Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Cristãs e cristãos são chamados à cidadania

 
Na terra onde se dança o carimbó e se come açaí com farinha de tapioca, bebe-se suco de taperebá e se produz a cerâmica marajoara, Belém é considerada por muitos a porta de entrada da Amazônia.

A Igreja deve uma mensagem para todos, disse a senadora da República, Marina Silva, da Igreja Evangélica Assembléia de Deus. Falando para jovens reunidos no Encontro Ecumênico de Juventude, reunido em Belém dias 25 e 26 de janeiro, a ex-ministra do Meio Ambiente fundamentou com a Bíblia a participação cidadã dos cristãos.
 
A Igreja Anglicana da capital paraense abrigou o encontro, que antecedeu o Fórum Social Mundial (FSM) e teve dois temas centrais: "Fé e Política" e "Violência Juvenil e Direitos Humanos".

O encontro teve início no domingo, 25, com a oficina Fé e Política, da qual participou a senadora, o teólogo chileno Juan Navarrete, da organização católica Ameríndia, e representantes da Pastoral de Juventude do Conselho Latino-Americano de Igrejas (Clai).
A oficina proporcionou um espaço de reflexão e intercâmbio coletivo sobre as práticas vinculadas ao binômio fé-política, ofereceu ferramentas para a reflexão bíblico-teológico e promoveu estratégias de incidências pública e política.

Na segunda-feira, 26, o diretor executivo do Instituto de Estudos da Religião (Iser), Pedro Strozenberg, trouxe o panorama das políticas públicas para a juventude no Brasil e os dados da violência em vários países da América Latina.

Com a exposição de Strozenberg foi possível ter elementos para compreender o tráfico, a milícia e a distinção entre a violência e a sensação de perigo. "Há uma diferença entre os dados da violência e a sensação de perigo", afirmou.

No Rio de Janeiro, 20% da população vivem nas 824 favelas, representando 1,3 milhão de pessoas. A violência armada é o principal fator de morte de jovens no Brasil. "A violência não é a causa, mas a ausência de políticas de educação, trabalho", emendou. 

Durante à tarde, os participantes compartilharam as agendas de trabalho e o perfil de cada organização a fim de propiciar ações conjuntas. Jovens da Armênia e da Índia, convidados pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), relataram atividades que desenvolvem em seus respectivos países.

A iniciativa do encontro foi fruto do dialogo entre a Federação Universal de Movimentos Estudantis Cristãos (WSCF, sigla em inglês), Associação Cristã de Moços (YMCA, Aliança Latino Americana e Caribenha), Pastoral de Juventude do Clai, Programa Jovens em Missão do Conselho de Igrejas Evangélicas Metodistas da América Latina e Caribe (Ciemal), CMI e da Aliança de Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina e Caribe (Aipral).

O encontro contou com aproximadamente 50 participantes da Armênia, Bolívia, Índia, Suíça, Uruguai, Porto Rico, Chile, Colômbia, Canadá e do Brasil.

Thiago Machado
Equipe Interdisciplinar da REDE ECUMÊNICA DA JUVENTUDE PELA PROMOÇÃO DOS DIREITOS JUVENIS
FE Brasil

 

Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães