Publicado por Sara de Paula em Pastoral Indigenista - 24/01/2023

Manifesto sobre a crise humanitária do povo Yanomami

Manifesto sobre a crise humanitária do povo Yanomami
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR EM PDF

“pode uma mulher esquecer-se de seu filho de peito, de maneira que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti.” - Isaías 49:15

É com sentimento de tristeza e impotência que acompanhamos a recente repercussão da crise humanitária, sanitária e nutricional estabelecida entre nossos irmãos e irmãs do Povo Indígena Yanomami, localizados no estado de Roraima. Sabemos que o Senhor não se esquece de seus filhos e filhas marginalizados(as), mas reconhecemos como Igreja e como nação, que por vezes permitimos através do esquecimento, que crises humanitárias como essa se estabeleçam.

As informações estarrecedoras da negligência do Estado brasileiro, práticas de garimpo ilegal e violação de direitos humanos na comunidade, devem nos levar à reflexão e urgente mobilização.

Segundo matéria do repórter André Verdélio, publicada no dia 23 de janeiro na Agência Brasil, “a situação de contaminação e fome já levou à morte 570 crianças nos últimos anos, sendo que 505 tinham menos de 1 ano”. O texto informa ainda que, “além disso, em 2022 foram confirmados 11.530 casos de malária na região do Distrito Sanitário Especial Indígena Ianomami. As faixas etárias mais afetadas estão entre os maiores de 50 anos, seguidas pelas faixas de 18 a 49 anos e de 5 a 11 anos”.

Diante do cenário, a Pastoral Indigenista da Igreja Metodista brasileira alerta para tais violações contra a vida humana e conclama o povo metodista de todo o país a se mobilizar:

- Realizando momentos de confissão em suas Igrejas Locais, pelo distanciamento com o qual nós, como nação e Igreja, temos olhado para as necessidades dos nossos irmãos e irmãs indígenas e indigenistas;

- Orando pelos missionários e missionárias indigenistas metodistas e de outras tradições, que socorrem e acolhem, com respeito à cultura indígena, as necessidades dos povos tradicionais no país apesar de todas as dificuldades impostas pela falta de recursos e longas distâncias;

- Cobrando a ação urgente das autoridades através do compartilhamento desse manifesto e de outros meios de denúncia da violação de direitos humanos nessa e em outras regiões;

- Comprometendo-se com a não disseminação de notícias falsas e preconceituosas a respeito dos Povos Indígenas, e com a denúncia de tais conteúdos, que são nocivos para a conscientização e o combate à crise, independentemente de posicionamentos políticos;

- Se envolvendo em ações relevantes de socorro ao Povo Yanomami, como a mobilização da Aliança Evangélica, da qual a Igreja Metodista brasileira é membro (veja mais aqui).

Oramos para que a ajuda e o consolo cheguem o mais rápido possível aos nossos irmãos e irmãs Yanomamis, na certeza de que o Senhor não se esquece de nenhum deles(as), e de nenhum de nós.

 

Pastor João Coimbra
Pastoral Indigenista da Igreja Metodista


CAMPANHA DE SOCORRO AO POVO YANOMAMI
Aliança Evangélica

 

A Aliança evangélica é solidária ao povo Yanomami e desafia a igreja brasileira a se envolver nessa causa contribuindo para que as aeronaves da Missão Asas de Socorro façam mais transporte de alimentos e insumos para as populações afetadas.

Faça sua doação pela chave PIX
pix@aliancaevangelica.org.br
acrescentando 0,20 centavos para identificação desta campanha.


Posts relacionados

Geral, Pastoral Indigenista, por Sara de Paula

Velhos Espíritos

Confira mais uma sugestão de leitura para semana indigenista 

Destaques Nacionais, Pastoral Indigenista, Mídia, por José Geraldo Magalhães

Missão Indigenista Metodista: download dos vídeos para celebrar a semana dos povos indígenas

Foram 18 dias de viagens em três estados brasileiros: Roraima, Ceará e Mato Grosso do Sul. Tempo necessário para visitar as aldeias onde há missionários/as indigenistas da Igreja Metodista. Assita aos vídeos e conheça o trabalho invísivel da Igreja Metodista com os povos indígenas.