Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

juvenis

Veja abaixo uma mensagem do Conselheiro dos Juvenis e sugestões para uma programação toda especial para esse dia

Há quem diga que o que move o mundo é a força dos homens e mulheres adultos. Há outras pessoas que afirmam que a adolescência é momento de transição, de instabilidade, de confusão nos mais diversos níveis e sentimentos. A partir dessas concepções, quem está nesta idade contribui de maneira ínfima à sociedade. Mas eu penso diferente! Lembrando-me da minha fase de adolescente, de fato percebo que passei por dúvidas, conflitos os mais diversos. Mas quem não passa por isso? Não é algo exclusivo dos/as juvenis, mas sim, da raça humana, homens, mulheres, crianças... e também da criação. São frutos das inter-relações que estabelecemos como indivíduos que vivem num grupo social. E onde as pessoas convivem, provavelmente haverá encontros e desencontros.

A questão, creio eu, passa por reconhecer a humanidade das pessoas, e não apenas suas reações ou atos, pois essas formas de existir podem ser transitórias, dependendo de como são mediadas. As pessoas, porém, têm um tempo próprio de aprendizado para reconhecer a humanidade umas das outras. Muitas vezes, vivem realidades muito diversificadas entre si e, embora tenham acesso às informações por todos os lados, podem não ter um momento de reflexão sobre elas, à luz dos princípios cristãos.

Mas a minha esperança é que estamos num momento de atitude, de comprometimento, visível no engajamento dos juvenis nas suas Regiões, principalmente nos Congressos Regionais que, de maneira organizada, têm sido espaços de expressão na voz própria e no voto na eleição de seus/suas representantes para compor a nova mesa diretiva. Os Congressos Regionais, neste sentido, têm sido espaço de amadurecimento e aprimoramento cristão. Têm incentivado o princípio "Unidos em Cristo", para que o mundo creia que é possível transformar o caos em vida e ser uma comunidade missionária a serviço do povo.

O sonho da Confederação de Juvenis consiste em vislumbrar uma participação maior e mais efetiva dos juvenis na Igreja Local, o que refletirá de maneira significativa tanto no distrito, quanto na Federação e Confederação e, principalmente no testemunho da fé em Cristo.

A nossa meta consiste na unidade das pessoas como corpo de Cristo (Rm 12.1-2), para superar as diferenças e distâncias. De norte a sul do Brasil, estamos num mesmo ideal: contribuir com Deus no Seu propósito de salvar o mundo. Incentivar os/as adolescentes a contribuir nesta perspectiva é um desafio constante, mas possível e prazeroso. Mais do que nunca, agora é hora de nos apresentar como pessoas que contribuem e podem contribuir ainda mais no trabalho nas Igrejas Locais. Nós somos instrumentos de Deus agora, neste momento presente, e não num futuro. Deus conta conosco, juvenis, e nós dissemos sim! Por isso servir a Deus é tempo de celebração da vida, da fé...

Que Deus nos abençoe!


Luiz Alceu Zapparoli

Conselheiro Nacional da Confederação de Juvenis

Sugestões de atividades para celebrar o Dia do Juvenil na sua igreja

"Quando setembro chegar..."

Pra. Andreia Fernandes Oliveira, Igreja Metodista em Jabaquara, SP. Redatora das Revistas dos Juvenis

Revisão: Pra. Hideíde Brito Torres, Igreja Metodista em Cataguases, MG. 

Quando setembro chega, muita coisa boa acontece! É mês de primavera, mês da Escola Dominical, mês dos/as juvenis e este é o assunto da nossa conversa aqui. Data importante merece comemoração, festa, e também um tempo de reflexão! Nossa ideia é que o Dia do/a Juvenil deste ano tenha um destaque especial na sua Igreja local. Elaboramos aqui algumas atividades que proporcionam reflexão, diversão e celebração desta data especial.

1- É tempo de reflexão!

- Para a Igreja local:

A adolescência é um tema sempre em discussão na sociedade, seja na família, na escola ou na Igreja. É bom que isso aconteça, pois, sem dúvida alguma, é preciso pensar, refletir com sabedoria e cuidado para lidar com os/as adolescentes da melhor maneira possível. Assim, sugerimos:

Atividade: Mesa-Redonda - Público-alvo: toda Igreja local

Tema: Adolescência: eu já passei por isso!

Objetivo: apresentar e refletir sobre as experiências da adolescência

Como fazer?

a. Convide três pessoas que tenham facilidade para se expressar em público. Cada uma, a partir de sua experiência, tratará alguma questão da adolescência.

Sugestões de abordagem:

A adolescência e o relacionamento com Deus e com a Igreja.

A adolescência e relacionamento com a família.

A adolescência e relacionamento com amigas e amigos.

Cada pessoa deve preparar uma fala de 10 minutos sobre um desses tópicos.

b. No dia da atividade, as pessoas farão a sua exposição. Em seguida, a comunidade poderá fazer perguntas. Deixe um tempo de 20 minutos para essa interação.

c. Convide um/a psicólogo/a, pedagogo/a ou pastor/a, que deverá ser informado/a com antecedência da dinâmica proposta. Esta pessoa se posicionará em meio à comunidade. É importante não sinalizar a sua presença. Somente ao final das perguntas e devidas considerações, ela se apresentará e, numa espécie de conversa, destacará os principais pontos abordados no debate, aprofundando o tema: Adolescência: eu já passei por isso!

d. Ao final, proponha um momento de oração em favor os/as juvenis da Igreja e também da cidade ou bairro onde a Igreja está. A partir dessa atividade, a Igreja deverá ser lembrada da sua responsabilidade de acolhida, educação e orientação para com todos/as os/as adolescentes.

2- É tempo de diversão!

Tem uma música dos juvenis que diz:

Juvenil! Hei! Hei! Isso é que é viver.

Canta ao levantar, canta ao deitar!

Eia, que prazer! Venham todos/as ver!

Como vivem os bons juvenis...

Juvenis vivem se divertindo! Isso é que é viver! Nada mais justo do que promover uma boa diversão neste mês. Aqui duas sugestões:

Atividade: Festa a fantasia!

Tema: "Se eu fosse você 3"

A ideia: os/as juvenis devem se fantasiar de personagens bíblicos e, quem quiser, poderá apresentar uma performance na festa. Isso pode ser individual ou em grupo.

Objetivo: pura diversão e educação!

Como fazer?

a-Organize a festa, faça convites e distribua entre os/as juvenis.

b-Convide um casal para apresentar a festa. Eles deverão se fantasiar como idosos, pois os/as anciãos/ãs representavam a idade da sabedoria e orientavam o povo neste sentido. Sugestão: Sara e Abraão, mais de 100 anos de sabedoria e diversão.

c-Durante a festa, podem acontecer, brincadeiras, desfile, concurso da melhor fantasia, concurso "fale tudo do seu personagem", show de talentos, etc.

Atividade: Fé, Cinema e Pipoca!

A ideia: fazer uma sessão de cinema para os juvenis e em seguida propor uma dinâmica de reflexão sobre o filme apresentado.

Objetivo: pura diversão e educação!

Como fazer?

a.Após o filme, escreva frases do filme ou palavras que tenham a ver com o filme em numero igual ou maior do que os participantes.

b.Peça para que cada um/a escolha uma palavra.

c.A seguir proponha que as pessoas apresentem a palavra escolhida e justifiquem a sua escolha.

d.O/A moderador/a fará a condução da discussão e, à luz da palavra de Deus, fará as orientações e conclusão necessárias, mediante as demandas que surgirem na discussão.

3- É tempo de celebração!

Celebrando o dia dos/as juvenis!

Tema: O amor que faz a diferença

Pr. Tiago de Almeida Valentin

Pastor da Igreja Metodista em Itapeva - SP.

Proposta: Utilizar o versículo mote dos juvenis em todo o Brasil como referência para o desenvolvimento do culto: 1 João 3.16 (Sabemos o que é o amor por causa disto: Cristo deu a sua vida por nós. Por isso nós também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos.). A idéia é desenvolver a reflexão de que o/a juvenil e toda a igreja devem seguir o exemplo de Jesus dando sua vida pelas pessoas.

Utilizar o símbolo maior de entrega que é a cruz. A proposta é que seja confeccionada uma cruz dividida em 4 partes (poderá ser utilizado papel camurça marrom, papelão ou papel kraft, veja na ilustração a seguir). Ela será montada no decorrer do culto e deverá ficar no altar ou o mais próximo dele. As partes serão coladas em um banner ou parede ou em qualquer superfície que permita que a cruz fique em pé. O ideal é que os/as juvenis, com o auxilio do/a pastor/a assumam a direção do culto.

Adoração: Adoremos a Deus porque é o nosso grande amigo

- Leitura Bíblica: João 3.16 . (Enfatizar que nossa adoração dirige-se àquele que deu Sua vida por nós).

- Cântico: Conheci um grande amigo - (durante o cântico um/a juvenil entra com a parte superior da cruz e a cola no banner - 1ª parte).

- Cântico: Acolher sugestão do grupo quanto à escolha deste cântico.

- Oração de adoração

Confissão: Confessemos nossa falta de cuidado para com as pessoas.

- Chamado a confissão: Gênesis 4.8-9 . Refletir enquanto comunidade como temos tratado as pessoas que estão a nossa volta e também os/as irmãos/ãs da Igreja: com indiferença, solidariedade, consideração? Entra outro/a juvenil e cola um dos braços da cruz (2ª parte), o/a dirigente convida a comunidade a orar silenciosamente.

- Momento de reflexão

- Oração audível de confissão de pecados

- Declaração de perdão: 1 Pedro 2.9-10 . O/a dirigente afirma que Deus nos fez um só

povo, o seu povo, através do sacrifício de Jesus, e por sermos povo de Deus temos a sua

misericórdia sobre nossas vidas.

Louvor . Louvamos a Deus pelos/as amigos e amigas.

- Ofertório. O/a dirigente pontuará que além de contribuirmos com o recurso financeiro podemos ofertar a Deus, oferecendo ao nosso irmão/irmã carinho, paciência, tolerância, amizade, etc.

Enquanto se entoa o cântico para o momento do ofertório, um/a juvenil entra com o outro braço da cruz (3ª parte) e o cola juntamente com as demais partes. Outros/as juvenis entrarão com pedaços de papéis e neles escritos palavras como: carinho, paciência, tolerância, amizade e outras que façam referência a atitudes e sentimentos que podem fazer bem às pessoas, essas palavras também, serão coladas juntas a cruz, menos no meio onde será colocada a base da cruz.

- Testemunhos. A sugestão é que outras pessoas, adultas, jovens ou juvenis e crianças, tenham oportunidade de testemunhar a respeito dos/as amigos/as que fizeram diferença em suas vidas. Caso esse amigo/a esteja na Igreja, convidá-lo/a a ir junto à frente na hora do testemunho. O ideal é que as pessoas que testemunharão sejam definidas e avisadas com antecedência.

- Cânticos de louvor: à escolha do grupo. Podem ser inseridos nesse momento de louvor a participação de grupos musicais ou grupos de coreografia?

Edificação . Edificados/as pela Palavra, base da nossa fé.

- Mensagem. Antes da pregação, pedir para que o/a juvenil que está com a base da cruz entre e cole-a (OBS: apenas metade da base deve estar com cola para que a parte de baixo possa ser cortada), explicando que naquele momento a Palavra de Deus que da base para nossas vidas será proclamada. O ideal é que o/a pregador/a faça uso do texto base do culto 1 João 3.16, e compartilhe a imagem da cruz que foi montada durante o culto.

Dedicação . Dediquemos nossa vida em favor das pessoas.

O encerramento procederá da seguinte forma: o desafio para a igreja é que ela compartilhe essa mensagem de amor ao mundo. Para tanto, ela levará consigo o exemplo maior que foi dado por Jesus. Cada pessoa levará um pedaço da cruz como símbolo da entrega de Jesus e o que nós também devemos fazer. Nesse momento um casal de juvenil se colocará ao pé da cruz e a comunidade é convidada a dirigir-se até a cruz, para receber um pedaço que será cortado da cruz pelos/as juvenis (OBS: por isso a base não pode ser totalmente colada). Enquanto dinâmica acontece, será tocada uma música.

Encerramento

- Oração final

- Benção Apostólica

Coordenação Nacional de Educação Cristã, CONEC (conec@metodista.org.br)

Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Em oração | 01.04.2022

Com o objetivo de mobilizar pessoas a orarem semanalmente e diariamente pelos propósitos selecionados pela área nacional da Igreja Metodista, te convidamos a participar da campanha EM ORAÇÃO. O versículo que conduz a campanha lembra a importância da oração para fazer qualquer coisa: ...porque sem mim nada podeis fazer. (João 15:5b).

Geral, por Sara de Paula

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães