copa

A Copa do Mundo no Brasil é esperada pelas pessoas que querem que o evento seja um sucesso, uma festa, que seja uma alegria para a nação, mas também, é aguardada pelas pessoas que querem aproveitar para fazer os manifestos, pelas que querem que o mundo realmente veja a realidade do país... http://metodista.org.br/tudo-novo-no-expositor-cristao-de-junho