Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 11/04/2011

Metodista lança material de apoio a projeto de combate a violência nas escolas

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, destacou o exemplo que o município pode dar para outras cidades a partir dessa iniciativa.

Foto: Mônica Rodrigues.

A Universidade Metodista de São Paulo, por meio da Cátedra de Gestão de Cidades, promoveu nesta sexta-feira, 08 de abril, no Centro de Formação de Professores, em São Bernardo do Campo, o lançamento do material pedagógico da Força Tarefa – um programa desenvolvido em parceria com a Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Bernardo do Campo, o Ministério Público, o Conselho Tutelar e outras instituições do município.

Cerca de 400 educadores de escolas municipais e estaduais de Educação Infantil e do Ensino Fundamental receberam o vídeo e o livro “Uma nova aquarela: desenhando políticas públicas integradas para o enfrentamento da violência escolar em São Bernardo do Campo”, que servem como material de apoio a professores e diretores das escolas.

O início do evento foi marcado por um minuto de silêncio, proposto pela coordenadora do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Bernardo Campo, Rozane Sena, em homenagem às crianças vítimas do ocorrido ontem na escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro.

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, enfatizou a importância da participação da família no trabalho realizado com crianças e adolescentes. “Não há possibilidade de sucesso nesse projeto sem o envolvimento da família. A escola não a substitui.” Marinho reconheceu ainda que “isto que estamos construindo é um avanço e cada um aqui é responsável. Precisamos provocar as pessoas na construção de uma rede. Se agirmos dessa maneira, daremos exemplos a outras cidades”.

A secretária de Educação do município, Cleuza Rodrigues Repulho, ao reforçar a importância do papel do professor afirmou que “um erro médico pode prejudicar um paciente por vez, mas nós podemos mexer com a vida de 30, 40 crianças de uma única vez. Isso reflete no que eles serão dali para frente”.

Representando a Metodista, o diretor da Faculdade de Administração e Economia, professor Luiz Silvério Silva, destacou a necessidade de se planejar políticas públicas integradas. “Pensar educação é pensar também em cultura, lazer, habitação, segurança, e em conjunto para solucionar os problemas.”

O projeto

Na segunda parte da apresentação, a promotora de Justiça da Infância e Juventude da Comarca de São Bernardo do Campo, Vera Lúcia Acayaba de Toledo, mencionou que o projeto teve início em 2007, num momento em havia um aumento do número dos casos de violência e uma ineficácia das ações socioeducativas. Ela explicou ainda o funcionamento da rede, responsável pelo atendimento dos casos em que há um ato infracional.

Segundo a promotora, até o final deste ano deverão ser concluídos os próximos passos do programa - a capacitação dos professores e a mediação, inserindo essas informações nas escolas. “O objetivo é que a rede caminhe sozinha, mas que esteja fortalecida para atender os alunos.”


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

SBT

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães