Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 21/03/2011

Doe agora

São oito municípios atingidos pelas fortes chuvas dos últimos dias

(Foto: parana.com.br)

O reverendo Elias Passeri, superintendente do Distrito Metropolitano, enviou informações sobre as igrejas e povo metodista no litoral paranaense atingido por inundações provocadas pelas fortes chuvas do último final de semana:

“Os templos  de Morretes, Antonina e Paranaguá não foram atingidos, só o de Antonina foi interditado por motivo de segurança, pois fica próximo de uma área de risco de desmoronamento. As instalações da AMAS em Morretes ficaram cheias de água, mas não houve grandes danos. Algumas famílias da igreja perderam tudo, outras quase tudo e precisam de ajuda”, informou.

As igrejas do Distrito Metropolitano estão se mobilizando para ajudar, como é caso da Central, Manancial, Araucária, Cristo Rei e Bacacheri. Certamente outras igrejas estarão aderindo, mesmo de outros distritos. O pastor Passeri informa, ainda “O que o povo mais precisa é de roupa, agasalho, roupa de cama, mesa e banho, água, leite, alimentos não perecível e material de limpeza. As doações poderão ser entregues nas igrejas Central e Manancial, que providenciarão o transporte de caminhão, neste final de semana”.

Segundo os dados atualizados nesta manhã (16/03) pela Defesa Civil do Paraná, no estado 30.968 pessoas foram afetadas pelas chuvas. Os municípios em situação de emergência são: Guaratuba, Honório Serpa e Paranaguá. Decretaram estado de calamidade pública as cidades de Antonina e Morretes. Foram confirmadas a morte de quatro pessoas e mais de 14 mil estão desalojadas nos municípios atingidos no estado.

A Sede Nacional da Igreja Metodista disponibilizou a conta a seguir para que os irmãos e as irmãs possam colaborar com os atingidos por esse desastre natural no Paraná.

DOE AGORA

Bradesco

Agência 3381-2

Conta: 108.778-9

CNPJ 33.749.946/0001-04


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Comunicado Institucional | Jejum e Oração pela Pátria | 2ª Região Eclesiástica

A data de sete de setembro, deste ano, nos lembra dos 199 anos de independência da Monarquia Portuguesa. Uma data significativa que remonta os primórdios de fundação de nosso País, com todas as contradições históricas. Como cristãos e cristãs metodistas devemos orar permanentemente pela nossa Pátria, constituída pelos nossos povos nativos, somado a tantas outras etnias que para cá vieram, de diferentes lugares e pelas mais diversas razões, ao longo de cinco séculos. Esta realidade é responsável pela a amálgama social, que nos constitui como único povo brasileiro. Como cristãos e cristãs metodistas acreditamos na separação entre Estado e Igreja, e que nenhuma forma de governo e pessoas, alçadas à condição de governantes, podem ser consideradas como legítimas representantes de uma Teocracia instaurada aqui na terra.

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães