Publicado por Sara de Paula em Destaques Nacionais - 25/09/2021

Dia da Pessoa Surda | Setembro Azul

lirbas-478-800x568.jpg

O mês de setembro é muito significativo para a comunidade surda brasileira, pois são várias datas importantes para o grupo. No dia 23/09 é o Dia Internacional da Língua de Sinais, no dia 26/09 comemora-se o Dia da Pessoa Surda e no dia 30/09 celebra-se o Dia do(a) Tradutor(a) e Intérprete em Língua de Sinais. Deve-se destacar, ainda, que durante todo o mês é celebrado o “Setembro Azul”, um mês de lutas e de celebrações das mais variadas conquistas da comunidade surda.

O Dia Nacional da Pessoa Surda é comemorado no dia 26 de setembro e foi criado pela lei nº 11.796/2008 com o objetivo de trazer luz à reflexão que envolvem as lutas e os direitos das pessoas surdas, assim como destacar as políticas voltadas á pessoa surda e garantia do usufruto de plena cidadania desta importante parcela de nossa população. Segundo o IBGE, mais de 24% da população apresenta algum tipo de deficiência e desse contingente, contamos com 10 milhões de surdos.

O dia 26 de setembro foi escolhido como Dia Nacional da Pessoa Surda por ser o aniversário de fundação do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES). A instituição comemorará 164 anos de sua fundação no corrente ano. O instituto foi criado em meados do século XIX, durante o reinado de D. Pedro II, por um surdo francês, E. Huet, inicialmente a instituição foi denominada Colégio Nacional para Surdos-Mudos, e com o passar dos anos foi alterando seu nome até chegar à denominação atual, INES.

É necessário destacar que a cor azul é escolhida em homenagem às pessoas surdas que morreram na Alemanha durante o nazismo, pois eram identificadas com uma faixa azul amarrada ao braço. O azul é usado como afirmação do orgulho surdo pela língua brasileira de sinais (libras) e por sua cultura, e como defesa das escolas bilíngues para surdos(as), também com respaldo na referida Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Sabemos que a prática de verdadeira inclusão ainda é uma luta diária para muitas pessoas com deficiência, mas devemos insistir na caminhada pois temos acompanhado dia a dia diversas conquistas no âmbito da inclusão. É notório que a luta pelo reconhecimento da Libras (Língua Brasileira de Sinais) é muito antiga, mas foi coroada com a promulgação da Lei 10. 426 no dia 24 de abril de 2002, que garantiu o status de língua à Libras. Com a promulgação da lei, a Libras passou a ser reconhecida como um meio legal de comunicação e expressão dos surdos. Certamente, foi uma grande vitória da comunidade surda, mas é preciso lembrar que ainda hoje os surdos e surdas precisam lutar diariamente para eliminar do vocabulário da população em geral, expressões tais como: mudo, mudinho, linguagem, mímica, balé das mãos e expressão com mãos, entre outras que contenham um cunho pejorativo. Sabe-se que muitas vitórias mais, virão e para tal é necessário que a comunidade surda persevere e continue caminhando rumo às novas conquistas. E que, nós, como povo de Deus continuemos criando momentos favoráveis à reflexão e ações que promovam acessibilidade e inclusão dessa parcela da população em nossas comunidades de fé, uma vez, que os surdos fazem parte dos povos não alcançados e que apenas 1% dos surdos e surdas se declara cristão(ã). Caminhemos rumo a transformar esta realidade.

 

Magali Nicolau de O. Araújo
Pessoa de referência para inclusão da pessoa com deficiência na 8ª Região Eclesiástica


Posts relacionados

Destaques Nacionais, por Sara de Paula

Orando e trabalhando pela paz em Cuba

Com muita dor e preocupação estamos olhando o que acontece em diferentes lugares de Cuba. Também vimos as declarações do Presidente da República.  Em nome da Igreja Metodista em Cuba, afirmamos nossa vocação pela paz, nunca um chamado que envolva enfrentar nosso povo pode ser a solução para nossas várias dificuldades.