Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

O Semeador

 

Junto com outras instituições metodistas de ensino, a Escola de Educação Especial O Semeador inicia suas atividades. Conheça este trabalho que nasceu de um compromisso de fé da Igreja Metodista de São Caetano do Sul.

 

Entre as 38 instituições metodistas de ensino secular pertencentes à Rede Metodista de Educação (veja quadro abaixo), a escola O Semeador não é a maior nem a mais conhecida, mas tem uma característica que lhe confere um valor incomparável: é a única escola de educação especial da rede, atendendo cerca de 80 alunos com diferentes deficiências físicas e mentais, muitas vezes associadas.

 

O Semeador nasceu de uma necessidade atendida pelo compromisso missionário de uma igreja metodista. No início dos anos 70, Odete Filliettaz  enfrentava dificuldades no cuidado de seus filhos Waldyr e Pierre que, aos 18 e 15 anos de idade, já não eram assistidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (a APAE  só atendia pacientes de até 15 anos). Pierre, naquele momento, passava por um sério problema dentário e não havia quem o tratasse. "Os dentistas tinham medo de tratar crianças excepcionais. Naquela época, ainda estava em formação a Sociedade Brasileira de Odontologia para Excepcionais", conta Odete. Então, ela expôs seu problema para a Sociedade de Mulheres da Igreja de São Caetano do Sul, São Paulo.

 

E, no dia 30 de outubro de 1976, num "concílio local histórico", como diz dona Odete, a Amas (Associação Metodista de Assistência Social) de São Caetano decidiu dedicar-se exclusivamente aos deficientes. O atendimento odontológico foi seu primeiro projeto.

 

Hoje, O Semeador já não presta atendimento dentário; encaminha seus alunos para tratamento na Universidade Metodista de São Paulo. Em suas salas oferece ensino fundamental (1ª a 4ª), ensino religioso, atendimento psicológico, fisioterapia, educação para o trabalho, música, lazer...  No álbum de fotos, você está convidado a dar um passeio pela escola. Venha com a gente!

 

 

Rede Metodista de Educação

Unificação do vestibular e das editoras estão entre os projetos a serem realizados em futuro próximo

Tomaram posse, no dia 12 de janeiro, os Conselhos Diretores das instituições metodistas de ensino, em cerimônia realizada na Sede Nacional da Igreja Metodista. Foi um dia de trabalho intenso: os conselhos diretores (metodistas que recebem mandato da Igreja e atuam de forma voluntária) reuniram-se com as lideranças do Cogeime, Conselho Geral das Instituições Metodistas de Educação -- Bispo João Carlos Lopes, presidente; prof. David Ferreira Barros, diretor superintendente, e o prof. Luís de Souza Cardoso, secretário-executivo - para discutir a organização e objetivos da Rede Metodista de Educação.

A formação da Rede Metodista de Educação certamente ainda demandará muitas horas de trabalho, mas deverá render bons frutos. A rede possibilitará maior competitividade e visibilidade no setor de ensino e melhor aproveitamento dos recursos financeiros (ganha-se em "escala". Neste ano, por exemplo, foram adquiridas 16 mil agendas escolares, o que barateou o custo unitário para as escolas). Uma das ações propostas é a realização de um vestibular unificado das universidades metodistas. Outra idéia que deverá ser colocada em prática brevemente é a criação de uma única editora metodista, de âmbito nacional, para publicar e divulgar a produção intelectual das instituições de ensino e da Igreja Metodista. Em discussão sobre as práticas de atuação dos Conselhos Diretores, chegou-se a um consenso: a qualidade do ensino deve ser uma das prioridades da nova rede.

 

 


Posts relacionados

Geral, Destaques Nacionais, Escola Dominical, por Sara de Paula

Mulheres aprendem com mulheres

Campanha Mulheres aprendem com Mulheres - Departamento Nacional de Escola Dominical realiza campanha do mês da mulher, em parceria com a Confederação Metodista de Mulheres e Comunicação nacional.

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães