Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

O sonho da Liberdade

“Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão” – Gl 5.1


Este é um dos versículos bíblicos que mais gosto. Em tempos de comemoração nacional pelo dia da Independência do Brasil, é bom pensarmos um pouco sobre a questão do ser livre a partir dele. Deste modo, quero comentar livremente algumas coisas que me vem à mente, expressar sentimentos vindos do coração.

O texto de Gálatas me leva a pensar que havia pessoas querendo impor jeitão doutrinário judaico a fim de salvar quem já havia sido alcançado pelo Evangelho libertador de Jesus. Alguns dos novos convertidos à fé cristã não estavam seguros sobre o que haviam recebido como benefício da cruz, a liberdade, colocando-se novamente sob o jugo de uma lei que, apesar de existir para a vida, em seu bojo trazia a morte. Morte não especificamente física, mas em afastamento da graça e da misericórdia divina.


O Convite
A teologia paulina nos convida a olhar para a Pátria Celestial (Cl 3.1-3) e o todo da Palavra ensina que as coisas do Céu não são corrompidas e nem imundas e sim santas e perfeitas como perfeito e santo é o nosso Deus. Assim, de olho nas coisas que no Céu estão, devemos viver aqui na Terra de maneira igual, a fim de motivar os que conosco convivem para práticas semelhantes. Jesus Cristo deve ser o nosso modelo, pois é dele que recebemos a libertação para vivermos em liberdade.
Somos convidados a olhar para os Céus porque os padrões, conceitos, valores e princípios mundanos são corrompidos e bem distantes daquilo que é desejo do Senhor. Basta olhar ao redor. Fala-se muito mal da política, mas, e a religião? E a família? E o desenvolvimento do trabalho? E todas as áreas de nossa existência? Creio que em todos estes itens da vida humana existe corrupção pela força e pelo poder do pecado. A libertação dada por Jesus deveria alcançar-nos em tudo isso e de fato sermos livres.

Um sonho
Se perguntarmos a qualquer brasileiro ele dirá que é livre, que mora em um país que promove a liberdade e por aí a fora. Entretanto, será que realmente moramos em país livre? Aprendi em meus tempos de Faculdade de Teologia que a servidão do povo bíblico antigo era estabelecida, após a conquista, pelo imposto cobrado e se não pago, reprimido de forma violenta.
No Brasil se cobra uma das taxas de imposto mais alta que existe no mundo e se não pagas é reprimida de forma violenta, violência que se estabelece por levar o infrator à cadeia e ao confisco de seus bens. Não são poucos os homens de negócios que reclamam da “mão grande” do governo em seus negócios, como exemplo, para manter um funcionário registrado em carteira, paga-se valor semelhante ao gasto com o funcionário para o governo. Tudo isso sem nos perguntar se gostaríamos de pagar estes impostos na quantidade e no percentual que se cobra, mas dizem-nos que somos livres. Dizem-nos que isso é democracia.

A democracia
Falando em democracia, somos ensinados que temos liberdade para escolher os nossos governantes. Que direito é esse? Podemos escolher desde que o façamos entre as mesmas figurinhas de sempre. Numa eleição o camarada esta concorrendo a vereador, perde e na outra, esta concorrendo a deputado estadual ou federal, se para a presidência lá aparece ele de novo.
Os candidatos são sempre os mesmos. São sempre as mesmas pessoas, fazem as mesmas acusações e autopromoção valorizando-se a si mesmos. Acredite! Escolhemos quem querem que escolhamos e não quem nós gostaríamos de escolher, pois não temos opção além daquilo que se apresenta.

A religião
Deixando o governo de lado, vamos pensar um pouco em religião, será que vivemos a liberdade proposta por Cristo e dita que dele recebemos, conforme o texto acima?
Indiferentemente da denominação, penso que não temos nenhuma liberdade plena. Existe uma espécie de sistema semelhante à do governo nacional estabelecida nas igrejas. Entretanto, entendemos que somos livres, mas pense em termos de vida cristã, não deveríamos viver de acordo com aquilo que o Espírito Santo nos revelasse como conduta ou pensamento cristão (Jo 14.26)? Deveríamos. É assim que acontece?
Para os presbiterianos se Calvino pensou ou disse algo sobre algum assunto é aquilo que deve ser reproduzido e se não couber para os dias de hoje, deve-se pensar como é que Calvino faria ou diria hoje? Não havendo concordância entre os pensadores atuais, então ninguém fala nada em nome da Igreja. De igual modo os Luteranos com Lutero e os Metodistas com Wesley.
Somos ou não somos de certo modo prisioneiros de nossa estrutura eclesiástica. Ah! Diga-se mais ainda, caso não concorde com as decisões a pessoa é livre para ir embora. Você já não ouviu ou leu algo assim? Eu já ouvi e li.

Liberdade
Por não termos liberdade plena coloquei no título “Um Sonho de Liberdade” e pela mesma razão, também fiz menção de Gálatas 5.1.
Quero ser um homem livre de fato e de direito. Quero pagar os impostos, por mais altos que eles sejam, mas quero receber como retorno os benefícios que a União diz que daria; quero pagar a previdência em cinco ou dez salários mínimos, mas também quero recebê-los em igual proporção quando me aposentar, afinal se pago por eles, é direito meu recebê-los de modo semelhante. Não quero que ninguém se rebele, mas quero que todos pensem se de fato estamos vivendo a liberdade para a qual Cristo nos libertou.
Em termos de religião quero viver a minha fé de modo muito simples. Quero crer que Cristo morreu na Cruz do Calvário para que eu pudesse viver a sua vida. Quero crer que Ele me enviou o Espírito Santo e que o Espírito habita em minha vida. Quero fazer jejum e oração em qualquer intensidade, conforme o chamado de Deus para minha vida, sem dor na consciência, por ter quem me discrimine por causa disso. Quero dizer que Cristo é Senhor de minha vida e procurar viver como Ele gostaria que eu vivesse. Quero estas e outras coisas em minha vida, sem ter que dar satisfação a Calvino, Lutero, John Wesley ou a qualquer outro fundador de Igreja, se bem que há os que digam que Wesley nunca abriu uma Igreja, apenas fundou o movimento metodista. Quero viver estas coisas da fé porque sou livre, libertado por Jesus Cristo para viver a plenitude da fé.

Um desafio
Quando eu pagar impostos com pesar no coração, quando eu viver a minha vida cristã para dar satisfações às estruturas eclesiásticas, então serei prisioneiro e não terei liberdade. Essas coisas me consumirão e farão com que o peso da angustia se apodere de mim, terei a tristeza por companheira e me tornarei amargo.
Então, cumprirei minha cidadania e minha vida religiosa porque Cristo me libertou. Viverei em liberdade sabendo que a minha Pátria eterna está por vir. Aqui e agora, viverei em liberdade porque minha salvação não vem de nenhum governo e de nenhum líder religioso. Minha liberdade e salvação vêm de Deus. As demais coisas são opção minha...

Rev. JC Peres
Pastor da IM Tucuruvi


Posts relacionados

Geral, por Comunicação

Aniversariante do Dia 09/11

  Rev.ª Laura Valentim

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães