Publicado por Herbert em Mulheres - 04/04/2014

Dia Mundial de Oração (DMO) e Dia Internacional da Mulher

No dia 9 de março de 2014 a Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista Central, realizou um Culto Ecumênico em comemoração a duas datas muito importantes para nós, que são o Dia Mundial de Oração e o Dia Internacional da Mulher.
 

O programa preparado pelo DMO (mulheres do Egito) e também a liturgia do Dia Internacional da Mulher enviada pela presidente da CMMALC, irmã Ivonne Pereira Dìaz, foram adaptados pela Presidente da Sociedade, irmã Leila de Jesus Barbosa.

Tivemos a participação de muitos visitantes de outras Igrejas como: Presbiterianas; Metodistas; Batistas e Católicas. Foi uma alegria enorme estarmos juntos/as, celebrando este culto. Ficamos muito felizes mesmo, principalmente com a presença das/os irmãs/os católicos, pois isso não me lembro de já haver presenciado em minha Igreja. Uma benção de verdade!                                                              

A participação dos jovens no louvor foi maravilhosa. Este momento alegre também foi de confraternização e de demonstração de carinho com os  cumprimentos aos nossos visitantes, podendo dizer cantando "Não importa a Igreja que tu és...se o teu coração é igual a meu, dá-me a mão e meu irmão serás!!!" Logo em seguida o momento de ofertório, quando tivemos a oportunidade de ofertar um pouco para ajudarmos  três instituições que são: Associação Presbiteriana de Ação Social em Campinas que cuida e protege crianças e adolescentes de 6 a 14 anos; Associação Mantenedora Pandorga em São Leopoldo Rio Grande do Sul, que oferece um espaço de vida para autistas e Casa Maria e Marta em Curitiba, que atende meninas em situação de risco.

 


 

A Pastora Christina Klnig foi a mensageira da noite falando sobre "Mananciais do Deserto". Porém, além da palavra abençoada, ela nos presenteou com um solo lindíssimo, cantando "Oh meu Deus" de Davi Montenegro.

Depois da mensagem tivemos um momento muito especial, quando alguns homens da Igreja tiveram o privilégio de entregar a cada mulher um regalito em forma de "pão árabe com a gostosa pasta de "homus terrine". A idéia foi presentear as mulheres pelo Dia Internacional, mas servindo uma iguaria que faz parte da cultura egípcia que afinal, foram elas que preparam o Culto do DMO. E foi muito bom!

Claro que depois do culto eles também ganharam o regalito!

Dentro da programação  colocamos um vídeo sobre o Egito, enviado pelo DMO.

Maravilhoso também foi quando passamos outro vídeo, que nos foi enviado como uma contribuição dos jovens da Igreja, e que emocionou demais a todos. O nome é "WHO ARE YOU" que significa "Quem é você".



No final do culto, antes dos abraços de todos/as, o grupo coral cantou lindamente a "Benção Antiga".

Mais uma vez as mulheres se fizeram presentes e participaram de mais uma programação do Dia Mundial de Oração e Dia Internacional da Mulher, datas que sempre foram comemoradas em nossa Igreja, e que tão bem faz ao nosso coração. Pois nossas comemorações são sempre em ação de graças a Deus pela vida das mulheres, sempre lembrando e pedindo a Deus pelas que tanto têm lutado nesta vida para poderem sobreviver, como as mulheres do Egito.

Leila de Jesus Barbosa
Presidente da SMM da Igreja Central em Volta Redonda


Tags: mulheres-2014


Posts relacionados

Expositor Cristão, Mulheres, Pastoral dos Direitos Humanos, Geral, por Sara de Paula

Carta Aberta da Sociedade de Mulheres contra a Cultura do Estupro

O texto faz referência ao estupro coletivo que aconteceu no Rio de Janeiro, contra uma adolescente de 16 anos

Expositor Cristão, Destaques Nacionais, Mulheres, Geral, por Marcelo Ramiro

Expositor Cristão: Qual o lugar de homens e mulheres na Igreja?

É menino, é menina! O resultado no ultrassom é a entrada para o mundo, a partir daí roupas rosas e azuis dominam o enxoval e os carrinhos e bonecas, os quartos. Mais tarde, a criançada entra na brincadeira meninos X meninas. A brincadeira passa e a coisa fica séria, se fortalecem a competição e as relações desiguais entre homens e mulheres... Até quando?

Mulheres, por José Geraldo Magalhães