Publicado por Sara de Paula em Geral | 01/02/2019 às 09:57:41


SOS – Fé Brumadinho: Grupo de Trabalho é coordenado por pastor metodista



Bombeiros trabalham na localização de vitimas em Brumadinho (MG) - Foto: Ricardo Stuckert

SOS – FÉ  BRUMADINHO
(Clique aqui para baixar o documento em .PDF)


Brumadinho, 30 de janeiro de 2019.

O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.
Martin Luther King

  1. Equipe de Incursão. Uma  equipe de pastores, pastoras, psicanalistas e psicólogos de Belo Horizonte liderada pelo Pastor José Pontes, com Pr. Ronilson,  Pr. Flecha, Pr. Rafael, Pra. Neuza, Pr. Kaiser e o Pr. indiano Mukesh, passou o dia em Brumadinho (MG) para oferecer ajuda e solidariedade às pessoas que perderam membros de sua família, e levantar as prioridades e formas de atuação frente a catástrofe da Vale que afetou vidas, famílias e a cidade.
  2. A descrença. A população está asssustada e descrente com o estado, com a Vale e o município.
  3. Fé e esperança. A fé deste povo sofrido está em Deus e a confiança está na igreja cristã. “Quem tem credibilidade neste momento é a igreja cristã" disse o bispo dom Vicente.
  4.  Visita a área atingida. Durante nossa visita, estivemos em uma das áreas atingidas pela barragem. Foi muito triste ver um helicóptero levantando voo com dois corpos para o IML. Eram corpos de um pai e um filho, ambos proprietários da pousada Nova Estância, soterrada em Brumadinho. A esposa havia sido seputada um dia antes.
  5. Visitamos um dos pastores da cidade e coletamos informações úteis para agirmos na cidade e fomos conhecer a Igreja Batista Nacional Ebenezer com boa estrutura para servir de apoio a ações na cidade.
  6. Parque das Cachoeiras. Os pequenos agricultores desta região tiveram perdas de algumas casas, terras, produção, etc. 
  7. “A comunidade de agricultores do Parque das Cachoeiras está extremamente abatida. Eles viram tudo, perderam suas terras, alguns perderam suas casas, outros não, mas todos perderam a capacidade de sustento”. Acessores  da Ministra Damares e representantes dos direitos humanos , Davi e Douglas,  tem sido uma ponte fundametal para  que o estado e a igreja atuem juntos frentes às demandas  da catástrofes.
  8. Igrejas e Estado e União. Representantes das igrejas  católicas, evangélicas e membros do governo, juntos, vão promover ações para aliviar a dor da perda e  dar dignidade a um povo que sofre devido o caos instalado. O objetivo deste gt de trabalho, composto de várias entidades, estado e união e direitos humanos é estabelecer diálogo, cobrançapara que ações sejam implementadas, acompanhadas e fiscalizadas.
  9. Dados relatados na reunião. Nesta reunião no centro de comando e controle das operações. Segunedo Dra Elizabet, secretária de ação social, o Estado relatou que135 famílias ficaram desabrigadas e estão alojadas em hoteis e pousadas.
  10. Mortos. Dos 99 mortos confirmados até agora, 57 já foram identificados.
  11. Desaparecidos. Há ainda 259 pessoas desaparecidas.
     
  12. As fases da tragédia.

As forças tarefasdefiniram três fases da tragédia da Vale em Brumadinho.

a. Primeira fase.  Emergencial.

Está em plena execução por milhares de pessoas e entidades; estado, união, município, ongs, direitos humanos, igrejas, em busca de vidas, corpos e desaparecidos.

b. Fase pós emergencial.

São ações para dar continuidade e não deixar a cidade e as pessoas abandonadas, através de Registros e cadastros das familias atingidas.

c. Fase futura.  E o amanhã?- . Não se pode deixar cair  no  esquecimento e deixar o município sozinho.

c1 - Acompanhar as famílias e pessoas atingidas para  reestruturarem suas vidas e famílias até a   fase judicial, etc.

c.2 - Futuro da cidade. A cidade precisa se reestruturar. Ela depende da vale e sem ela a cidade enfrentará muitas dificulaes. Por isso algo sério precisa ser feito a favor da cidade junto a  vale e as barragens.

c.3 - O meio ambiente foi afetado e precisa ser reconstuido junto com a cidade. A reconstrução é um todo, é algo integal.

c.4- Contabilizando os danos.É impossível mensurar os prejuízos ecológicos, ambientais, economicos e psicossocial em decorrencia da tragédia da vale.
 

13 - Como ajudar neste momento?

Oração pelas pessoas atingidas, por todas as forças tarefas que estão trabalhando exaustivamente nesta fase. Constatamos que a maior necessidade é de apoio psicológico e de oração.

  1. Apoio  psicossocial.  Existe uma tagédia  interna e outra externaA fase que as vítimas vivem é de  negação e elas esperam a cada dia uma notícia sobre seus familiares desaparecidos. A necessidadeé de Oferecer apoio e cuidado prático e não invasivo as vitmas e seus familiares.
  2. Apoio com visitas consoladoras sempre acompanhada com alguém da cidade ou da  familia,etc. 
  3. Distribuição de literaturas adequadas ao momento de luto, dor.

Conclusão

O desastre é da Vale e não de Brumadinho. Ela é a empresa causadora. As perdas vão além das coisas e os familiarres pecisam de apoio psicossocial e espiritual. Em síntese, entendemos que  a causa a favor do ser humano é maior que qualquer divergência politicas,ideológica e religiosa.  Juntos somos mais fortes; Igreja e estado. O papel da igreja é essencial neste momento compondo um GT para ajudar nas políticas públicas, visando sistematizar as ações e estabelecer prioridades e valores éticos a favor das vítimas e famílias afetadas pela catástrofe.

A nossa maior luta é pela vida, pelo ser humano, pela dignidade do nosso próximo.

 

SOS Fé Brumadinho.
Rev. José Pontes Sobrinho
Coordenador do GT

 

>>> Saiba mais sobre as mobilizações em favor de vítimas do desastre da Vale: 
Bispo Roberto Alves convida as pessoas a orarem por Brumadinho
Brumadinho: barragem Córrego do Feijão se rompe e mobiliza metodistas


Tags: sem tags no momento!