Publicado por Herbert em Mulheres | 02/07/2014 às 12:23:14

Participação na Área de Políticas Públicas para Mulheres

PARTICIPAÇÃO NA ÁREA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MULHERES

DEBATE



Temos sido privilegiadas em nossa Cidade, Volta Redonda, com o belo trabalho realizado pela Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres sob a coordenação de Glória Amorim.

No dia 26 de junho de 2014 tivemos a oportunidade de mais uma vez participar de um Debate com o Tema "Um Olhar sobre as políticas Públicas para Mulheres"

Ouvimos a Profª Adelaide Maria Afonso Máximo que é Membro do Movimento de Conscientização Negra de Volta Redonda, falando sobre a saúde da mulher negra. Eu não sabia que a mulher negra está mais propensa a desenvolver de uma forma mais grave a Hipertensão e que tem 50% mais de chance de desenvolver a Diabetes Mellitus Tipo II e também a Anemia Falciforme. Mais um aprendizado!

Ainda falou sobre a mulher na mídia que é um corpo que vende cerveja, carro, apartamento e até moto. E infelizmente é uma grande verdade!

A Drª Adriana Mota falou sobre os lugares em nosso País que possuem Organização de Políticas para Mulheres, destacando que somente dois Estados (Paraná e Roraima) e duas Capitais (Boa Vista e Cuiabá) não possuem organismos de políticas para mulheres. Nos Estados do Acre e Amapá, além da existencia de um organismo estadual, todos os Municípios têm OPMs. Nos Municípios do Estado Rio de Janeiro temos 30 OPMs

E sobre as condições de trabalho, destacou a Drª Adriana que mulheres ganham em média 30% a menos que os homens e que em todo o mundo 52% das mulheres economicamente ativas já sofreran assédio sexual segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Disse ainda que a atividade principal das mulheres se dá nas áreas de educação, saúde, serviços sociais e trabalhos domésticos. Já a atividade principal dos homens se dá nas áreas da indústria, comercio e agricultura  .

A Drª Maria Madalena Delegada da DEAM destacou novamente a Lei Maria da Penha que só existe no Brasil, e que como toda lei não acaba com o crime, mas pune o/a criminoso/a. Disse ela que somos mulheres de luta e um dos frutos desta luta é a Lei Maria da Penha que é uma das três melhores leis do mundo em prol da mulher. Nestes últimos 10 anos, pasmem: mas 40.000 (quarenta mil) mulheres foram mortas!!!!!

A luta é grande pois a própria Maria da Penha depois de ficar paraplégica por um tiro que levou do  marido, ainda foi eletrocutada por ele, no chuveiro, numa segunda tentativa de matar a mulher, e ela precisou lutar por 20 anos para conseguir que aprovassem a Lei de sua autoria. Afirmou a Delegada que, o homem que agride uma vez, agride a segunda e com intensidade cada vez maior e num espaço de tempo cada vez menor.

Fico satisfeita de perceber que alguns homens nos apoiam nesta luta e participam das palestras e debates.

Muitas vezes a matéria pode parecer repetitiva, porém a violência está cada vez mais "repetitiva", e nós mulheres precisamos agir, mas para isso é necessário tomar conhecimento do que acontece à nossa volta, tanto em nossa cidade como também por todo este mundo.

Vejam bem, no dia do Debate, quinta-feira, foi assassinada a Salwa Bugaighis da Líbia .

"No mesmo dia em que votou nas eleições presidenciais líbias, Salwa Bugaighis foi morta a tiro, em sua casa, por um grupo de homens não identificado. Os agressores, encapuzados e vestidos com uniformes militares, segundo uma fonte policial. invadiram a sua casa em Benghazi, no leste da Líbia.  

A vítima ainda foi transportada para o hospital mas acabou por sucumbir aos ferimentos. O seu marido, cujos familiares confirmam que estava em casa com Bugaighis na altura do ataque, desapareceu. Um dos elementos da família afirma ter "perdido contacto com ele". O segurança que os acompanhava na altura do incidente foi alvejado e ficou ferido, mas não se encontra em perigo de vida.

Salwa Bugaighis teve especial protagonismo no desenrolar da revolução líbia, em 2011, que depôs Muammar Kadhafi. Colaborou enquanto membro do Conselho Nacional de Transição, uma ala radical que se encarregou do governo interino do país durante um período curto entre 2011 e 2012. Foi, também, vice-presidente do comité cujo objetivo era a moderação do diálogo a nível nacional.

Defensora dos direitos das mulheres, Salwa considerava o sexo feminino oprimido sob a liderança de Kadhafi. Revelou, numa entrevista ao Global Observatory, que a sua "maior preocupação é o papel da mulher no futuro". Deborah Jones, embaixadora dos EUA na Líbia, diz que deixa o legado inspirador de uma "verdadeira patriota".



Salwa uma mulher linda, jovem, destemida, que morre pela coragem de lutar pelos direitos das mulheres.


Não vire o rosto à esta foto. Vejam que barbaridade!
 


"Na Índia, duas adolescentes foram enforcadas em uma árvore após terem sofrido um brutal estupro coletivo na porta de casa, e um ministro do governo simplesmente respondeu aos protestos dizendo que estupro "é um crime social" às vezes é certo, às vezes é errado".

Isso é nojento! Mas esse não é um caso isolado. Eu mesma já fui atacada na frente de policiais de alto escalão e nada foi feito. Eu conheço o sistema, e ele tem fracassado com as mulheres da Índia. Mas acredito que podemos mudar isso juntas". Palavras de Alaphia Zoiab.
Ao primeiro-ministro indiano Narendra Modi:
600 millones de mujeres y niñas están en peligro en la India. Como ciudadanos del mundo, necesitamos unir nuestras voces a las voces de la gente de la India para exigir una acción urgente por parte de las autoridades del país para poner fin a esta epidemia de violaciones. Le pedimos que Vuestra Excelencia se apruebe el plan ejemplar e integral descrito en Womanifesto y crea su país un lugar seguro para todos los ciudadanos. (Tomado de las noticias en Internet)

Desculpem irmãs/os, mas não podemos fechar os olhos ao que anda acontecendo com as mulheres por este mundo afora. Posso ter chocado vocês, mas não cabe mais ficar calada.

Mais uma vez repasso a dica:

ONDE BUSCAR AJUDA?

A Central de Atendimento à Mulher é um serviço do Governo Federal que auxilia e orienta as mulheres vítimas de violência através do número de utilidade pública 180.

As ligações podem ser feitas gratuitamente de qualquer parte do país.

O ligue 180 foi criado pela Secretaria Especial de Políticas para as mulheres em 2005 e conta com 80 atendentes, inclusive nos feriados e finais de semana.

As atendentes da Central são capacitadas em questões de gênero, legislação, políticas governamentais para as mulheres e são orientadas para prestar informações sobre serviços disponíveis no país.


  


Glória Amorim- Secretária de Políticas Públicas em Volta Redonda, uma batalhadora.

E então mulheres, tenham coragem para conhecer e exercer todos os nossos direitos e deveres e assim lutarmos pela igualdade no emprego, no estudo e na participação da vida do nosso município, fazendo valer a nossa cidadania e participando como valorosas cidadãs no desenvolvimento da nossa comunidade, pois para isto nos mulheres metodistas ou não fomos chamadas.

Leila de Jesus Barbosa
Vice Presidente da Confederação de Mulheres Metodistas do Brasil
Vice Presidente de Área da CMMALC (Confederação de Mulheres Metodista da América Latina e do Caribe)


Tags: mulheres-2014