Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

Palavra Episcopal JANEIRO DE 2006

 

Josué Adam Lazier, bispo da 4ª RE

 

Esta mesma exortação deve fazer parte da pregação da Igreja, pois as tentações para que o cristão se conforme com este século, seus valores, seus conceitos, são muito fortes e insistentes.  Facilmente o cristão pode se submeter e ceder inconscientemente. Portanto, é necessário que a Igreja seja advertida sobre tais tentações.    


"Pela renovação da vossa mente"

 

Pela ação do Espírito Santo, a mente do cristão é constantemente renovada para criar pensamentos objetivos ligados aos valores do Reino de Deus. A renovação é resultado da Graça de Deus, que oferece sempre oportunidade para o cristão reiniciar sua caminhada de fé, mas também de renovar a convicção, os votos e confiança na presença de Deus e na veracidade da Sua Palavra.

 

"Para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus"


São três maneiras pelas quais o cristão pode discernir a vontade de Deus: boa - amor ao próximo e a Deus; agradável - não resumida em gestos e sentimentos vazios, mas sim em atitudes integrais e sem resistências; perfeita - ela é perfeita porque nos transforma a tal ponto que nos leva ao compromisso com o Evangelho de Jesus Cristo. Para o apóstolo, estava claro que os cristãos experimentariam a vontade de Deus em suas vidas por meio da renovação da mente. Como cristãos transformados e consagrados, somos chamados a não nos conformar com um mundo que não professa os valores do Reino de Deus e, ao fazer isto, experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

 

3. Motivação para a Consagração

 

"Rogo-vos


O texto começa com a expressão "rogo-vos". Paulo usa várias palavras traduzidas por "exortar" e que significam: suplicar, implorar, convidar, solicitar, etc. O sentido neste texto é exortar, como um termo "empregado para designar o apelo sério, fundamentado no evangelho, aos que já são cristãos a viverem em conformidade com o evangelho que receberam".  Poucas vezes o apóstolo usa essa expressão, e quando o faz, é para tratar de assunto imediato e que precisa ser observado. Portanto, tem um sentido de urgência e de convocação. Com essa expressão, o apóstolo faz um apelo solene a todos os cristãos,   pois é Deus mesmo que os tem chamado para uma vida dedicada e comprometida com o Reino de Deus.

 

Conclusão

 

Assim, ao iniciarmos mais um ano façamos nossa dedicação a Deus para que ao longo do novo ano sejamos pessoas que evidenciam a unção de Deus através da alegria e da esperança em servir a Deus.


 



Posts relacionados