Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Metodistas atendem mais de 300 pessoas

Carlos Alberto / Foto: Danilo Fiuza 

 A Escola Municipal Professora Marlene de Noronha, na Vila Verde, foi transformada em um verdadeiro centro de atendimento médico, odontológico, farmacêutico e laboratorial. Além de toda a estrutura de atendimento, são 80 profissionais e estagiários, entre médicos, dentistas, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, professores, músicos, administradores e outras profissões.
 A Escola Municipal Professora Marlene de Noronha, na Vila Verde, foi transformada em um verdadeiro centro de atendimento médico, odontológico, farmacêutico e laboratorial. Além de toda a estrutura de atendimento, são 80 profissionais e estagiários, entre médicos, dentistas, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, professores, músicos, administradores e outras profissões.

O que mais chama a atenção, instalados em duas salas de aula, sãos os 12 gabinetes dentários, equipados para qualquer procedimento de atendimento e tratamento odontológico.

Tudo isso está inserido no Projeto Missionário da Igreja Metodista, “Uma Semana pra Jesus”, aberto na sexta-feira (16), no Ginásio Municipal de Esportes e que se encerra amanhã (23), à tarde.

Infelizmente, por falta de divulgação ou interesse da comunidade, parte de toda essa estrutura ainda não foi totalmente usada, “por falta de gente e isso é muito frustrante para nós”, comentou Marcelo Mello Barbosa. Ele é um dos voluntários do Projeto Missionário, professor de Administração da Universidade Metodista (UniEvangélica) de Anápolis (GO). “Na segunda-feira (19) e na terça-feira (20), estávamos desanimados e havia gente com vontade de desistir. Afinal, viemos para Três Lagoas para trabalhar e oferecermos tudo o que sabemos para ajudar a comunidade”, comentou. “viemos com toda a garra e coragem”, resumiu.

Na terça-feira, as equipes missionárias de evangelização da Igreja Metodista saíram a campo, visitando casa por casa, na Vila Verde e nos bairros adjacentes. “Eles falaram do que temos para oferecer e hoje (quarta-feira, pela manhã), as pessoas já começaram a comparecer”, disse.
Pela manhã, mais de 300 pessoas haviam comparecido para atendimentos médicos e odontológicos, exames preventivos e laboratoriais, como de fezes, sangue e urina, e aviamento de receitas na farmácia, totalmente gratuita.

PROCEDIMENTOS

Em um único lugar, no caso, na escola da Vila Verde, estavam concentrados cinco diferentes procedimentos gratuitos de atendimento à saúde da população: enfermagem, farmácia, exames laboratoriais, fisioterapia e odontologia.Para cada um desses setores, havia médicos estagiários da UniEvangélica.

No setor de odontologia, ao mesmo tempo em que eram feitos atendimentos de remoção de tártaro e outros procedimentos, as crianças eram orientadas, de maneira lúdica e divertida, na chamada “oficina da escovação” de como fazer uma correta higiene bucal.

No setor de farmácia, além da distribuição gratuita de remédios a todos aqueles que portavam receitas, eram dadas orientações sobre o uso racional de medicamentos. No setor de exames laboratoriais, as pessoas tiveram oportunidade de hemograma completo, coagulograma, tipagem sanguínea, exames de glicemia e outros. Em uma das salas foi montada toda uma estrutura de um laboratório de análises clínicas, para resultado imediato dos exames.

Vale a pena aproveitar hoje e amanhã: “é pena que a gente tenha que levar parte das coisas que deveriam ficar aqui”, comentou um dos coordenadores desses procedimentos, referindo-se a remédios e enxovais de gestantes, que eram doados às futuras mães.


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães