Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 08/01/2012

Elias Boaventura, ex-reitor da Unimep, morre aos 74 anos

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. (Salmo 23.4)

 É com pesar que informamos o falecimento do Dr. Elias Boaventura, ex-reitor da UNIMEP, ocorrido por volta da meia noite de sábado, 7 de janeiro. Elias ficou 20 dias internado na UTI após um grave AVC (acidente vascular cerebral), mas não resistiu.                          

O corpo está no Salão Nobre do Colégio Piracicabano da  UNIMEP e será sepultado neste domingo,  08 de janeiro, às 17h no Cemitério Parque da Ressurreição. A saída do Salão Nobre será às 16h30.

O Bispo Josué está dando o apoio pastoral à familia do Prof. Elias Boaventura e o Bispo Stanley da Silva Moraes está representando o colégio Episcopal da Igreja Metodista.

 

Veja também: abaixo matéria publicada na EPTV GLOBO de Piracicaba

Elias Boaventura, ex-reitor da Unimep, morre aos 74 anos
Professor estava internado desde o dia 19 de dezembro

EPTV.com - Suzana Amyuni

Elias Boaventura, ex-reitor da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) faleceu aos 74 anos, na noite deste sábado (7) em decorrência de um  AVC hemorrágico.
O professor estava internado no Hospital Santa Isabel, em Piracicaba, desde o dia 19 de dezembro, data em que foi acometido pelo AVC. Boaventura passou por duas cirurgias depois disso, mas entrou em coma profundo, de onde não saiu mais.
“Ele lutou até o fim. É uma grande perda, ele era o meu companheiro, o meu amor. Como isso é difícil”, comentou a esposa do professor, Sylvana Zein.

A perda abalou familiares, amigos e a própria educação. “Meu pai era muito querido, por tudo que já fez. E, aliás, ele fez muito por muita gente. Era um grande exemplo”, reforçou Rodrigo Boaventura.

Trajetória - Mineiro de Coimbra, Elias Boaventura era professor da Pós-Graduação em Educação na Unimep. Graduado em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Marcelina (MG), mestre em Filosofia da Educação pela Unimep e doutor em Educação pela Unicamp, era também membro da Academia Granberyense de Letras, Artes e Ciências.

Foi reitor da Unimep entre 1978 e 1985, época marcada por grandes acontecimentos que projetaram a instituição em nível nacional como uma universidade compromissada com as questões sociais e políticas.

Em uma conjuntura de resistência ao regime ditatorial, a Unimep se afirmou como um espaço de debates e crítica, quando permitiu a realização de eventos proibidos pelo Estado, como os congressos da UNE (União Nacional dos Estudantes), e estimulou a defesa do reatamento das relações Brasil e Cuba e defendeu a causa palestina
Marcas

Foi na época em que Elias Boaventura era reitor que a universidade foi palco de encontros que discutiram questões sociais, políticas e educacionais, tais como o seminário internacional de educação popular, ocorrido em 1983, e os seminários nacionais, de 1984 a 1987.

Estes espaços também foram ocupados pelos movimentos populares da região, a exemplo dos congressos dos favelados promovidos pela Associação dos Favelados de Piracicaba (Asfap) e sediados pela instituição desde 1983.

Em 1995 recebeu o título de “Dr. Honoris Causa” da Unimep e também o título de “Cidadão Piracicabano”. Enfim, participou ativamente dos diferentes momentos – de formação, caracterização, conquistas e crises – vividos pela Unimep em seus mais de 30 anos, tornando-se parte efetiva de sua história.

Sempre se posicionou! Defendeu seus princípios durante toda a crise de 2006, quando 149 docentes foram demitidos pela internet e sem justa causa, colocando à frente as necessidades do ser humano, a importância da valorização de cada um, o respeito e cultivo às diferenças.

Despedida - O corpo de Elias Boaventura será velado no Salão Nobre do Colégio Piracicabano a partir das 7h30 deste domingo (8). O enterro está marcado para às 17h, no Cemitério Parque da Saudade. O Colégio Piracicabano fica na Rua Boa Morte, 1.257, Centro.


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Igreja Metodista da Alemanha arrecada “presente de Natal” para missão indigenista brasileira

Para o Natal de 2022, metodistas da Alemanha promovem um mobilização em prol da missão metodista brasileira junto aos povos indígenas. No material da campanha, a igreja alemã destaca a importância de proteger os espaços e fortalecer a identidade de indígenas brasileiros(as). As imagens chamam a atenção para crianças indígenas, e informam como elas brincam, conversam, recebem ajuda escolar e encontram amigos em lugares como a Missão Tapeporã, em Dourados (MS), local onde também aprendem sobre a fé em Jesus Cristo. Saiba como doar no Brasil.

Geral, por Sara de Paula

Comunicado Institucional | Jejum e Oração pela Pátria | 2ª Região Eclesiástica

A data de sete de setembro, deste ano, nos lembra dos 199 anos de independência da Monarquia Portuguesa. Uma data significativa que remonta os primórdios de fundação de nosso País, com todas as contradições históricas. Como cristãos e cristãs metodistas devemos orar permanentemente pela nossa Pátria, constituída pelos nossos povos nativos, somado a tantas outras etnias que para cá vieram, de diferentes lugares e pelas mais diversas razões, ao longo de cinco séculos. Esta realidade é responsável pela a amálgama social, que nos constitui como único povo brasileiro. Como cristãos e cristãs metodistas acreditamos na separação entre Estado e Igreja, e que nenhuma forma de governo e pessoas, alçadas à condição de governantes, podem ser consideradas como legítimas representantes de uma Teocracia instaurada aqui na terra.

Geral, por José Geraldo Magalhães