Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

Igreja e Aids

TORONTO, 14 de agosto (ALC) - O pastor Rick Warren, autor do livro "Uma vida com propósito", que alcançou sucesso mundial, disse que as igrejas cristãs têm que responder de forma ativa à pandemia do HIV/Aids, pois são as únicas capazes de detê-la.
 
O fundador da Igreja Saddleback, em Lake Forest, Califórnia, e sua esposa, Kay, que dirige o trabalho da denominação voltado ao combate do HIV/Aids, participaram de reunião ecumênica que antecedeu a XVI Conferência Internacional sobre Aids, reunida desde ontem nesta cidade.
Coordenada pela Aliança Ecumênica de Ação Mundial e com o auspício do Conselho Canadense de Igrejas, a pré-conferência ecumênica congregou, dias 10 a 12 de agosto, cerca de 500 pessoas, representantes de igrejas e grupos de inspiração religiosa, que se prepararam para melhor participar no que está sendo proclamado como a maior conferência internacional sobre Aids realizada até o momento.
 
"Vir aqui equivale a fazer uma declaração: cremos que as igrejas devem envolver-se no que é a  maior crise sanitária no mundo", disse Warren para a imprensa, explicando sua presença num ambiente que arqueou algumas sobrancelhas em ambientes evangelicais.
Para Warren, as igrejas têm que superar mitos e medos em torno do tema, dar um salto e responder à pandemia "sem distinção de denominações: católicos, protestantes, pentecostais, todos". Por quê? Porque ele acredita que é isso que Jesus faria, "esse era o lugar onde ele estaria hoje", disse.
 
Além disso, argumentou, assim procedendo se está em sintonia com a tradição, uma vez que 90% dos hospitais e escolas no mundo foram iniciadas por igrejas e missionários.
A mensagem de Warren também tem destinatários fora das igrejas, lembrando-os que elas estão fazendo muito no âmbito do combate ao HIV/Aids. "Nós, gente de fé, somos parte da solução. Estamos aqui, importa-nos, queremos trabalhar com vocês e esperamos que queiram trabalhar conosco", disse.
Warren admitiu que eles nunca estarão de acordo em todos os temas, mas em "assuntos como HIV/Aids, pobreza, malária, analfabetismo, não são problemas religiosos, mas humanos".
 
De acordo com o pastor, as igrejas têm muito a oferecer numa resposta global à pandemia. Primeiro, elas podem contribuir para reduzir o estigma moral e social associado à condição do soropositivo. Segundo, elas dispõem da maior rede organizativa que existe no mundo. "Em milhares de vilarejos, onde não há escola nem clínica, e nunca existirão, há uma igreja", destacou. Terceiro, as igrejas são a maior fonte de voluntários que há. "Com 2,3 milhões de membros no mundo podemos reunir mais voluntários que todas as ONGs juntas", arrolou.
Mas a maior contribuição das igrejas, segundo Warren, é, na realidade, de outra ordem. "Há uma diferença entre frear a pandemia e detê-la. Usar camisinha, limitar o número de casais sexuais, prover os usuários de drogas com agulhas para que não tenham que compartilhá-las, todas essas coisas podem frear a pandemia, mas não detê-la. Isso só pode ser alcançado por uma série de atitudes que envolvem a fé, como ficar num só matrimônio ou ser fiel dentro dele".
 
Com uma ênfase que os críticos assinalaram como demasiadamente centrada nas condutas individuais, Warren afirma que "faz falta uma motivação além de mim mesmo para que limite minha liberdade. Nem o sentido comum nem a consciência de minha possível autodestruição são eficazes, se não reconheço que sou chamado a uma vocação maior", disse. As igrejas têm a autoridade moral para apresentar ao mundo as "referências de Deus", agregou.
O pastor advoga uma ampla mobilização das igrejas locais em todo o mundo que, convocando milhares de voluntários, converta-as em centros de cuidado e consolo, de teste voluntário para o HIV, de distribuição de medicamentos e alimentos.
 
Qual é, então, a contribuição específica e distintiva que os cristãos podem oferecer para responder à pandemia, perguntaram a Warren, que respondeu: "Oferecer esperança numa situação em que muitos sentem desespero".
Ele lembrou a mensagem central do seu livro, que vendeu mais de 25 milhões de exemplares no mundo: "Ninguém é um acidente; Deus tem um propósito para a vida de cada um de nós".
 

----------------------------------------------------------------
Agencia Latinoamericana y Caribeña de Comunicación
Apartado postal 14-225 Lima 14 Perú
Tel. (51 1) 242-7312 - Correo-e:
director@alcnoticias.org
http://www.alcnoticias.org - http://www.alcpress.org

LEIA TAMBÉM:

Líderes religiosos não podem fugir ao problema da Aids.


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Em oração | 24.07.2020

Com o objetivo de mobilizar pessoas a orarem semanalmente e diariamente pelos propósitos selecionados pela área nacional da Igreja Metodista, te convidamos a participar da campanha EM ORAÇÃO. O versículo que conduz a campanha lembra a importância da oração para fazer qualquer coisa: ...porque sem mim nada podeis fazer. (João 15:5b).

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães