Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

Boletim Setembro Projeto CEnáculo

As palavras de Jesus estão presentes em nossas orações, canções, pregações, quadros, cartazes, folhetos, carros, casas... vidas. Devem estar presentes nas mentes e nos corações. Ter as palavras de Jesus guardadas no coração não significa simplesmente decorá-las, mas vivê-las.

Citar as palavras de Jesus se tornou comum a nós, mas vermos nossas palavras citadas por Jesus, ah! Isso é extraordinário. O clamor de Jesus na cruz era uma citação das palavras de Davi. Então fiquei pensando quando Jesus faz suas as nossas palavras:

  1. Quando ele se identifica - Jesus estava na cruz identificado com nossa humanidade, tomando sobre ele toda maldição e oferecendo-se como sacrifício pelo nosso pecado. Jesus se identifica com nossas palavras quando elas revelam a verdade; quando em nossos lábios não se encontram mentiras;
  2. Quando elas têm aspecto de revelação - Davi tinha a habilidade espiritual de antever as manifestações de Deus. Ele anteviu a luta e a entrada triunfal de Jesus na glória após sua vitória. Jesus se identifica com nossas palavras quando elas trazem o conhecimento da dimensão celestial. Vão além do conhecimento natural;
  3. Quando elas têm autoridade - Jesus é citado como Filho de Davi. Deus havia dado uma promessa a Davi na qual dizia que um descendente reinaria num reino sem fim. Davi era autoridade histórica sobre o Filho do homem. Jesus se identifica com nossas palavras quando elas têm autoridade, ou seja, são fruto do exercício diário da verdade.

Amados e amadas, que as palavras do céu inundem nossas mentes e corações, e que nossas palavras inundem o céu.

Soraya Junker 


Ad-Oração e fé

Oração, um caminho para vencer crises 

  Creio firmemente que a oração é o melhor remédio para todas as crises e carências humanas. Como disse um pregador: "Orar é a chave nas mãos da fé que pode abrir o celeiro do Céu, onde estão os inesgotáveis recursos divinos". A oração com fé abre o coração para Deus gerando expectativas do mover sobrenatural do Senhor.

  É notório que devido ao momento em que vive o ser humano, há uma necessidade maior de orar. O grande pregador Moody disse o seguinte acerca da oração: "Ela é a porta pela qual Deus opera a sua vontade soberana em nossas vidas. A vida sem oração é inconcebível: Felicidade ou vitória, sem darmos graças. Esforços diários coroados de êxito, sem Deus partilhar. Problemas difíceis, sem Deus para aconselhar. Impotência e fraqueza, sem pedir auxílio a Deus. Desgostos, sem recorremos a Deus para consolação. Aflições, sem o socorro divino. Há muita solidão e tristeza numa vida sem oração. Oração não é um argumento bem idealizado; não é uma imposição; não é um meio de persuasão; não deve ser um rol de pedidos para benefício pessoal. Oração é trabalho e é poder. A oração: É uma solene correspondência entre nós e Deus. Leva à mais íntima comunhão e convivência com Deus. É a nossa respiração espiritual vitalizante. É uma transação entre nós e Deus. É um refúgio para o fraco; e um reforço para o forte. É a chave para a direção divina. É o fator mais importante para moldar o caráter em conformidade com o propósito divino. É um mandamento. É o maior privilégio que nós possuímos. É a expressão de necessidades e gratidão. Um filho de Deus vê mais apoiado nos joelhos do que um filósofo na ponta dos pés."

  Jesus iniciou e terminou o seu ministério orando; e no período que decorreu entre o seu início e o seu término, jamais deixou de relacionar-se com o Pai.

  Na Bíblia não encontramos Jesus ensinando seus discípulos a pregar e cantar, mas ele ensinou-os a orar. Isto revela que o desejo do coração do Pai é dialogar com os filhos, é manter um relacionamento de confiança em que se confidencia problemas e preocupações, bem como se aguarda encaminhamentos, direcionamentos para solucionar problemas ou direcionar a vida.

  Certo filósofo afirmou o seguinte: para chegar a Deus basta que tenhamos por Ele a mesma avidez que o peixe fora de água tem por lá voltar. Infelizmente as pessoas hoje também padecem de fome espiritual oculta. A presença de Deus na nossa vida é uma necessidade absoluta. Nenhum cristão poderá atingir apreciável crescimento espiritual sem intensiva oração, pois ela é o único veículo de correspondência entre Deus e nós e a única forma de requerer e manter a sua presença.

  Que sejamos homens e mulheres de oração como o Senhor Deus, nosso Pai, deseja.

     Pr. Hebert Junker - Igreja Metodista Central em Presidente Prudente 


Ad-Oração e Missão

  Voltando ao primeiro amor - Apocalipse 2:2-5

  Quantas vezes nós já ouvimos falar o termo "voltar ao primeiro amor" e, quantas vezes você já falou isso a respeito de sua própria vida ministerial?

  Quando penso neste termo, nesta frase, inevitavelmente me vêm à mente situações que estão relacionadas ao meu momento de maior entrega na presença do Senhor.

  Não via problemas em nada do que me era pedido;Não tinha problemas com horário e tempo de dedicação;

  Estava nas programações, anotava e recebia o máximo possível de todas elas;

  Participava de vigílias, ia ao monte, jejuava, consagrava-me; evangelizava, convidava pessoas, etc...

  Quantas ações vão sendo deixadas de lado, à medida que nos distanciamos deste falado 1º amor. Quantas posturas vão se mudando, vamos deixando de lado ações essenciais para nossa vida.

  Aprendamos, pois, com Abrão algo que Deus tem feito e vai fazer em nossa vida. Vejamos como é possível perceber 3 momentos pelos quais Abrão passou e atentou para o que Deus lhe mostrou.

  O 1º Amor - Chamado (Gênesis 12)

  Todos nós conhecemos bem a história de Abrão e sabemos que no decorrer deste texto Deus lhe faz um desafio. Chama Abrão para deixar o que tem naquele local, inclusive bens, parentela, conforto, segurança, para ir a um lugar desconhecido, ou seja, um lugar que "Deus iria mostrar".

  É muito fácil sairmos de algum lugar e ir a outro quando temos um mapa e ainda mais algumas explicações; melhor ainda quando já estivemos lá e sabemos que é bom, agradável, seguro, etc. Mas, e quando somos desafiados a ir em direção ao desconhecido?

  Entendo que neste momento percebemos uma atitude de Abrão que retrata bem o sentimento de viver o 1º amor. Ele deixa o que é necessário deixar, pega o que é necessário pegar, leva consigo sua mulher e seu sobrinho (quase filho) e o que lhe fora acrescentado, ou seja, ele não pega nada que não tenha sido conquistado por si próprio.

  Esta atitude é a mesma que nós temos quando somos convidados para vigílias, reunião de oração, círculo de intercessoras, ensaio de louvor, de dança, escola bíblica, grupo de discipulado, subir ao monte, jejuar pela igreja, orar pelos enfermos. Tudo isso é feito com a maior disposição, com a maior disponibilidade; nós arrumamos tempo, mas fazemos o que nos é pedido e fazemos com alegria, com desejo, com paixão, com fervor. Somos capazes de largar nossa comodidade para viver o novo de Deus porque vivemos o 1º amor. (...continua)

  Seu companheiro de caminhada - Pr. Denilson - I.M. em Taipas e Juventude 3RE 


 
Ad-Oração e Caráter

Nome e jeito de quem vive

"Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó, homem íntegro e reto..." Jó 1. 1 e 8

Nos últimos meses nos detivemos no estudo do caráter do ad-orador a partir do testemunho de Davi, dado pelos servos de Saul. Nesses últimos textos dentro do tema, quero compartilhar com você a partir do testemunho de Jó, dado pelo próprio Deus. Aquele que vê o interior é capaz de identificar em Jó características como: Integridade e Retidão.

Segundo estudiosos, a narrativa, cheia de sabedoria, não é situada em tempo preciso na história, dando-lhe um caráter mais universal, identificado como drama, independente de seu conhecimento de Deus.

Integridade e retidão são características que apontam para inteireza de coração; real motivação de nossas ações. Se observarmos a exortação do Senhor à Igreja de Sardes, veremos a citação: "conheço as tuas obras... não tenho achado íntegras as tuas obras" e diz: "tens nome de que vives e estás morto". Ap 3.1-3.

O sábio diz, em provérbios, que do coração procedem as fontes da vida. Podemos realizar muitas obras em nome do Senhor, mas o que deve pesar é a motivação que nos leva a fazê-las. Queremos ser contatos entre os bons, os aprovados, ou simplesmente agradar a Deus?

Há muitos anos atrás, no início de nossa caminhada ministerial como casal, Deus nos fez uma pergunta: A quem vocês querem agradar? Respondemos: A Ti, Senhor! Então, Ele nos disse que fatalmente desagradaríamos a muitos homens.

Ser íntegro significa ter padrões interiores de atitude. Não faz diferença se o que estou administrando são centavos ou milhões, meu padrão interior determinará minhas ações de forma correta. Não haverá mentira, nem pequena, nem grande. Não haverá roubo, nem de centavos, nem de milhões. Não haverá engano, nem nas coisas do cotidiano, nem na obra.

Ser íntegro significa optar pela vida do "interior". É uma proposta de vida que se contrapõe à superficialidade, pois a aparência não revela verdade se ela não existir interiormente. Não adianta orar publicamente se isso não for a exposição de minha vida íntima; não adianta só dobrar os joelhos se o coração não estiver rendido; não adianta só levantar as mãos se não o fizer juntamente com o coração. Ser íntegro é viver e transparecer a verdade. 

Ad-oradores/as, vivamos a verdade e a Vida de Deus fluirá de nós em ações aprovadas, com nome e jeito de quem vive.

Amo vocês. Soraya de Lima Junker - Min. Toque de Poder 


Ad-Oradores em ação

CAMPANHA REGIONAL DE ORAÇÃO PELO 38º CONCÍLIO

- Vamos nos unir nesse movimento de oração pelo 38º Concílio Regional, de 17 de agosto a 17 de novembro, e deixar que Deus "aproveite o tempo determinado". Sl 75.2

Você está recebendo um cartão pessoal de compromisso com os motivos de oração. Escreva seu nome, mantenha com você e ore em todo o tempo pelos motivos da semana/mês.

Estimule sua igreja a assumir esse compromisso, reservando um momento de intercessão nos cultos para orar pelos motivos citados e mais:

1- Pelo Bispo Adriel, como presidente. Que Seja sobre ele o Espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento e temor do Senhor. Isaías 11.2

2- Pelos delegados (Clérigos e leigos). Que lhes seja confirmada a vontade de Deus no coração. "Filhos meus, não sejais negligentes, pois o Senhor vos escolheu para estardes diante dele, para o servirdes, para serdes seus ministros e queimardes incenso". 2 Cr 29.11

3- Pelo Local, infra-estrutura e colaboradores. Que sejam testemunhas da ação de um Deus que não conhece fronteiras, transformando aquele lugar em casa de oração. "A minha casa será chamada casa de oração". Mt 21.13

4- Pelas Igrejas. Que se levantem como mediadoras da graça de Deus, com orações relâmpago em favor desse momento. "... orando em todo o tempo no Espírito..." - Ef 6.18

5- Pelos documentos, projetos, propostas e eleições. Que sejam encaminhados, discutidos e votados à luz das exortações de Paulo à Igreja em Efésios 4.25-32 


Agenda

VIGÍLIA REGIONAL DE ORAÇÃO

"Há um tempo certo para todo propósito debaixo do céu". Ec 3.1

"Chronos e Kairós" foi o tema da Vigília Regional, dia 17 de agosto, na Catedral Metodista em São Paulo. Com a presença do Bispo Adriel, 13 pastores e 122 leigos (32 Igrejas), o momento transcorreu num clima de fraternidade, alegria e adoração, intercalado por momentos de contrição e intercessão pelos presentes, Igreja, congressos e 38º Concílio Regional.

Ao depositarem seus relógios no altar, os participantes sinalizaram sua entrega desse tempo a Deus, em adoração, reconhecendo-O Deus de eternidade a eternidade. Uma total sujeição à manifestação de Seu tempo (Kairós) em nosso tempo (Chronos).

Dinâmicas, cânticos, palavras, testemunhos e muita oração, fizeram as horas passarem sem que percebêssemos.

Às 5h da manhã foi lançada, oficialmente, pelo Bispo Adriel, a Campanha Regional de Oração pelo 38º Concílio: "90 dias de orações relâmpago", elaborada pelo Projeto Cenáculo. Os presentes receberam ampulhetas, símbolo da campanha, e um cartão pessoal de compromisso de oração. A Vigília foi encerrada com a ministração da Ceia do Senhor e um delicioso Café com Comunhão.

"Quando se entra na presença de Deus displicentemente corre-se o risco de sair mudo, sem poder testemunhar. É tempo de crer que na presença de Deus as coisas são transformadas".  Argemiro Lima - Ministrou sobre Chronos.

"Vivemos o tempo de Deus (Kairós) para a vida das nossas Igrejas. Jesus começou o seu ministério focalizando: "O tempo está cumprido e o Reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no Evangelho" (Mc 1.15). É tempo de darmos meia-volta e olharmos para o tempo de Deus para o nosso povo. No nosso tempo (Chronos) sejamos atentos ao tempo de Deus (Kairós). Bispo Adriel de Souza Maia - Ministrou sobre Kairós

Ministério Toque de Poder - Coord. Projeto Cenáculo 

VEM AÍ - AD-ORAÇÃO REGIONAL 2007

(retiro de adoradores e intercessores) 

Data: De 9 a 11 de novembro

Tema: Em Sua presença há refrigério. At 3.20

Ministrantes:

Bispo Adriel Maia

Miss. Dione Fernandes - Paraíba

Davi Passamani - Min. Ipiranga/SP

Ministério Toque de Poder

E muito mais... você não pode perder.

Valor do Investimento: R$ 130,00 (+ 20,00 c/ ônibus)

Local: Recanto Alpha e ômega ( Vale Encantado)  - Biritiba Mirim/SP

Mais informações: (11) 3288 9276 

 

 


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães