Publicado por José Geraldo Magalhães em Colégio Episcopal, Expositor Cristão | 03/12/2014 às 10:08:56

É Natal! Jesus Nasceu!

Resolvi dar uma olhada ao redor para apreciar os primeiros enfeites de Natal que já estão em evidência. Enfeites lindos: bolas, árvores, velas, flores e sinos. Os cartões de Natal já estão por todo lado, quase sempre com fotos ou pinturas de um Natal bem distante de nós, brasileiras e brasileiros: muita neve, bonecos de neve, roupas de frio, cachecóis coloridos, muitos papais-noéis obesos e de olhar bondoso, trenós, renas, sacolas e sacolas de presente. Pessoas bonitas e jovens ao redor de mesas lindas e fartas. Famílias com pai-mãe-filhos/as ao redor das árvores enfeitadas.
 
As lojas se superam em vitrines admiráveis. Comumente se vê um Papai Noel convidando o/a expectador/a a entrar e apreciar as ofertas para presentes de Natal. E o sorriso estampado no rosto é tão simpático, tão natural que até contagia. Dá vontade de sorrir também.
 
Os planos, as agendas, as festas, os jantares, enfim, a vida social está voltada para a festa natalina. Amigos/as combinam os encontros para troca de presentes, familiares fazem questão de se reunir especialmente nesta data. As escolas programam as suas festas. A turma do trabalho ressalta a importância de estar junta e celebrar o espírito do Natal. Pessoas se dispõem ao perdão, à reconciliação, a novas chances para relacionamentos rompidos.
 

Jesus nasceu, afinal. É Natal. Natal é tempo de presentes, de ceia com a família, de novos acordos. Depois tem o décimo terceiro salário e pode-se reformar a casa, trocar a geladeira, trocar o carro. Ainda se poderá comprar presentes para a família. Roupa nova para as crianças!
 
Sem dúvida que Natal é tempo de festa. É aniversário de Jesus. Num certo ano, num certo dia e mês, Deus se tornou uma criança e nasceu do ventre de uma jovem judia. Desta maneira, a humanidade conhece o único caminho que pode conduzi-la à restauração. Só o amor de Deus, demonstrado em atitude tão concreta, é que pode convencer o ser humano a voltar-se para Ele e confiar que Ele é “o caminho, a verdade e a vida”. Esta é a festa que se celebra nesta data: a vinda do Deus Salvador ao mundo por Ele criado. Para incompreensão de muitos/as, Deus se torna um ser humano para ensinar a humanidade o que pode trazer-lhe a verdadeira vida. 
 
Onde está Ele?
É assim que Jesus fala de si e da Sua festa de aniversário. É assim que o livro (Bíblia Sagrada) descreve a festa de Natal. É Natal quando a vida de Deus nasce na vida de uma pessoa humana. Tudo se transforma! Sendo essa descrição uma verdade, então há que se procurar Jesus nesta tão celebrada festa de Natal. Onde está o aniversariante? Você pode vê-Lo na forma como o comércio proclama a festa, que é dEle? Como Jesus vê Seu aniversário sendo usado como instrumento de manipulação de vidas, a fim de que se mantenha vivo o “todo poderoso” lucro gerado pelo dinheiro (capital)? 
 
Maria e José seriam hoje convidados para as celebrações de aniversário do filho que Deus lhes dera? Teriam roupa para isto? Teriam recursos para fazer as trocas de presentes? Maria Madalena seria recebida para jantares ao redor das mesas das famílias? Ou mais uma vez seria tida como alguém que jamais deveria ter parte com o Messias? 
 
O que parece é que na maioria das celebrações mágicas do Natal, não há lugar para estrebarias. O aniversariante não é o Jesus Cristo vivo e sim um morto imaginário criado à imagem e semelhança da humanidade. Este Jesus não é o da cruz e muito menos o da ressurreição. Este está morto – é apenas uma imagem que jaz pregada a uma cruz, sem qualquer poder de gerar salvação e vida. Jesus é vivo. Muito vivo mesmo! Por isso, há que se celebrar ardorosamente o Natal deste filho do Deus altíssimo. Que a celebração do nascimento Dele seja uma glorificação Àquele de quem a Bíblia fala: caminho, verdade e vida. 

Tags: Natal, Colégio episcopal, Expositor Cristão