Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Jornal evangélico mais antigo em circulação completa 125 anos

Jornal Expositor Cristão completa 125 anos de pluralidade

“A Redação do Methodista Catholico julga ser do seu dever explicar o seu programrna. Sendo esta folha orgão da Igreja Methodista Episcopal no Brazil, portanto o nome Methodista: abraçando a religião christã em toda a sua plenitude, e fraternisando com todos que creem em Deus e amam a Nosso Senhor Jesus Christo, portanto o termo Catholico.

Nosso programma é simplicissimo. Todos os numeros terão as competentes Lições Internacionaes para as Escolas Dominicaes; um ou mais "artigos doutrinarios; e o melhor que podemos colher dos jornaes brazileiros sobre as grandes questões do dia, tanto religiosas como moraes e sociologicas.

Pedimos de todas as Igrejas Evangelicas noticias suas para que o publico fique sciente do progresso do Evangelho.

Desejamos fazer uma folha que sirva de leitura agradavel a todos, e que sirva para instruir os fracos e principiantes no caminho da salvação...”
J. J. R./ Rio, 29 de Dezembro 1885.


Foi dessa forma e nesta linguagem que em 1º de janeiro de 1886 o Methodista Catholico teve início. Somente em 20 de julho de 1887 receberia o nome de Expositor Cristão. Sempre plural, o jornal mostrou estar à frente de seu tempo. Distribuído quinzenalmente, o periódico já trazia em seu primeiro exemplar a seguinte matéria: “Trabalho para Mulheres”.
Naquela época a maioria das mulheres ainda vivia confinada, privadas de liberdade, num contínuo isolamento, sempre fechada em casa e mesmo entre a nobreza vigorava a norma da província, de que a mulher só três vezes saía de casa, para ser batizada, para se casar, para ser enterrada.

Mas, sempre atual, o Methodista Catholico mostrou o outro lado dessa história. Algo estava mudando no “novo” Brasil. Naquele tempo o cotidiano de mulheres e homens foi marcado por condições precárias no trabalho, numa sociedade estagnada em suas tradições coloniais, na qual, negros, mestiços e mulheres de uma forma geral ficavam na base da hierarquia social.

Alguns locais, por exemplo, possuíam fábricas de “fundo de quintal”. Nelas, se usava bastante mão-de-obra feminina, pois os salários pagos eram inferiores aos dos homens.
A matéria ainda denunciava a falta de igualdade nos direitos e do respeito ao gênero feminino. “No nosso país, dada a instrução que se fornece às mulheres e atendendo aos preconceitos comuns da nossa educação – a mulher está condenada a ser perpetuamente um símbolo de fraqueza”. Hoje elas correspondem a cerca de 60% da membresia (veja a edição de dezembro de 2010) das igrejas evangélicas.

Outro texto chama também a atenção, pois é algo que os evangélicos brasileiros estão retomando desde 2009 (confira a página 10); um informe da Aliança Evangélica para a Semana Anual de Oração Universal. Aquela primeira semana de janeiro recebia uma incumbência de orar pelos seguintes assuntos: agradecimento pelas bênçãos concedidas, vergonha de confessar o nome de Cristo, falta de zelo na missão, famílias, paz, governos, cura e a união da Igreja de Jesus Cristo. De acordo com o texto, ano após ano aquela Aliança recebia cada vez mais membros (as) em suas reuniões.

Já com o nome atual, Expositor Cristão, em 1931 já se encontrava nas páginas do periódico, textos orientando os metodistas a disseminarem o Evangelho nas escolas. O jornal dizia que “o ensino romanista, não é o ensino cristão”.

Com o passar do tempo, o jornal foi tomando uma nova cara, mas sempre trouxe matérias de interesse da Igreja Metodista, bem como da sociedade em geral. A década de 80, do século passado, parece ter sido um marco para o Expositor Cristão. Seus redatores (as) se preocuparam em informar sobre questões importantes, como por exemplo, o Ano Internacional da Juventude, encabeçado pela ONU (veja a página 13) e comemorado em 1985.

Claro que o Expositor passou por algumas dificuldades durante sua trajetória. Muitas mudanças ocorreram de lá para cá, mas o jornal ainda se mantém firme. Se há o que comemorar?

Sim, são 125 anos de muito trabalho e disseminação da Palavra de Deus. O reconhecimento parece silencioso, mas não é. Outro dia mesmo em uma entrevista a uma revista, o pastor e fundador da revista Ultimato, Elben Lenza César, disse que ao fazer uma pesquisa verificou que havia vários veículos evangélicos excelentes, entre eles estava o dos metodistas.

Organizado por Diana Gilli

Fontes
Expositor Cristão (1886, 1887, 1931 e 1985)
Brasil: uma História, Eduardo Bueno, Atica, 2003
Cristianismo Hoje – edição 20/2010

Veja também:

Expositor Cristão Moderniza projéto gráfico para celebrar aniversário. Clique no link abaixo:

http://www.metodista.org.br/conteudo.xhtml?c=10549


Posts relacionados

no Cenáculo, Geral, por Sara de Paula

Juiz de Fora recebeu Seminário No Cenáculo

O evento aconteceu no útlimo final de semana na Igreja Central da cidade

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães