Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 25/05/2012

Discípulas e discípulos no caminho da Missão

Dia do Discipulado



Dia 27 de maio é o dia celebrativo do “Dia do Discipulado”. É o dia Celebrativo porque todo o dia é dia de fazer discípulos e discípulas. “Indo, fazei discípulos de todas as nações ...” MT 28.19.

O Plano Nacional Missionário 2007/12, na página 25, afirma: “Quando se vive a dinâmica do Espirito Santo e a ação da graça de Deus, o crescimento é algo normal e constante (todos os dias) na vida da igreja”.
“ A igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor, e, no conforto do Espirito Santo, crescia em número”! Atos 9.31
O PMN 2012/16 afirma: “O discipulado precisa ser compreendido como um modo de ser igreja. Assim sendo, não é um programa para atender o “ modismo eclesiástico”. Ao contrário, mergulhando nos estudos do Evangelho, vamos perceber que o discipulado é uma condição para que as pessoas possam seguir o caminho aberto por Jesus Cristo.
Ser discípulo e discípula de Jesus é uma exigência.
No início do seu ministério terreno, Ele formou um grupo de discípulos e , igualmente, preparou essas pessoas (formando uma comunidade), para viver a radicalidade do projeto do Reino de Deus, produzindo frutos de fé, misericórdia, compaixão, justiça e amor. À luz do desafio do mandamento do Senhor.
Por isso, o Evangelho de Jesus Cristo, narrado por Mateus, Marcos, Lucas e João, é a base do projeto de discipulado, ou seja, viver como Jesus viveu, perdoar, como Jesus perdoou, sentir como Jesus sentiu, intervir como Jesus interveio, caminhar como Jesus caminhou, em obediência aos preceitos do Pai. No caminho do discipulado, Ele confere identidade a cada discípulo ou discípula. Do mesmo modo, transmite as instruções acerca dos desafios e das oportunidades para segui-lo com alegria e singeleza de coração.
Também o movimento wesleyano impõe uma prática do discipulado focada na salvação, na santificação e no serviço em nossa caminhada cristã”.
Assim, mesmo que o discipulado tenha um dia celebrativo, o que é muito importante, precisamos estar conscientes que o discipulado é uma experiência de vida, um modo de ser. É algo que é a nossa paixão!
A Carta Pastoral do Colégio Episcopal para o biênio 2012-2013, nas páginas 20 e 21 diz: “que os Evangelhos descrevem com muita propriedade as características e atitudes essenciais a um/a discípulo/a à luz do projeto traçado por Jesus: tomar a cruz, viver para servir, obedecer, ser fiel, ter ousadia, coragem, interpridez, amar o Senhor acima de todas as coisas, ser prudente, sofrer perseguições, como resultado da fidelidade ao projeto do Reino de Deus, produzir frutos, cumprir o mandato missionário de Jesus-fazer discípulos, batizar e ensinar, tomar a cruz e segui-lo, perseverar na comunhão, no partir do pão e na oração perseverante.
Os/as discípulos/as são as testemunhas fiéis dos sinais do Reino de Deus neste mundo e aprendem as maravilhas insondáveis das promessas deixadas durante o ministério terreno de Jesus. Eles crescem na vida de oração, na partilha da palavra de Deus e seguem, em obediência, ouvindo e acolhendo o seu chamado: “deixando tudo, o seguiam” (Lc 5.11b)”.
Podemos afirmar com convicção que: Ser Metodista é viver essa dimensão do dicipulado estabelecida por Jesus Cristo, que João Wesley viveu no seu tempo (século XVIII) e nós somos desafiados a viver hoje no nosso século.
“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente”. Hebreus 13:8
 
Carlos Alberto Tavares Alves
Bispo e Missionário – Rema
Bispo Assessor da Câmara Nacional do Discipulado.

O Plano Nacional Missionário 2007/12, na página 25, afirma: “Quando se vive a dinâmica do Espirito Santo e a ação da graça de Deus, o crescimento é algo normal e constante (todos os dias) na vida da igreja”.

“ A igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor, e, no conforto do Espirito Santo, crescia em número”! Atos 9.31

O PMN 2012/16 afirma: “O discipulado precisa ser compreendido como um modo de ser igreja. Assim sendo, não é um programa para atender o “ modismo eclesiástico”. Ao contrário, mergulhando nos estudos do Evangelho, vamos perceber que o discipulado é uma condição para que as pessoas possam seguir o caminho aberto por Jesus Cristo.

Ser discípulo e discípula de Jesus é uma exigência.

No início do seu ministério terreno, Ele formou um grupo de discípulos e , igualmente, preparou essas pessoas (formando uma comunidade), para viver a radicalidade do projeto do Reino de Deus, produzindo frutos de fé, misericórdia, compaixão, justiça e amor. À luz do desafio do mandamento do Senhor.

Por isso, o Evangelho de Jesus Cristo, narrado por Mateus, Marcos, Lucas e João, é a base do projeto de discipulado, ou seja, viver como Jesus viveu, perdoar, como Jesus perdoou, sentir como Jesus sentiu, intervir como Jesus interveio, caminhar como Jesus caminhou, em obediência aos preceitos do Pai. No caminho do discipulado, Ele confere identidade a cada discípulo ou discípula. Do mesmo modo, transmite as instruções acerca dos desafios e das oportunidades para segui-lo com alegria e singeleza de coração.

Também o movimento wesleyano impõe uma prática do discipulado focada na salvação, na santificação e no serviço em nossa caminhada cristã”.

Assim, mesmo que o discipulado tenha um dia celebrativo, o que é muito importante, precisamos estar conscientes que o discipulado é uma experiência de vida, um modo de ser. É algo que é a nossa paixão!

A Carta Pastoral do Colégio Episcopal para o biênio 2012-2013, nas páginas 20 e 21 diz: “que os Evangelhos descrevem com muita propriedade as características e atitudes essenciais a um/a discípulo/a à luz do projeto traçado por Jesus: tomar a cruz, viver para servir, obedecer, ser fiel, ter ousadia, coragem, interpridez, amar o Senhor acima de todas as coisas, ser prudente, sofrer perseguições, como resultado da fidelidade ao projeto do Reino de Deus, produzir frutos, cumprir o mandato missionário de Jesus-fazer discípulos, batizar e ensinar, tomar a cruz e segui-lo, perseverar na comunhão, no partir do pão e na oração perseverante.

Os/as discípulos/as são as testemunhas fiéis dos sinais do Reino de Deus neste mundo e aprendem as maravilhas insondáveis das promessas deixadas durante o ministério terreno de Jesus. Eles crescem na vida de oração, na partilha da palavra de Deus e seguem, em obediência, ouvindo e acolhendo o seu chamado: “deixando tudo, o seguiam” (Lc 5.11b)”.

Podemos afirmar com convicção que: Ser Metodista é viver essa dimensão do dicipulado estabelecida por Jesus Cristo, que João Wesley viveu no seu tempo (século XVIII) e nós somos desafiados a viver hoje no nosso século.

“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente”. Hebreus 13:8

Carlos Alberto Tavares Alves
Bispo e Missionário – Rema
Bispo Assessor da Câmara Nacional do Discipulado


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães