Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Trindade

Quando Jesus se apresentou como o Messias, Deus encarnado, criou um grande escândalo. Embora judeus e cristãos adorassem ao mesmo Deus, os judeus não-cristãos não aceitavam que o Deus do Antigo Testamento fosse qualquer coisa além de uma única pessoa divina. Aí vem Jesus e afirma que ele também é pessoa divina, e ainda fala do Espírito Santo como uma terceira pessoa divina...A crise foi geral.

 Foi Jesus quem falou do Deus Trino. Ou seja, não havia três Deus, mas um só Deus. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo eram três pessoas divinas que formavam pela comunhão e mutualidade um só Deus.

 Os cristãos, é importante ressaltar, não deixaram de ser monoteístas (crentes na existência de um só Deus vivo e verdadeiro, adoradores de um só Deus), mas creram em Jesus e nos seus ensinamentos. Os cristãos confessavam ser monoteístas, mas era um monoteismo trinitário (três em um). Ou seja, acreditavam num único Deus; mas esse único Deus era uma comunidade formada por 3 pessoas divinas: Pai, Filho e Espírito Santo.

 João Wesley, pastor fundador da Igreja Metodista, teólogo e um dos grandes avivalistas do século XVIII, dizia sobre a Trindade: "Há três que dão testemunho no céu; e esses três são um; creio também neste fato... Que Deus é três em um. O modo pelo qual ele é três e ao mesmo tempo um, não compreendo... mas nesse modo está o mistério de Deus". E também: "Não seria um absurdo negar o fato porque não entendo o modo?".

A tarefa da teologia:pensar a fé.

Na medida em que o movimento cristão crescia e alcançava o mundo greco-romano (gentílico), foi sendo necessário explicar e explicitar essa fé trinitária: como três pessoas divinas podem ser um único Deus? Começaram a surgir muitas explicações (teologias) e algumas delas negavam a divindade de Jesus e do Espírito Santo e outras eram contraditórias com o que o texto Bíblico ensinava.

O gnosticismo negava que Jesus fosse humano. O arianismo afirmava que Jesus não era eterno, não era igual a Deus e era um ser criado por Deus. O adocionismo afirmava que Jesus era um homem que foi adotado como Filho por Deus durante o seu batismo. O nestorianismo afirma que Jesus numa hora era Deus e noutro era homem... e por aí vai.. Todas essas explicações foram consideradas não verdadeiras com o ensino de Jesus e foram condenadas como heréticas pelos Concílios Ecumênicos.

A trindade no Novo Testamento

Em lugar nenhum da Bíblia existe a palavra Trindade ou a expressão "Deus Trino". O que existe é Jesus e os seus seguidores falando de um único Deus formado por três pessoas divinas e falando das pessoas divinas com seus atributos divinos.

Como exemplo, alguns poucos textos bíblicos:

 

 "...Jesus, saiu logo da água... e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre Ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: este é o meu Filho Amado..." (Mt 3:16-17).

 "E eu (Jesus) rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador" (Jo 14:16). "...mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (Jo 14:26)

 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Mateus 11:27 

 "...Jesus, saiu logo da água... e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre Ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: este é o meu Filho Amado..." (Mt 3:16-17).

 "E eu (Jesus) rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador" (Jo 14:16). "...mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (Jo 14:26)

 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Mateus 11:27

A Trindade para os Metodistas

Como sabemos, o Metodismo foi um movimento de cunho espiritual que desejava uma reforma na Igreja Anglicana do século XVIII. Tal qual aconteceu com o cristianismo dentro do judaísmo, o metodismo foi perseguido e expulso de dentro da Igreja Anglicana, tornando-se assim uma Igreja autônoma. João Wesley, o fundador do movimento metodista, condensou os artigos de fé da Igreja Anglicana, redigindo os 25 artigos de Fé do Metodismo, uma das bases doutrinárias da fé metodista. Os quatro primeiros dos 25 Artigos de Religião do metodismo histórico, que abordam a Santa Trindade, afirmam:

1º - "Há um só Deus vivo e verdadeiro, eterno, sem corpo nem partes; de poder, sabedoria e bondade infinitos; criador e conservador de todas as coisas visíveis e invisíveis. Na unidade desta Divindade, há três pessoas de mesma substância, poder e eternidade - Pai, Filho e Espírito Santo.

2º - "O Filho, que é o verbo do Pai, verdadeiro e eterno Deus, da mesma substância do Pai, tomou a natureza humana no ventre da bendita Virgem, de maneira que duas naturezas inteiras e perfeitas, a saber, a divindade e a humanidade, se uniram em uma só pessoa para jamais se separarem, a qual pessoa é Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, que realmente sofreu, foi crucificado, morto e sepultado, para nos reconciliar com seu Pai e para ser um sacrifício não somente pelo pecado original, mas , também, pelos pecados atuais dos homens."

3º - "Cristo, na verdade, ressuscitou dentre os mortos, tomando outra vez o seu corpo com todas as coisas necessárias a uma perfeita natureza humana, com as quais subiu ao Céu e lá esta até que volte a julgar os homens, no último dia."

4º - "O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, é da mesma substância, majestade e glória com o Pai e com Filho, verdadeiro e eterno Deus".

A Igreja Metodista lançou uma carta pastoral do Colégio dos Bispos Metodistas intitulada"O Espírito Santo e o movimento carismático", onde reafirma a fé no Deus trino revelado e anunciado por Jesus. Também em um outro importante documento chamado "Plano para a Vida e Missão da Igreja Metodista", a Igreja reconhece que a Missão é de Deus (Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo) e também que "O Metodismo proclama que o poder do Espírito Santo é fundamental para a vida da comunidade da fé, tanto na piedade pessoal como no testemunho social (Jo 14:16-17). Somente sob a orientação do Espírito Santo pode a Igreja responder aos imperativos e exigências do Evangelho, transformando-se em meio de graça significativo e relevante às necessidades do mundo (Jo 16:7-11; At 1:8, 4:1-20).

Ou seja, aceitamos a herança trinitária da Igreja construída ao longo dos séculos, por entendermos que ela de fato expressa leal e teologicamente os ensinos de Jesus Cristo e de todas as Sagradas Escrituras.

Rev. Ronan Boechat de Amorim, pastor da Igreja Metodista em Vila Isabel, Rio de Janeiro


Posts relacionados

Mulheres, Geral, por Sara de Paula

Encontro de Mulheres Metodistas começa hoje na FaTeo

O evento reúne representantes de todas as Regiões Eclesiásticas da Igreja

Geral, por José Geraldo Magalhães