Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

dia nacional não violência

16 dias de ativismo para denunciar a violência contra a mulher

A campanha mundial dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher é sinalizada sempre de 25 de novembro a 10 de dezembro. Em Porto Alegre, a campanha é uma realização do Governo do Estado e teve seu início na última quarta-feira, 22. Atividades de MARIA MULHER - Organização de Mulheres Negras integram a programação

 Continua neste sábado, 25, em Porto Alegre, a "Campanha dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher". A iniciativa é uma realização do Governo do Rio Grande do Sul, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher, e conta com a parceria de redes e articulações de mulheres, feministas e de direitos humanos, órgãos governamentais, organizações não-governamentais, entre elas, MARIA MULHER - Organização de Mulheres Negras. A programação deste sábado prevê das 14 horas às 18 horas, a atividade Geração de Renda Transformando Vidas, no Clube de Reciclagem Morro da Cruz, localizada na Avenida Comunitária, nº. 40, São José, Morro da Cruz. Na parte da tarde, às 14 horas, será desenvolvido o Ciclo de Cinema e Debate sobre a violência Intrafamiliar na Casa de Convivência Ilê Mulher (Rua Gaspar Martins, 216, Bairro Floresta).

A origem da campanha - A Campanha nasceu de uma iniciativa do Centro para a Liderança Global das Mulheres (Center for Women´s Global Leadership), e vem sendo realizada em cerca de 130 países com apoio da Organização das Nações Unidas e é promovida no Brasil desde o seu lançamento, em 1991. A Campanha dos 16 Dias de Ativismo tem como marcos os dias 25 de novembro (Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher) e 10 de Dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). Também são considerados marcos da Campanha o 1º de dezembro (Dia Mundial de Combate à AIDS) e o dia 06 de dezembro (Data do Massacre de Mulheres de Montreal, que fundamenta a Campanha Mundial do Laço Branco - Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres).  No Brasil, a Campanha 16 Dias de Ativismo foi ampliada de maneira a incluir o dia 20 de novembro (Dia Nacional da Consciência Negra).

A Campanha é uma estratégia para dar visibilidade ao problema e sensibilizar a sociedade brasileira e o Estado, e deve ser entendida como parte do processo coletivo para erradicar a violência de gênero da sociedade brasileira. Pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo (2002), aponta que a cada 15 segundos, uma mulher brasileira é agredida em seu próprio lar. "A violência contra as mulheres deve ser vista como um atentado aos direitos humanos e, também, um caso de saúde pública", destaca a coordenadora técnica de MARIA MULHER, Maria Noelci Teixeira Homero.

Cotidiano de todas as pessoas - A Campanha dá ênfase para segmentos de mulheres que sofrem os mais diferentes tipos de violências - entre eles, lésbicas, meninas, negras -, visando a prevenir, a dar visibilidade à problemática e a orientar as mulheres em situação de violência sobre os caminhos a serem percorridos para romper com o ciclo da violência e do silêncio. A intenção é também reforçar a idéia de que o combate à violência contra as mulheres deve estar no cotidiano de todas as pessoas, independente de idade, classe, raça/etnia, preferência sexual.

 Programação de MARIA MULHER

 Data: 8 de Dezembro

Local: sede de MARIA MULHER - Avenida Moab Caldas, 2035 - Vila Cruzeiro do Sul.

Assunto:Mulheres Negras: Da Violência à Vida

 9h30min - Atividade Cultural - Grupo Infantil de Capoeira

10 horas - Cine Debate - "Filme Vôo da Borboleta"

15 horas Caminhada pela Vida - Saída da casa "Nem tão Doce Lar" montada no Mercado Público de Porto Alegre - até o prédio do Memorial do Rio Grande do Sul

15h30min - Recital poético com a atriz Vera Lopes - Poesias de Conceição Evaristo

16 horas - Cine/Debate - Filme "As Filhas do Vento" - Local: Auditório do Memorial do Rio Grande do Sul



Posts relacionados