Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

finados pastora marcia

Para os salvos ...a morte não é o fim da vida ...

mas o início da vida eterna com Deus

"Aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto o juízo" (Hb 9.27)

 

No dia de Finados muitos vão ao cemitério. Como sinal de consideração e gratidão pelos que um dia estiveram conosco, porém já partiram, costuma-se levar flores para colocar sobre o túmulo. . Precisamos estar cientes de que não existe vida após a morte e nem que a alma está precisando de luz. Para nós cristãos protestantes, só em Cristo, há vida eterna! Cremos na ressurreição! E esta acontecerá no Dia do Senhor, quando Jesus vir buscar os seus e então, os que dormem no Senhor, ressuscitarão e subirão com a Igreja.

Neste dia, em que estamos lembrando dos nossos entes queridos que já partiram, quero compartilhar com você dois pensamentos que encontrei em túmulos e alguns textos da Bíblia que falam sobre a questão da morte. Eles servem para uma reflexão pessoal. Os pensamentos são os seguintes: "Saudade não quer dizer que estamos longe, mas que um dia estivemos perto"; "a dor de tê-lo perdido, não deve fazer-nos esquecer a alegria de tê-lo tido conosco e a esperança de reencontrá-lo". Esses dois pensamentos nos lembram de que se perdemos alguém é porque um dia o tivemos conosco. E muitos não tiveram essa felicidade. Por isso, não devemos sentir só a dor da perda, mas devemos ser agradecidos pela graça de termos tido quem perdemos.

Entre os muitos textos que existem na Bíblia, destaco os seguintes: "Há tempo de nascer e há tempo de morrer" Ec 3.2.

"Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos" (Sl 116.15).

"Porque estou certo de que nem a morte poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Rm 8.38-39)

"Disse Jesus: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida... Se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente" (Jo 5.24; 8.51).

"Disse Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá, eternamente. Crês isto" (Jo 11.24-25)

"O último inimigo a ser destruído é a morte" (1 Co 15.26). "Porque é necessário que este corpo corruptível se revista de incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista de imortalidade... Jesus Cristo não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o Evangelho"
(1 Co 15.53; 2 Tm 1.10).

"Eis a morada de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram" (Ap 21.3-4).

 

Faça diferente, ao invés de lamentar a morte, agradeça pelo privilegio da pessoa que partiu ter feito parte de sua vida e alegre-se em saber que um dia nos os encontraremos no céu.

 

Que a esperança seja sempre o nosso consolo!

Pastora Márcia Zanfranceschi, Igreja Metodista em Votuporanga, 5ª RE


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Carta Pastoral do Colégio Episcopal: Cremos no Deus de toda a consolação

Trazemos à memória o que nos pode dar esperança (Lamentações 3.21). Por isso, ao meditar sobre o que estamos vivendo hoje, talvez os cercos (tanto o babilônico quanto o romano, em 70 d.C.) sejam a narrativa bíblica mais próxima da nossa realidade nesta pandemia, em termos de experiência prática, vital, emocional e espiritual. Leia a Carta Pastoral na íntegra.

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães