Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

newWindow.document.write('+alt+');

Indígenas fecham a MS 280 e detém oficial de Justiça

 

Quinta-feira, 8 de março de 2007 - 08h41m

 

Maria Lucia Tolouei

Centenas de indígenas da Aldeia Tey Kue estão bloqueando a MS 280, de acesso entre Laguna Carapã e Caarapó. A estrada vicinal é utilizada para a escoar a safra e o bloqueio já está causando transtornos a caminhoneiros e outros motoristas que estão em fila, parados, aguardando a chegada de alguma autoridade. Apenas ambulâncias para atendimento interno aos nativos terão licença para passar.

O cacique Zenildo Isnardi, disse ao Douradosagora que o bloqueio acontece em protesto pela desativação da seção eleitoral, onde cerca de 1.500 indígenas costumam votar em eleições gerais e outras. Isnardi conta que recebeu com surpresa e indignação a notícia de que os  indígenas teriam que percorrer a partir de agora, cerca de 20 quilômetros para votar no município de Caarapó.

Ele ficou sabendo da decisão quando recebeu o Edital de Convocação do Conselho Tutelar. "Vimos que nossa seção não constava e resolvemos reagir", diz. As lideranças procuraram o Fórum de Caarapó para protestar e teriam sido informados que não haveria mais seção eleitoral naquela aldeia.

Segundo Isnardi, a alegação é de que haveria compra de votos e que os indígenas estariam sendo manipulados para favorecer determinados grupos políticos.

Isnardi garante que os cerca de seis mil indígenas que vivem na Tey Kue estão dispostos a se revezar para manter bloqueada a pista.

O congestionamento já chega a dois quilômetros. No interior da aldeia, um Oficial de Justiça que costuma entregar intimações aos índios acabou sendo detido. Isnardi diz que o primeiro nome dele seria Ládio, mas não quis contar mais nada. O cacique apenas adiantou que a comunidade nativa não pretende agir com truculência. Mas também acrescentou que "a polícia só vai passar pela estrada se houve necessidade".

OUTRO LADO
A presidente do Conselho Municipal da Criança e Adolescente, de Caarapó, Evinei Arce da Silva, disse ao Douradosagora e ao O PROGRESSO que a instituição terá uma reunião na próxima segunda-feira para avaliar a viabilidade de manter a seção nas aldeias e distritos de Nova América e Cristalina.

Evinei explica que, a princípio, seria inviável porque estes Conselhos contam com um  trabalho voluntário de pessoas e não pode garantir que haverá pessoal para o expediente fora de Caarapó na próxima eleição do Conselho, marcada para o dia 22 de abril.  No entanto, ela assegura que se a decisão for mantida, será disponibilizado o transporte para quem desejar participação da eleição do Conselho Tutelar. (Colaborou Hedio Fazan)

 

Fonte: Douradosagora  - Colaboração do pastor Paulo da Silva Costa, da Missão Metodista Tapeporã

 

 

Adolescente indígena comete suicídio em Juti

 

Segunda, 5 de março de 2007 www.campograndenews.com

 

Um jovem índio de 17 anos foi encontrado morto na madrugada de hoje com uma corda amarrado ao pescoço e pendurado em árvore próxima à sua residência, na aldeia Taquara, município de Juti, cidade a 313 quilômetros de Campo Grande.

Ele teria cometido suicídio ontem, por volta das 22h. Conforme o site Dourados News, os familiares do indígena não souberam precisar o que teria motivado o ato.

Pelo menos mais quatro suicídios de indígenas foram registrados este ano.

VEJA TAMBÉM: Notícias do dia 1 de março, do Campo Grande News:

Comissão quer mais vaga para índios no HU de Dourados

 

A Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara de Dourados vai cobrar a abertura de mais vaga para internação de índios no HU (Hospital Universitário). A decisão foi tomada nesta quarta-feira, após visita ao centro de recuperação de crianças desnutridas, o Centrinho, que funciona no hospital da Missão Evangélica Caiuá, na aldeia Jaguapiru. O presidente da comissão, Eduardo Marcondes, disse que a audiência com a superintendente do HU, Dinaci Ranzi, está marcada para terça-feira.

Acompanhado pelo vereador Pedro Alves Ferreira (PT), que integra a comissão, Eduardo Marcondes visitou o Centrinho, onde foi recebido pelo médico Zelik Trajber, coordenador das equipes de saúde da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) na reserva. Os vereadores constataram que 38 crianças índias desnutridas ou em risco nutricional estão internadas no local atualmente e outras três aguardam vaga. Segundo ele, das crianças internadas apenas sete seriam das aldeias de Dourados. As demais são de aldeias da região sul do Estado.

Marcondes, que é médico pediatra, afirmou que o Centrinho possui uma boa estrutura, mas anunciou que vai pedir ajuda ao senador Valter Pereira (PMDB/MS) para aumentar o teto de recursos destinados pelo governo federal à Missão Caiuá. Ele afirmou que o pedido de aumento de vagas no HU para internação dos índios atende a solicitação das equipes de saúde que atendem nas aldeias. Marcondes disse que a comissão também vai encaminhar outras providências necessárias para diminuir as dificuldades da comunidade indígena, como recuperação das estradas da reserva.

Após mortes, Picarelli relembra CPI da desnutrição

 

Após três morte de indígenas causadas pela desnutrição neste ano, o deputado estadual Maurício Picarelli (PMDB), relembrou na sessão desta quarta-feira da Assembléia Legislativa as medidas propostas pela CPI da desnutrição, que atuou em 2005, ano em que muitos índios morreram de fome.

O deputado, que presidiu a CPI, pediu políticas públicas especiais de saúde e educação para as comunidades indígenas. Solicitou ainda que sejam criados mecanismos de auto-sustentação nas aldeias e programas de preservação das tradições. E também que não sejam excluídos dos programas sociais do governo federal.

CPI da desnutrição - O relatório, aprovado em dezembro de 2005, aponta responsabilidades do poder público na mortalidade de crianças indígenas, que no início do ano atingiu números alarmantes, desencadeando também investigação na Câmara Federal e ações emergenciais do Governo Federal.

Consta no texto final uma série de sugestões a serem adotadas, como criação de serviço de saúde e escolas nas aldeias, de uma secretaria ou coordenadoria com atuação estadual. O relatório sugere ainda a criação, pela Funai (Fundação Nacional do Índio), de viveiros de mudas e plantas nativas e de reflorestamento.

Vereadores de Dourados visitam centro de desnutridos

 

Vereadores que integram a Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara de Dourados visitam na manhã desta quarta-feira o centro de recuperação de crianças índias desnutridas, o Centrinho, que funciona no hospital da Missão Evangélica Caiuá, na aldeia Jaguapiru. Presidida pelo vereador e médico pediatra Eduardo Marcondes (PMDB), a comissão vai acompanhar a crise nutricional que tem causado a morte de crianças na reserva indígena, segundo a assessoria da Câmara.

O acompanhamento aos casos de desnutrição na reserva foi decidido em reunião realizada ontem por convocação de Marcondes. Além do peemedebista, integram a comissão os vereadores Pedro Alves Ferreira (PT) e Laudir Munaretto (PR).

Eduardo Marcondes disse que foi ontem à reserva indígena e constatou a "situação trágica" enfrentada pela comunidade indígena.

Índio morre em hospital de Dourados após tomar veneno

O índio Daniel Reginaldo, 50 anos, morreu ontem de manhã no hospital Evangélico, dois dias após ser internado por envenenamento.

Conforme informou o filho dele, Daniel Gonçalves Reginaldo, 20 anos, o índio ingeriu na tarde do último sábado certa quantidade do veneno Tamaron, usado em lavouras. Foi socorrido e encaminhado para o hospital da Missão Caiuás, mas no domingo o quadro se agravou e ele foi transferido para o HE.

Foi o segundo caso de suicídio em poucos dias. No domingo, indígena da aldeia Passo Piraju, em Dourados, Valdinez Souza, 30 anos, se suicidou e em carta revelou que falta alimentos para os índios.

Fonte: Campo Grande News.com

Indígena cometeu suicídio e justificou ato em carta

 

 

Polí­cia - 19-02-2007 - 14:22

No Porto Cambira, na aldeia Passo Piraju, a Polícia Civil identificou há pouco a vítima de suicídio como sendo Valdinez Souza, 30 anos. Ele foi encontrado por um adolescente de 14 anos, às 17 horas de ontem, enforcado no interior da própria casa.

Segundo relatos do adolescente, ao adentrar a casa, Valdinez estava dependurado por uma corda de nylon em uma viga no teto da humilde casa.

Na residência foi apreendida uma carta escrita por ele, onde acusa a falta de alimentos naquela aldeia. Em um trecho da cartas, Valdinez, que era agente de saúde da Funasa [Fundação Nacional de Saúde] teria acusado a falta de comida e o medo, uma vez que tem dois filhos e a esposa está às vésperas de ganhar o terceiro filho. (Com informações do site Douradosnews).

Funasa envia observadores para aldeias de Dourados

 

A Fundação Nacional de Saúde enviou nesta quinta-feira (15 de fevereiro) uma equipe de profissionais de seu Departamento de Saúde Indígena a Dourados, para verificar o atendimento oferecido às famílias indígenas cadastradas no programa de distribuição de cestas básicas do governo. A presença da Funasa, segundo a assessoria do deputado federal Geraldo Resende (PPS), faz parte do compromisso da fundação com o governador André Puccinelli (PMDB) para impedir problemas relacionados à desnutrição nas comunidades indígenas locais.

Na quarta-feira (14), Puccinelli firmou em Brasília um acordo com o presidente da Funasa, Paulo Lustosa, que garantirá o fornecimento, durante um ano, de 11 mil cestas básicas de 40 kg para as comunidades indígenas do Estado às famílias que vinham sendo acompanhadas pelo Programa de Segurança Alimentar e Nutricional - suspenso pela atual administração sob alegação de falta de recursos financeiros. Como contrapartida, a administração estadual assumirá a logística e distribuição de cestas.

"O acordo é uma resposta concreta do novo governo e da bancada federal para o problema que ameaçava, sobretudo, as crianças indígenas nas aldeias do Estado", defendeu Resende, ao recordar que o assunto é alvo de acompanhamento desde a criação da Comissão Externa da Câmara dos Deputados, que o parlamentar sul-mato-grossense presidiu.

Resende complementou que a Funasa pretende verificar o andamento das ações governamentais e identificar problemas, para adotar as medidas necessárias para que haja sintonia entre os diversos órgãos representantes da administração pública envolvidos na questão.

Universidade arrecada alimentos para índios de Dourados

 

A Unigran (Centro Universitário da Grande Dourados) e a organização Amigo do Índio deu início a uma campanha de arrecadação de agasalhos e alimentos para a população indígena daquela cidade. A campanha é dirigida aos alunos, professores e funcionários da instituição, que podem doar roupas e ingredientes para o sopão que será servido nesta sexta-feira, na Aldeia Jaguapiru, às 10h30.

Conforme o site da Unigran, as doações podem ser depositadas nas caixas de coleta que foram colocadas no pátio do Bloco II da instituição de ensino. A campanha tem o objetivo de sensibilizar a comunidade acadêmica para as dificuldades vividas pelos índios da região.

Quase 40 crianças estão internadas no Centrinho - unidade especializada no tratamento de indígenas desnutridos. O governo chegou a suspender a entrega de cestas básicas para a comunidade indígena, mas o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome liberou hoje, de forma emergencial, 5.500 cestas de alimentos de 44 quilos (cada) às comunidades indígenas de Mato Grosso do Sul.

Fonte: campograndenews.com

 Comentários:
Questão indígena: Desnutrição Os coordenadores da Missão Metodista Tapeporã, Pastores Paulo e Ima, fazem parte da ONG- Amigo do Índio

Reportagens enviadas pelo pastor Paulo da Silva Costa, da Missão Metodista Tapeporã

Leia matérias anteriores sobre o assunto clicando aqui

 


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães