Publicado por Sara de Paula em Escola Dominical | 17/02/2021 às 17:55:58

Salmos na quaresma

salmos-544-800x568.jpg

 Fé e sabedoria: Salmos na quaresma 
Clique aqui para baixar o conteúdo em PDF

Quaresma é um período do calendário cristão que nos convida à reflexão e transformação – pessoal e comunitária – à luz do acontecimento fundante da nossa fé: a ressurreição de Jesus. Neste ano, desejamos lhe convidar a viver o tempo da quaresma a partir dos Salmos. Este importante livro, que reúne as músicas e a sabedoria do povo da Bíblia, vai nos inspirar neste tempo.

A partir das indicações do anuário litúrgico, em cada semana da quaresma traremos uma breve meditação sobre um salmo, perguntas que convidam à reflexão-transformação e um desafio para semana.

Sugestões para vivenciar essa experiência:

  1. Separe um tempo e um ambiente agradável e silencioso para o seu momento devocional.
  2. Faça uma oração, entregando esse momento a Deus.
  3. Leia o salmo completo e atente para o trecho em destaque. Se possível leia em voz alta, pausadamente, pensando em cada palavra lida.
  4. Fique um tempo em silêncio rememorando as palavras lidas.
  5. Responda as perguntas sugeridas
  6. Cante ou escute uma música da sua preferência.
  7. Termine com um tempo de oração
  8. Se comprometa a memorizar o trecho sugerido e a realizar o desafio da semana.

Este é o exercício de espiritualidade que o Departamento Nacional de Escola Dominical propõe para a quaresma no ano de 2021. Que seja um tempo de comunhão com Deus, exercício da fé e amadurecimento na vida. 

 Semana 1. Texto bíblico: Salmo 25.1-10 

O salmo 25 é uma oração atribuída a Davi.

Quem ora? Alguém que anseia por proteção, livramento e cuidado. Alguém que deseja também orientação para seguir pelo caminho reto e verdadeiro, que só Deus pode proporcionar.

João Wesley, em suas reflexões sobre esse salmo, destaca que a expressão “faz-me conhecer” (v.4) tem a ver com “ensina-me o meu dever e fazes com que eu o cumpra, não obstante todas as tentações” (Bíblia de Estudo John Wesley, 2020, p.600).

O tempo de quaresma, como tempo de arrependimento e conversão, deve nos levar a reconhecer nossos pecados, clamar pelo perdão divino e desejar aprender mais de Deus, seu caminho e verdade. A oração, à luz do exemplo do salmista, se mostra um poderoso instrumento para se alcançar segurança, graça, perdão e sabedoria.

Que seja esta a intenção do nosso coração: cumprir a vontade de Deus, confiando em seu amor, perdão e proteção para superar, mediante a Graça, as adversidades e tentações que se aproximam.

Para viver com fé e sabedoria:

1.Quem é o Senhor para o salmista? Quem é o Senhor para você?

2. Que pedidos o salmista faz a Deus? Quais desses pedidos expressam a sua necessidade hoje?

Ao orar, peça sabedoria para que esse tempo de quaresma seja um tempo arrependimento e transformação em sua vida.

Desafio da semana: Invista mais tempo na sua vida de oração.

Para saber de corAção, memorize um trechinho por dia:

2ª feira: Sl 25.1-3;

3ª feira: Sl 25. 4-6;

4ª feira: Sl  25. 7-8;

5ª feira: Sl 25. 9-10;

6ª feira: Sl  25.1-5;

Sábado: Sl 25.6-10.

 

 Semana 2. Texto bíblico: Salmo 22.22-31 

O primeiro verso deste salmo, ainda que não esteja selecionado aqui, se transformou nas palavras de Jesus enquanto sofria na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. O salmista, assim como Jesus, expressou nestas palavras a solidão aterradora que nos sufoca quando estamos diante de muito sofrimento.

O salmista, que expressou a dura dor no verso 1, pôde também celebrar o cuidado e a intervenção de Deus, e no verso 24 bradou: “não desprezou nem detestou a dor do aflito, nem ocultou dele o seu rosto, mas ouviu quando lhe gritou por socorro”.

Deus se importa com quem sofre, junta-se à pessoa em meio a sua dor. E nós? Como agimos diante do sofrimento alheio? Estão nossos olhos atentos, ouvidos abertos e coração inclinado a ser amparo e sustento para quem sofre? Refletir, se arrepender, mudar de comportamento – esses são convites neste tempo de quaresma.

A partir do verso 22 é possível ver alguém completo, feliz, exultante e com desejo de testemunhar na grande congregação, para quem quiser ouvir, sobre o favor do seu Deus. Na vida de quem segue a Jesus, clamor e louvor devem estar sempre presentes, mas compaixão e misericórdia para com o próximo também devem ser recorrentes.

Para viver com fé e sabedoria:

  1. Leia o salmo na íntegra e veja o que o salmista fala a respeito do sofrimento e de quem sofre.
  2. Você já experimentou a sensação do salmista e de Jesus, de sentir-se abandonado(a) por Deus? Rememore o porquê e como foi possível se livrar desse sentimento.
  3. O que tem feito você sofrer? Apresente isso em oração.
  4. Você testemunha sobre o agir de Deus na sua vida?

Desafio da semana: Acolha respeitosamente, sem julgamento, alguém que esteja sofrendo. Exercite o cuidado na vida dessa pessoa.

Para saber de corAção, memorize um trechinho por dia:

2ª feira: Sl 22.1-5;

3ª feira: Sl 22. 22-24;

4ª feira: Sl 22. 25-28;

5ª feira: Sl 22.29-31;

6ª feira: Sl 22.1-5; 22-24;

Sábado: Sl 22. 25-31.

 Semana 3. Texto bíblico: Salmo 19 

O salmo 19 nasceu no coração de uma pessoa que tinha a capacidade de contemplar os grandes feitos de Deus. Ele exalta dois desses grandes feitos: a criação (v.1-6) e a sua lei (v.7-14). 

Ao contemplar a grandeza de Deus, a manifestação do seu poder na Criação e a perfeição da lei do Senhor, o salmista é levado a olhar para dentro de si. Neste exercício, ele expressa uma constatação e um desejo: “quem há que possa discernir as suas próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas” (v.12).

Sobre o versículo 12, Wesley destaca que o ser humano está infinitamente aquém da lei de Deus, que é santa, justa e boa (Bíblia de Estudo John Wesley, 2020, p.596). O que fazer diante disso? Reconhecer o poder justificador e perdoador de Deus e clamar como fez o salmista: “absolve-me” – verbo que no hebraico traz as ideias de esvaziar-se, de ser separado.

A quaresma é uma excelente oportunidade para pensar sobre a importância de se esvaziar, isto é, morrer para carne, para o pecado, para que o Espírito nos vivifique (Rm 8.13). Aos nos esvaziarmos, o poder de Deus nos preenche e isso nos capacita a seguir em santidade, crescendo na compressão da Palavra, na graça e no amor de Jesus.

Para viver com fé e sabedoria:

  1. O salmista olha para a Criação com muito respeito pelo poder divino. Qual a sua relação com a natureza? Que parte dela revela o poder de Deus para você?
  2. Leia o salmo e destaque como o autor descreve a lei, os testemunhos, os preceitos, o mandamento, o temor e os juízos de Deus. Como você descreveria a Palavra de Deus?
  3. Quais são os pedidos que o salmista faz ao Senhor? Quais destes pedidos representam as suas necessidades hoje?

Desafio da semana: Identificar faltas, pecados recorrentes na sua vida e investir tempo de reflexão e oração para abandonar tais práticas.  

Para saber de corAção, memorize um trechinho por dia:

2ª feira: Sl 19.1;

3ª feira: Sl 19.4-6;

4ª feira: Sl 19.7-10;

5ª feira: Sl 19.11-14;

6ª feira: Sl 19.1-6;

Sábado: Sl 19. 7-14.

 Semana 4. Texto bíblico: Salmo 107.1-3, 17-22 

O salmo 107 começa afirmando a importância de render graças a Deus por sua bondade e infinita misericórdia. Se bondade e misericórdia são características a natureza divina, na natureza humana elas se transformam em importantes objetivos a serem alcançados por quem segue a Jesus. 

O salmista testemunha sobre um Deus bondoso, presente em tempos de angústia e tribulações, que ajuda as pessoas que clamam por auxílio. A quem clama, Ele livra da tribulação, envia a sua Palavra, sara e livra da morte (v.19-20). É a esse Deus, poderoso em amor, cheio de bondade e misericórdia, que o salmista louva e orienta a comunidade a render graças e a proclamar com júbilo as suas obras. A quaresma nos convida ao arrependimento e ao clamor. Isto nos permitirá experimentar a bondade de Deus, seu perdão e exortação.

Render graças a Deus por sua exortação, disciplina e admoestação é um grande desafio para quem se aproxima de Deus apenas desejando receber suas bênçãos. Mas, para quem reconhece no Senhor um amigo e orientador, é possível e necessário agradecer, sim, pelas exortações e chamados à transformação que o Espírito nos oferece. A respeito disso, muito bem nos lembra o autor de Hebreus: “...o Senhor disciplina a quem ama, e educa todo aquele a quem recebe como filho” (Hb 12.6).

Para viver com fé e sabedoria:

  1. O salmo 107 exemplifica várias ações de Deus em favor do seu povo. Leia todo o salmo e destaque 5 delas.
  2. Destaque no salmo o que Deus faz para a pessoa necessitada. Quais dessas ações divinas você precisa em sua vida nesse momento?
  3.  A que transformações pessoais o Espírito tem te desafiado?

Desafio da semana: Orar por pessoas que necessitam de livramentos e testemunhar sobre os feitos do Senhor em sua vida.   

Para saber de corAção, memorize um trechinho por dia:

2ª feira: Sl 107.1-3;

3ª feira: Sl 107. 17-18;

4ª feira: Sl 107. 19-20;

5ª feira: Sl 107. 21-22;

6ª feira: Sl 107.1-3, 17-18;

Sábado: Sl 107.19-22.

 Semana 5. Texto bíblico: Salmo 51.1-12 

O Salmo 51 é fruto de um momento muito triste na vida de Davi (cf. 2 Samuel 11 e 12). Confrontado pelo profeta Natã, Davi se depara com o seu pecado e assume a sua culpa. A arrogância do rei perde espaço e ele reconhece que necessita do perdão divino: “segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões” (v.2).

João Wesley, ao comentar o verso 4 deste salmo, destaca a expressão “contra ti somente” e pondera: essas palavras não devem ser entendidas de modo absoluto, pois ele havia pecado contra Bate-Seba, Urias e muitos outros, mas de modo comparativo. Nesse sentido, portanto, embora tenha pecado contra a minha própria consciência e contra outros, nada é mais terrível para mim do que pecar contra ti” (Bíblia de Estudo John Wesley, 2020, p.621).

Esta oração-desabafo de Davi se tornou parte da liturgia do povo de Deus. Nela o povo reconhece que o que agrada a Deus não são os holocaustos, mas sim um coração quebrantado e contrito diante dele (v.17).

Tal coração contrito deve se reconciliar com Deus e com quem foi alvo da sua ira, traição, desonestidade ou outra ação que possa ter corrompido o relacionamento. Para se reconciliar é preciso abandonar o orgulho e a arrogância. Palavras honestas e gentis junto a um comportamento humilde facilitarão o diálogo.

A quaresma nos convida a nos reconciliarmos com Deus e com as pessoas que ferimos. Que o Senhor nos capacite para tamanho exercício de fé e humildade.

Para viver com fé e sabedoria:

  1. Qual o versículo do salmo que mais lhe chama a atenção? Por quê?
  2. Davi foi confrontado, se arrependeu e clamou por perdão. Como você se comporta quando alguém lhe chama atenção por alguma falta? O que fala mais alto: o orgulho ou a humildade?
  3. A quem você precisa pedir perdão? Com quem você precisa se reconciliar? Pense, ore e faça algo a respeito disso.

Desafio da semana: Reconciliar-se com quem você feriu.

Para saber de corAção, memorize um trechinho por dia:

2ª feira: Sl 51.1-4;

3ª feira: Sl 51.5-8;

4ª feira: Sl 51.9-12;

5ª feira: Sl 51.13-17;

6ª feira: Sl 51.1-12;

Sábado: Sl 51.13-17.

 

 

 

Salmos na Quaresma, São Paulo, fevereiro de 2021
Departamento Nacional de Escola Dominical – Igreja Metodista
Texto: Andreia Fernandes.
Revisão: Mauren Julião


Tags: sem tags no momento!