Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral | 18/06/2015 às 15:11:28

Grupo de Fraternidade Wesleyana de Santidade se reúne em São Paulo

O grupo de Fraternidade Wesleyana de Santidade se reuniu na manhã dessa quinta-feira (18), nas dependências da Sede Nacional, em São Paulo. O encontro, além de promover comunhão entre as 16 pessoas presentes levou o grupo a refletir sobre a "Espiritualidade engajada na perspectiva Wesleyana"; tema da palestra ministrada pelo major do Exército da Salvação, dr. Maruilson Menezes de Souza.  
 
Alguns pilares wesleyanos foram relembrados durante a palestra como proposta de espiritualidade em contrapartida do que se tem visto hoje na sociedade. 
 
"Nesses dias há uma proposta de espiritualidade que conhecemos que permeia a sociedade brasileira. Normalmente são propostas confusas, terapeutizadas, personalistas, sedutoras e templárias", enfatizou o major Maruilson. Para ele é "templária" no sentido da igreja não sair para fora, para a missão.
 
Na palestra, o Major (foto ao lado) definiu como sendo três as marcas de espiriutualidade presentes em nosso tempo. A primeira delas foi a aparência. "As pessoas apresentam ser uma, mas na verdade são outra", disse. O sucesso ou a fama também é buscado por muitos espiritualistas, e, por fim, o ativismo nas igrejas.
 
Na sequência, seis tentações da espiritualidade contemporânea também foram destacadas na fala de Menezes.
 
1. A teologia do sacrifício que já foi amplamente discutida pelo bispo metodista Paulo Ayres. Para Menezes, "você se sacrifica para ter algo de Deus. Esse tipo de espiritualidade procura barganhar com a divindade";
2. A busca de espiritualidade de segurança dos grandes líderes que dizem o que a pessoa deve ou não fazer. "Esses tipos de pessoas consultam seus líderes para saber se podem ou não viajar. Isso é uma tentativa de oferecer soluções fáceis que manipulam as pessoas com um sentimento teatral";
3. A relação do Sagrado e Profano;
4. Perfeição onde corre-se o risco em desprezar os relacionamentos;
5. Interioridade - perigos do individualismo, separar a vida interior da missão;
6. Contemplação - corre-se o risco de não atuar mais na missão.
 
John Wesley, o fundador do metodismo no século XVIII viveu no contexto da Revolução Industrial onde havia muita corrupção, vícios, violências, desemprego e uma apatia espiritual por parte da Igreja majoritária de sua época onde ele era pastor, a Igreja Anglicana. "A história nos indica que pessoas mais prósperas compravam suas cadeiras. Os pobres não tinham no passado e nem na atualidade cadeiras em suas casas e muito menos nas igrejas", disse Maruilson. Havia também um descrecimento das Igrejas e um baixo nível moral na sociedade. Wesley fez toda a diferença no século XVIII ao entrar na Universidade de Oxford.
 
Quatro pontos foram lembrados na proposta wesleyana. São eles:
 
1. Experiência pessoal com consequências na sociedade
a) assistência aos pobre e marginalizados. "Temos a experiência que temos aburguesado o evangelho. Creio que nossa experiência precisa olhar por aqueles que estão às margens da sociedade".
B) Compêndio de medicina;
c) Reforma educacional;
d) Reforma prisional;
e) Abolição da escrivatura;
f) A busca de um mundo melhor para aqueles que vivem a margem.
 
Nesse sentido, toda a experiência pessoal precisa ter uma experiência social. Essa experiência não me tira do mundo, mas me leva para o meio dos povos e marginalisados, para o meio da sociedade.
 
2. Missão - Wesley andava 7 mil kilômetros por ano a cavalo e deixou 230 livros publicados. "Essa experiência pessoal precisa nos motivar e nos levar para a missão".
 
3. Intregalidade do ser humano. Wesley buscava para toda a sociedade, o bem estar integral do ser humanoe.
 
4. Quadrimenssional ou o quadrilátero Wesleyano
a) Escritura
b) Razão
c) Tradição
d) Experiência
 
Reação - após a palestra sobre "Espiritualidade engajada na perspectiva Wesleyana", houve um tempo para reação dos participantes no encontro. O bispo emérito da Igreja Metodista, Adriel de Souza Maia, lembrou a pedagogia wesleyana. 
 
"Wesley foi um pedagogo. Precisamos dar vida a teologia", disse ao mencionar a experiência de Wesley na Universidade de Oxford. Chegou a citar, ainda, o momento em que John Wesley reunido em um concílio fez a seguinte pergunta:
 
"Qual o propósito da Igreja Metodista? Reformar a nação, especialmente a Igreja e espalhar a santidade bíblica sobre toda a terra. Precisamos caminhar nessa direção.Precisamos dos pequenos grupos e transformá-los em espaços da recriação da fé. , depois mesmo em alguns momentos tendo dificuldades por ser anglicano com as questões clérigas ele cria o movimento leigo", finalizou o bispo dizendo que temos uma crise metodológica a começar pela Igreja local. O método é muito importante para alcançar a vida em sua totailidade. 
 
O bispo da Igreja Metodista Livre, Ildo Mello reafirmou a importância de caminhar juntos: "Vejo que temos que promover cada vez mais a união entre as igrejas, estamos ermanados, não é acabar com asdenominações e, ao invés de muros, temos cercas. Nosso testemunho fala mais alto em uma sociedade dividida entre tantos partidos", afirmou.
 
O bispo José Carlos Peres destacou a novidade teológica na época de Wesley colocar os sleigos para pregar. "O que me preocupa é que podemos ter alguns Wesley's nascendo hoje e por causa da ortodoxia, do legalismo da instituição podemos estar matando esse potencial. Nem tudo que é novidade é ruim", disse o bispo Peres.
 
Alguns representantes wesleyanos não puderam participar por compromissos em suas denomições. Os bispos metodistas, Nelson Luiz Campos Leite e Stanley da Silva Moraes que frequentam assiduamente as reuniões do grupo, também não puderam participar por problemas de saúde. 
 
Durante o encontro foi apresentado as Notas Explicativas de John Wesley do Novo Testamento que podem ser adquiridas na editora Filhos da GraçaO bispo Ildo Mello destacou a importância da publicação. "As Notas Explicativas faltavam em português e certamente vamos nos beneficiar com esse material", finalizou.
 
A próxima reunião do grupo será no dia 20 de agosto às 9h no QG do Exército de Salvação, no bairro Saúde, em São Paulo.
 
Ouça a palestra na íntegra abaixo!
Para ver o álbum de fotos clique na imagem abaixo!
 
O que é Grupo Fraternidade Wesleyana de Santidade? 
 
Grupo de representantes das Igrejas de Herança Wesleyana busca uma compreensão mais aguçada da obra de santificação que Deus opera em indivíduos e em comunidades inteiras. O objetivo é aprender uns com os outros, buscando encontrar as melhores formas de articular a mensagem de santidade no contexto atual e jus ao nosso legado histórico, a medida que também busca-se evitar as armadilhas do legalismo de um lado, e de uma "graça barata" de outro, que trata o tema da santidade como algo apenas posicional e não vivencial. 

Tags: Fraternidade Wesleyana de Santidade,