Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

dia mundial da água

 

 "À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. E viu Deus que isso era bom"

Gênesis 1.10

Mais de 1,5 milhão de crianças morrem anualmente por falta de água potável

GENEBRA, 28 Set (AFP) - Mais de um milhão e meio de crianças com menos de cinco anos morrem anualmente - 4.200 diariamente - devido à falta de água potável, informou o Fundo das Nações Unidades para a Infância (Unicef).

No total, mais de um bilhão de pessoas no mundo não têm acesso à água potável, enquanto 2,6 bilhões são desprovidas de qualquer tipo de saneamento básico, lamentou o Unicef no relatório intitulado "Progresso para as Crianças".


O Dia Mundial da Água foi criado pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas em 1993, que declarou a água potável como um "direito humano"  . Entretanto, no momento em que a população mundial atinge a marca de 6 bilhões de pessoas, o planeta ruma na direção de uma escassez crônica de água.

Leia, a seguir, trecho de uma entrevista dada pelo bispo João Somane Machado, de Moçambique, à revista New World Outlook, publicação da Igreja Metodista Unida, dos Estados Unidos.

A escassez de água potável e a carência de saúde e educação fazem da vida um constante desafio em Moçambique, mas a fé em Deus está viva e crescente. Enfrentar estes problemas é parte do que significa "ser igreja", afirma o bispo da Igreja Metodista Unida na África (Moçambique é uma das "conferências" - ou regiões, como chamamos aqui - da Igreja Metodista nos Estados Unidos). "Em meu país, perfurar um poço é evangelização", diz o Bispo João Somane Machado. "Ensinar mulheres a ler é evangelização (cerca de 80% das mulheres são analfabetas). Construir uma pequena igreja é evangelização, e dar remédio contra malária é evangelização. Você está respondendo às necessidades das pessoas e espalhando o amor de Deus ao mesmo tempo".

As vidas de muitas pessoais são verdadeiros milagres em face das condições diárias. "Eu visitei uma escola rural recentemente e vi umas cem garrafas de vidro, de diferentes tamanhos e formas, enfileiradas do lado da sala. Elas estavam cheias de líquidos de cores diferentes, pendendo para o verde e o marrom. Eu não podia imaginar o que eram aqueles líquidos e perguntei à professora. Ela disse que era água, que cada criança havia trazido de sua casa, como uma forma de pagamento pelas aulas", conta o bispo Machado. A professora revelou: "Se você ou eu bebêssemos desta água, nós estaríamos mortos. Mas isto é tudo o que essas crianças têm para beber, e elas sobrevivem... às vezes".

Para ler esta entrevista na íntegra, clique aqui.


Se mantidos os atuais padrões de crescimento, a previsão é de que a população global chegue a 8 bilhões, em 2025, aumentando drasticamente a demanda e agravando os conflitos ocasionados pela escassez.  Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, estima-se que cerca de uma entre seis pessoas não tem acesso à água potável.

A falta de saneamento básico e de água potável constitui das principais causas de pobreza e da disparidade crescente entre ricos e pobres, salienta também a OMS. Fonte: site
www.jornaldaciencia.org.br
, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

Água: tesouro brasileiro

Muito se fala em falta de água e que, num futuro próximo, teremos uma guerra em busca de água potável. O Brasil é um país privilegiado, pois aqui estão 11,6% de toda a água doce do planeta. Aqui também se encontram o maior rio do mundo - o Amazonas - e o maior reservatório de água subterrânea do planeta - o Sistema Aqüífero Guarani.

No entanto, essa água está mal distribuída: 70% das águas doces do Brasil estão na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população. Essa distribuição irregular deixa apenas 3% de água para o Nordeste. Essa é a causa do problema de escassez de água verificado em alguns pontos do país. Em Pernambuco existem apenas 1.320 litros de água por ano por habitante e no Distrito Federal essa média é de 1.700 litros, quando o recomendado são 2.000 litros.

Mas, ainda assim, não se chega nem próximo à situação de países como Egito, África do Sul, Síria, Jordânia, Israel, Líbano, Haiti, Turquia, Paquistão, Iraque e Índia, onde os problemas com recursos hídricos já chegam a níveis críticos.  Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. O que se deve saber é que apesar de haver 1,3 milhão de km3 livre na Terra, segundo dados do Ministério Público Federal, nem sequer 1% desse total pode ser economicamente utilizado, sendo que 97% dessa água se encontra em áreas subterrâneas, formando os aqüíferos, ainda inacessíveis pelas tecnologias existentes. 

Políticas públicas e um melhor gerenciamento dos recursos hídricos em todos os países tornam-se hoje essenciais para a manutenção da qualidade de vida dos povos. Se o problema de escassez já existente em algumas regiões não for resolvido, ele se tornará um entrave à continuidade do desenvolvimento do país, resultando em problemas sociais, de saúde, entre outros.  Fonte: site www.ambientebrasil.com.br

E o que nós vamos fazer a esse respeito? Pense nisso, antes de abrir a torneira...

Existe água parada na sua casa? Leia o artigo: Crente também pega dengue, do Rev. José Roberto Alves Loiola

 


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães