Publicado por Comunicação em Música e Arte - 10/06/2024

Ministro/a de Artes da Igreja Metodista nos Dias Atuais

COMO SER UM/A MINISTRO/A DE ARTES DA IGREJA METODISTA NOS DIAS ATUAIS?

Disse Moisés aos filhos de Israel: Eis que o SENHOR CHAMOU pelo nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, 31 e o ESPÍRITO DE DEUS O ENCHEU de habilidade, inteligência e conhecimento em todo artifício, 32 e para elaborar desenhos e trabalhar em ouro, em prata, em bronze, 33 e para lapidação de pedras de engaste, e para entalho de madeira, e para toda sorte de lavores. 34 TAMBÉM LHE DISPÔS O CORAÇÃO PARA ENSINAR A OUTREM, a ele e a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã . Êxodo 35:30-34 (ARA)

 

A vida de todo(a) artista dentro da Igreja Metodista, deve fluir a partir de três pilares fundamentais: “chamamento”, “enchimento” e “disposição para ensinar”. Não importa o tipo de arte, a qual possamos desenvolver nas igrejas locais, é crucial que tais alicerces estejam presentes, sejam conservados e aperfeiçoados. Assim, independentemente da região, da cultura local, das oportunidades etc., cresceremos dentro do nosso ofício, cumprindo o ministério que Deus colocou em nossas mãos.

 

O SENHOR CHAMOU

            Já devemos ter em mente que o chamado não se restringe em somente “fazer” algo na Igreja Local ou nas atividades interligadas a ela.

“Depois, subiu ao monte e chamou os que ele mesmo quis, e vieram para junto dele. 14 Então, designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar 15 e a exercer a autoridade de expelir demônios”. Marcos 3:13-15 (ARA)

            Nosso primeiro chamamento não é para atuar no Ministério de Louvor, Ministério de Dança, Teatro, Sonoplastia, Mídia ou qualquer outro envolvendo as “artes” na Igreja; Jesus nos chama para estarmos com Ele.           

“Estar” com Jesus implica em algumas coisas:

  1. Ser nascido(a) de novo.           

Para exercer qualquer papel ou função na Igreja Local, é indispensável que o(a) artista tenha nascido de novo. Vai muito além do simples atender a um apelo de “aceitar Jesus como Senhor e Salvador”, mas implica em experimentar o lavar regenerador do Espírito Santo, bem como possuir o Seu testemunho internamente, de que somos filhos(as) de Deus. Circunstância esta que nos leva a uma nova direção de vida, transformando-nos em cada área (até mesmo nos detalhes) e moldando-nos diariamente à imagem do Filho. Você reconhece isso em si mesmo?

Precisamos ter a consciência de que de fato Deus habita dentro de nós através do Espírito Santo, e a vivência dessa revelação como realidade, onde somos capazes de ouvi-Lo e nos conectarmos permanentemente com Ele, faz com que liberemos a vida d´Ele através de nós. (Jo 15:5)

 

  1. Estar em comunhão com a Igreja.

A palavra comunhão significa o ato ou efeito de comungar; conjunto de pessoas que partilham as mesmas crenças, ideias, tendências e valores. Não podemos tocar ou agir dentro de um departamento da Igreja local sem fazer parte dela, ativamente. É de suma importância entender que nosso envolvimento com a comunidade não se limita ao dia em que atuamos. A disposição no servir deve transcender a escala.

 

  1. Crescimento em santidade.

No contexto da teologia wesleyana, é impossível falar de justificação e novo nascimento, sem falar de santificação. O próprio conceito de salvação e conversão permeia toda vida cristã. Cremos que a Graça de Deus não é apenas Justificadora, mas Santificadora. O(a) artista que tenha passado pela “porta de entrada” do Evangelho, nunca se contentará com um cenário estático, antes suas energias serão canalizadas em progredir na caminhada cristã, crescendo em tudo “naquele que é a cabeça, Cristo (Ef 4:15)”, pois sem santificação, ninguém verá o Senhor (Hb 12:14). Esse avanço o(a) afetará integralmente, atingindo todas as áreas: espiritual, social, cultural, emocional, profissional etc.

 

  1. Honra e glória a quem merece

Em Ef 1:12, o apóstolo Paulo nos direciona que somos feitos “[…] para o louvor de Sua Glória…”. Nosso dom, seja ele qual for, na área que trabalhamos em nossas igrejas ou fora delas, é para que Ele seja glorificado e exaltado. Muitas vezes estamos buscando com que as pessoas vejam o que fazemos para que sejamos conhecidos(as) pelo que fazemos. Devemos ser conhecidos(as) e reconhecidos(as) pelo nosso caráter, nossa vida de busca incessante e nosso amor, não pelo que fazemos, mas por Ele. Tudo é para Ele e por Ele (Rm 11:36). Todas as vezes que você ministrar ao Senhor com o seu dom, não busque a glória para si, não busque o reconhecimento, mas que o que você faz, Ele se agrade!

 

ESPÍRITO DE DEUS O ENCHEU

habilidade, inteligência e conhecimento

            Cada ministro(a) precisa sim, ser e estar cheio(a) do Espírito Santo. O enchimento de Deus não vem por uma oração com imposição de mãos, porque fizemos algum curso ou qualquer outra coisa nesse sentido, mas sim pela busca intensa pelo Senhor, em nossas vidas.

 

Habilidade

            “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo.” Cl 3:23-24

            Estudar o que estamos nos propondo a fazer é parte do “Fazer para o Senhor”.

Ensaiar antes da programação, seja o ensaio em grupo, seja o próprio evento em si,  é “Fazer para o Senhor.

Ser proativo no que faz, independente de como te incentivam, é “Fazer para o Senhor”.

Auxiliar a outros(as) que estão começando no ministério que você atua, é “Fazer para o Senhor”.

Habilidade vem da disposição de coração, para realizar o que Deus colocou em sua mão para que você faça. SEJA UM MINISTRO(A) NA CASA DO SENHOR COM HABILIDADE!

 

Inteligência e conhecimento

            A inteligência se adquire com estudo, leitura, envolvimento no que faz. Muitas vezes temos o desejo de adquirir a novos conhecimentos para crescermos em nosso trabalho, nossos estudos e outros objetivos que a princípio, irão nos trazer mais “vantagens”; porém, gostaríamos de abrir os seus olhos, para que você possa buscar agir com inteligência no seu ministério, no seu chamamento, com o objetivo de que o Senhor possa ser glorificado através do que você tem feito. Pense nisso!

            Reafirmamos o que falamos no tópico anterior. ESTUDE seu instrumento, dança, fotografia, pintura, teatro e qualquer outro tipo de arte. A inteligência sobre o que você faz passa pela capacidade de armazenar e colocar em prática, o conhecimento adquirido. Escute, leia, observe outros, teste, seja intencional e firme no que faz, ame o Senhor e pessoas que estão junto com você em seu ministério.

            O significado original da palavra INTELIGÊNCIA é “entre escolhas”; a capacidade do individuo de fazer escolhas! Queremos te auxiliar a fazer BOAS ESCOLHAS dentro do que você faz!

 

DICAS IMPORTANTES!

- Tenha referências! Pessoas que possam te auxiliar no que você faz dentro do ministério que você ocupa. Como sabemos se a referência que escolhemos é boa? Pelos frutos (Lc 6:44). Busque informações sobre as pessoas, sobre os ministérios etc.

- A excelência no que se faz vem pela capacidade de repetições que você executa o que precisa dentro do ministério que ocupa. Não toque, dance, treine ou qualquer outra necessidade do ministério, apenas uma vez! REPETIÇÃO É A CHAVE PARA A ABSORÇÃO DO CONHECIMENTO RECEBIDO!

- O que fazemos é tão importante como a intenção que fazemos! Observe seu coração! Observe sua real motivação! PARA QUEM VOCÊ FAZ FARÁ TODA A DIFERENÇA NO QUE VOCE FAZ!

- Siga os conselhos de quem já andou um pouco mais do que você no ministério. Ore para que Deus te direcione a pessoas que realmente te conduzirão por um bom caminho. Converse com seus líderes sobre isso!

- Estude a teoria e não somente a prática do que busca fazer para o Senhor. No caso da música, às vezes achamos que o “tocar de ouvido” é melhor do que saber a teoria da música. Quero te dizer, músico, que isso não é verdade. Quanto mais de música você conhece, mais possibilidades de desenvolver um trabalho melhor e eficiente.           

 

TAMBÉM LHE DISPÔS O CORAÇÃO PARA ENSINAR A OUTREM           

            Um dos pontos importantes de um(a) verdadeiro(a) ministro(a) Metodista de norte a sul do Brasil, é o entendimento sobre a vida de discipulado e ação missionária. No manual do Discipulado escrito pela câmara de Discipulado da 5º Região, vemos a seguinte citação “O discipulado por meio dos relacionamentos visa a uma transferência de vida, ao crescimento cristão, à prática do que tem sido ensinado e ao desenvolvimento da pessoa que tem o desejo de cumprir a vontade de Deus como verdadeiro discípulo/a de Jesus”.

O(A) ministro(a) Metodista é aquele(a) que não pensa somente em si, focando sempre no ensino tanto da arte que ele(ela) produz, seja música, seja dança, seja teatro, seja fotografia, seja o lado das mídias sociais da Igreja Local ou qualquer outra função que compreende este departamento. Nosso objetivo é sempre ensinar outros, assim como fomos ensinados.

            Vemos em Pv 31:26 (“Fala com sabedoria e ensina com amor” NVI), Deus revelando traços da mulher sábia e prudente e queremos trazer este ensinamento para todos nós. Falar com sabedoria ( Vida de discipulado), e ensinar com amor (Ação Missionária), devem ser traços naturais em todo ministro(a) Metodista.

            Não podemos pensar que seremos “eternos(as)” no ministério que já trabalhamos. Não podemos pensar que se eu não ensinar, outro ensinará em meu lugar. Não podemos pensar que cada um precisa buscar o crescimento por si só, para que possa atuar em um ministério que é tão específico como o nosso.  Em Nm 8:25-26, a instrução de Deus enquanto ao serviço levítico, era que quando chegassem aos 50 anos, iriam parar e ajudar aos próximos. A função do ensino estava bem clara aqui. Não queremos dizer que esta é a idade com o qual alguém precisa parar de servir em algum ministério, mas ressaltamos o caráter do serviço, do auxílio aos(às) demais, quando estamos com mais tempo de ministério.

 

DICAS IMPORTANTES!

- Seja você também um referencial para os(as) demais. Mostre a importância de servir com amor, com gratidão nos lábios e como é bom adorarmos a Deus através de nossos dons.

- Ministre com esmero, com esforço, e com alegria, para que outros(as) possam fazer o mesmo.

- Não comece ensinando muitos ao mesmo tempo; foque em 1 ou 2, para que estes(as) possam absorver bem e possam ensinar a outros.

 

Como este homem, Bezalel, nos ensina a perseverarmos diante do que Deus nos propôs. Sua vida nos inspira a caminharmos para fazermos o nosso melhor, entregando a Ele, nossa melhor adoração e que Ele se agrade do que oferecemos.

Sabemos também que você tem um papel importantíssimo diante tanto do culto, como das programações em todas as nossas Igrejas pelo Brasil a fora e te agradecemos por sua disposição em servir ao Senhor em primeiro lugar e à nossa amada Igreja Metodista, como Corpo de Cristo.

Queremos te dizer que estamos com Departamento Nacional de Música e Arte, através também dos coordenadores regionais, para o(a) auxiliarem no que necessitarem.  Você pode entrar em contato conosco através do e-mail do DNMarte (Departamento Nacional de Música e Arte) dnmarte@metodista.org.br .

Que Deus abençoe a vida de cada um em seus ministérios e contem conosco para apoiá-los para que sejam frutíferos.

 

Revmo. Bispo Paulo Rangel

Nelson Junker (Coordenador Nacional)

Pr Edson Mudesto (Coordenador 1ª Re)

Cassiano Rosing (Coordenador 2ª Re)

Pr Thiago Ceia (Coordenador 3ª Re)

Pr Eliezer Wendling (Coordenador 4ª Re)

Pr André Noé (Coordenador 5ª Re)

Pra Ilza Pugliesi (Coordenadora 6ª Re)

Pr João Batista  (Coordenador 7ª Re)

Pr Jonatas Brito (Coordenador 8ª Re)

Pr Luís Fernando ( Coordenador Remne)

Pr Benaia Montevechi


Posts relacionados

Destaques Nacionais, Música e Arte, por José Geraldo Magalhães

II Encontro Nacional de Música e Arte

Vem aí o 2º Encontro Nacional de Múscia e Arte da Igreja Metodista. Serão oferecidos 13 laboratórios de capacitação. Inscreva-se, participe