Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

homenagens a d. Dea

Era uma vez uma senhora, com uma voz doce e delicada e dedos mágicos. Com sua voz, ela contava histórias que faziam o coração palpitar de alegria. Com seus dedos mágicos, ela fazia duas coisas muito especiais: ela escrevia as melhores histórias, para que não se perdessem na imensidão de muitas palavras. E ela também fazia sair do piano as mais belas canções, que faziam a alma da gente dançar de alegria.

Ela era como uma dessas fadas-madrinha (porque Deus também faz mágica, sabia? E esta mágica se chama vida!) que a gente encontra volta e meia nesta vida. De tão rara, a gente pensa que vai durar para sempre. Por isso, fica sempre um súbito no coração quando, de repente, as coisas seguem seu curso normal e essas pessoas mágicas, que fazem a vida ficar mais bonita, vão para Deus.

Mas, como disse Rubem Alves, "É preciso não esquecer a saudade. É ela que faz toda a diferença. Deus mora na saudade, ali onde o amor e a ausência se encontram".

As histórias ficarão, bem como as canções. Outras vozes vão dar vida aos personagens, outros dedos darão forma à melodia. Mas nunca vamos esquecer o começo de tudo isso.

Um certo vazio, cheio de Deus, ficará no coração da gente. Quando os olhos marejarem, teremos vislumbres do passado - a mágica que faz a saudade virar esperança.

Ainda ouviremos essa voz novamente, ainda teremos novas histórias para contar. Um dia, nos reencontraremos, porque o amor, disse Paulo, esse durará para sempre. E com amor em volta da gente, não faltarão histórias nem canções. Essas coisas são como enfeites para tornar o amor mais brilhante e por isso - como Deus é alegria e gosta de coisas bonitas - são sempre indispensáveis.

A vida do crente é uma história sem fim. Depois do capítulo desta existência, aguardamos com ansiedade as cenas dos próximos capítulos. Não perdemos a expectativa, mesmo sabendo do final da história: "seremos felizes para sempre"!

Assim sendo, como ao final de toda boa história, damos-lhe um beijo de boa-noite, tia Déa. Durma bem, nós nos veremos amanhã!--


Pra. Hideide Brito Torres

 

 

A nossa querida Tia Déa

Conheci D. Déa bem de pertinho num congresso Nacional , realizado em Grussaí - R.J.

Já a tinha visto, ouvido e lido seus escritos, pois esta exímia serva dedicou sua vida na obra do Senhor.

Com seus vinte anos, foi estudar música e é emocionante saber que ela foi a primeira formanda de música sacra do Bennett - Rio de Janeiro, dentre tantas e tantas coisas que marcaram sua existência.

Era divertida e ríamos muito, nas noites dos eventos promovidos pelas mulheres. Quandocaminhávamos, ela contava suas histórias e por vezes ela mesma ria tanto, que não conseguia terminá-las e ficávamos tão contagiadas pela sua alegria, que arriscávamos até adivinhar o final da história.

A Confederação de Mulheres não poderia deixar de registrar, de uma maneira singela momentos vividos com D. Déa, que tanto contribui nos trabalhos da Confederação, com suas idéias, sempre alegre e disposta.

Foi dedicada como Redatora da Revista Voz Missionária, fazendo e dando o melhor de si. Símbolo de ternura e doçura, pois era o que sentíamos nos momentos que passamos juntas.

Agradecemos a Deus pela oportunidade que Ele nos deu de termos convivido com esta mulher fiel. Uma vida marcada como instrumento de Deus no mundo.

Aos familiares, que o Senhor esteja acolhendo a cada um, com aquele amor e ternura que só Ele pode dar.

Carinhosamente

Sonia do Nascimento Palmeira

Confederação de Mulheres


 


Posts relacionados

Geral, Liturgia, Escola Dominical, por Sara de Paula

Reflexões | Devocionais

Acesse as reflexões dos momentos devocionais semanais realizados com a equipe da Sede Nacional da Igreja Metodista. Os vídeos foram disponibilizados pelo Departamento Nacional de Escola Dominical.

Geral, por Sara de Paula

Reunião de oração | Dia do professor e professora

DIA DO PROFESSOR E DA PROFESSORA! Dia de celebrar, agradecer e interceder por nossos professores e professoras! O Departamento Nacional de Escola Dominical convida todas as pessoas que têm se dedicado ao ministério de ensino nas nossas escolas dominicais e/ou exercem a profissão docente nos diferentes espaços educacionais, para participarem da Reunião de Oração com e pelos professores e professoras.

Geral, por José Geraldo Magalhães