Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Racismos declarados e não declarados

Neste mês da consciência negra nós negros e negras cristãos/ãs vimos a público denunciar o racismo explícito em site do grupo autodenominado SDR – Soberanos da Revolução. Este grupo prega a superioridade branca e a extinção da “raça negra”. Algumas medidas foram tomadas como: denuncia ao Ministério Público, à Comissão da OAB, ao Senador Paulo Paim.

O racismo é uma ideologia segundo a qual existe uma escala classificatória dos grupos humanos  que varia entre superiores (brancos, caucasianos)  e inferiores (negros).

Embora  não tenha base científica esta ideologia ainda  domina  pensamentos, sentimentos e práticas de forma  inconsciente ou consciente; de forma camuflada ou de forma declarada. O racismo atinge diretamente de forma ofensiva, discriminatória, preconceituosa a um grupo social, como no caso do racismo anti-negro.

“A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei.” (Constituição Federal de 1988: Dos direitos e deveres individuais e coletivos, art. 5 – XLII). 

Como prática de nossa cidadania cristã convidamos a todos e todas cristãos/ãs a se posicionarem contra toda e qualquer prática racista.

Contra sites racistas e outras práticas declaradamente racistas conclamamos seja feita a denuncia ao Ministério público, a comissão de Direitos Humanos das Assembléias Legislativas Estaduais e divulgação para que mais pessoas também denunciem.

 Também nos declaramos contra todas as manifestações racistas por meio de preconceitos, discriminações, que se escondem através de piadas, brincadeiras e desigualdades de oportunidades que impedem a população negra de usufruir com igualdade os direitos de educação,  moradia, saúde, trabalho, uso da terra, lazer, cultura e religião, e expoem principalmente as crianças e a juventude negra, a violência e a morte.

Conclamamos a todos e todas cristão e cristãs a se posicionarem contra todas e quaisquer práticas racistas que impedem o desenvolvimento saudável das crianças negras, e impedem a ascensão socioeconômica deste grupo, que constitui a maioria da população brasileira.

Conclamamos a todas as igrejas  cristãs a dedicarem um dia deste mês para a reflexão, oração para que Deus sonde nossos pensamentos, sentimentos e práticas: onde escondemos nosso racismo?  E que seja um dia de propósitos de enfrentamento ao racismo.

Assinam:
Pastoral Nacional de Combate ao Racismo
Pastoral de Combate ao Racismo da 1ª. Região Metodista
Juventude da Pastoral de Combate ao Racismo da 1ª. Região Metodista
Pastoral de Combate ao Racismo da 2ª. Região Metodista
Pastoral de Combate ao Racismo da 5ª. Região Metodista
Ministério de Ações Afirmativas Afro decendentes da 3ª. Região Metodista

Gostaria de assinar?

Clique aqui.



Posts relacionados