Publicado por Sara de Paula em Destaques Nacionais - 09/04/2021

Educação Metodista busca reestruturar suas instituições de ensino

Tradicional grupo de educação protocolou cautelar com o objetivo de elaborar um plano de recuperação

 

A Educação Metodista deu entrada, nesta sexta-feira (09/04), com uma cautelar antecedente à Recuperação Judicial no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS). O tradicional grupo de educação busca a reestruturação de suas instituições de ensino superior e básica a fim de garantir sua sustentabilidade e preservar a qualidade acadêmico-pedagógica. A cautelar é um mecanismo legal que garante proteção judicial para que a instituição em dificuldades financeiras possa se reorganizar e apresentar um plano de recuperação.

Com o pedido, as instituições metodistas de educação pretendem antecipar parte dos efeitos da recuperação judicial (RJ), conservando sua capacidade de operação e oferecendo proteção judicial a todos os seus credores.

A Educação Metodista inaugurou sua primeira unidade no Brasil em 1881 e sua escola mais antiga está localizada no Rio Grande do Sul. Atualmente, conta com 11 colégios e 6 instituições de ensino superior (2 universidades, 2 centros universitários e 2 faculdades), que oferecem 80 cursos presenciais e 25 cursos na modalidade EAD nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. A instituição emprega cerca de 3 mil funcionários, dos quais 1.200 são docentes, e atende 19 mil alunos da educação básica ao ensino superior.

Desde 2015, a Educação Metodista vem enfrentando uma redução significativa do número de alunos, o que provocou um forte impacto na receita e o consequente desequilíbrio financeiro. A crise das instituições metodistas de educação teve início com a mudança nas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e se acentuou com o cenário econômico de recessão dos últimos anos. A pandemia de Covid-19 agravou a situação da Educação Metodista.

Diante deste contexto, o grupo educacional adotou todas as medidas possíveis para reduzir perdas e preservar escolas e instituições de ensino superior. Neste sentido, a Educação Metodista optou pela recuperação judicial a fim de manter suas atividades acadêmicas.

“Estamos confiantes de que a Recuperação Judicial poderá restabelecer a Educação Metodista, preservando nossa comunidade acadêmica e assegurando um ensino de qualidade para todos os nossos alunos. Por meio deste processo, também esperamos garantir proteção judicial a todos os nossos credores”, afirma Aser Gonçalves Junior, diretor de operações estratégicas da Educação Metodista.

Sobre a Educação Metodista

Tradicional grupo cristão de ensino, a Educação Metodista iniciou suas atividades no Brasil em 1881 e sua escola mais antiga está localizada no Rio Grande do Sul. Em 1975, a mantenedora fundou a Unimep, primeira universidade metodista da América Latina. Atualmente, integram a rede 11 colégios e 6 instituições de ensino superior, com cursos de graduação, mestrado, doutorado e especializações no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Fonte: Educação Metodista do Brasil


Posts relacionados

Destaques Nacionais, por José Geraldo Magalhães

A propósito de Consciências e questões que soam inoportunas aos ouvidos dos silencionistas

Ele está chegando. E como sempre sua proximidade já causa certo desconforto. Leia essa reflexão sobre o dia da Conciência Negra!

Destaques Nacionais, por José Geraldo Magalhães

Igrejas Históricas emitem pronunciamento sobre as eleições 2014

As igrejas evangélicas históricas do Brasil, em virtude da realização das eleições gerais em 5 de outubro (1º turno) e em 26 de outubro (2º turno) e considerando o papel de seus membros no exercício pleno da cidadania, bem como o comprometimento dessas igrejas com o Estado democrático de direito e o seu reconhecimento e apoio às instituições democráticas, expressas nos Poderes constituídos da República, vêm junto a seus membros e à sociedade brasileira em geral fazer o seguinte pronunciamento. Saiba mais!