Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 23/05/2011

Veja os detalhes da Semana Mundial pela Paz na Palestina e Israel

Na semana de promoção da paz no Oriente Médio, de 29 de maio a 4 de junho, palestinos e israelenses vão orar pela paz em assentamentos da ocupada Cisjordânia, diante do muro de separação e em vários locais de culto em Jerusalém e na Palestina.

Essa série de iniciativas faz parte do esforço internacional para afirmar a dignidade humana e os direitos de todos os povos no marco da Semana Mundial pela Paz em Palestina e Israel, iniciativa do Foro Ecumênico Palestina-Israel (FEPI), patrocinado pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI).
 
O objetivo da semana pela paz é estimular comunidades e pessoas interessadas em dar testemunho comum em celebrações litúrgicas, seminários e atos de mobilização e promoção em favor de uma paz justa para palestinos e israelenses.
 
O pastor John Calhoun, encarregado de convocar a Semana Mundial pela Paz em Palestina e Israel, expressou: “Diante do ponto morto em que se encontra o processo de paz entre palestinos e israelenses, os crentes de diversas religiões procuram, cada vez com maior afinco, formas de expressar apoio a uma paz justa e duradoura na Palestina e em Israel”, disse o coordenador da Semana, pastor John Calhoun.

O CMI destinou esse período de sete dias para estimular igrejas e crentes à devoção e oração, à formação e educação recíprocas na busca da paz, em conformidade com as resoluções das Nações Unidas, agregou Calhoun.

As restrições do acesso de palestinos a lugares de culto na cidade santa, a demolição de moradias de palestinos em Jerusalém oriental com objeto de estender a construção de assentamentos ilegais, a negação do direito dos palestinos à reunificação familiar na cidade, a negativa das permissões de residência a muitos palestinos, como ocorreu ao bispo Suheil Dawani, da Igreja Anglicana, constituem graves violações dos direitos humanos fundamentais.


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães