Publicado por José Geraldo Magalhães em Destaques Nacionais, Música e Arte - 29/09/2013

Oferecendo a Deus um novo Cântico

edson mudestoE pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos verão, e temerão, e confiarão no Senhor. Salmos 40:3

A música cristã no decorrer dos últimos anos tem vivido um momento de expressivo crescimento e inovação. Hoje, ouvimos música evangélica até nas rádios seculares (não evangélicas); vemos cantores/as evangélicos/as se apresentando nas principais emissoras de TV em horário nobre, alcançando também a internet, além de famosas casas de show, teatros etc.

Um novo cântico tem surgido no seio da Igreja. Esse crescimento não aconteceu num abrir e fechar de olhos. No passado muitos personagens da história bíblica cooperaram, pois cantar sempre fez parte da cultura dos hebreus. Quando lemos o livro de Salmos, constatamos que categoricamente ele exorta-nos a cantar ao Senhor (Sl 96.1).

O povo de Israel também cantava enquanto trabalhava (Nm 21.16-18); cantava na morte, pois Davi cantou uma canção contida em 2º Samuel 1.17-27, por ocasião da morte de Saul e Jônatas. Também encontramos composições de diversos personagens notáveis da Bíblia, tais como Moisés (Sl 90), Davi que escreveu a metade dos Salmos, os títulos o identificam como autor de 73 salmos, porém o livro de Atos (4.25) e Hebreus (4.7) atribuem mais dois salmos ao notável rei de Israel. Salomão, seu filho, compôs mais dois Salmos, (72 e 127).

Diversos personagens bíblicos, ministros que conduziam o louvor em Jerusalém tais como Asafe, Etã e os descendentes de Corá, escreveram 25 dos salmos, canções que enalteciam o Senhor e que valorizavam a cultura musical e artística do povo hebreu. Os autores de quase um terço dos salmos não se identificam, porém, a música estava em destaque na comunidade judaica independente das ocasiões. Davi quando fugia de seu filho rebelde Absalão escreveu "São muitos os que dizem de mim: Não há em Deus salvação para ele. Porém tu, Senhor, és o meu escudo....Com a minha voz clamo ao Senhor, e ele do seu santo monte me responde. Deito-me e pego no sono; acordo, porque o Senhor me sustenta" (Sl 3:2-5); depois de cometer adultério com Bate-Seba, Davi abriu o seu coração contrito para o Senhor registrado no Salmo 51.1-3. Eles acreditavam que na música e na arte existia algo espirituoso, milagroso, que podia confortá-los e encorajá-los para continuarem a viver confiando no poder do Senhor.

A música e a arte, sendo executadas debaixo da santidade de Deus faz a diferença.

Digo isso com propriedade e embasado nas Sagradas Escrituras. Todo ministério de música e arte de uma Igreja Local que caminha debaixo de uma vida compromissada com a santidade e a Palavra do Senhor produz benção para sua Igreja. Cito como um dos diversos exemplos bíblicos, o rei Saul, um personagem que foi beneficiado com a música e a arte em momentos cruciais de sua vida. Quando um espírito maligno se apossava dele, Davi com sua harpa simplesmente dedilhava-a e o rei sentia-se melhor (1º Sm 16.23). Outro exemplo de Saul consta no livro de 1º Samuel 10.4-6, episódio que fez desse rei um outro homem.

Isso sem falar da queda das muralhas de Jericó (Js 6:20), etc. Daí a gente constata o magnífico poder que o louvor do Senhor pode trazer no seio de uma Igreja Local que desenvolve um trabalho sério de música e arte.

O Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista, na página 51 enfatiza a música e a arte como parte da tradição wesleyana, reconhecida e aceita pelo metodismo histórico, como instrumento de expressão e ação para capacitar o povo de Deus, leigos e clérigos para a Vida e Missão da Igreja.

O Departamento Nacional de Música e Arte da Igreja Metodista, seguindo o mesmo entendimento, têm uma proposta de incentivo as Igrejas Locais na formação técnica e espiritual dos nossos músicos e artistas. Valorizar a música e a arte sempre será a nossa meta fundamental. Pensamos assim porque o nosso propósito sempre será o de oferecer a Deus um novo cântico que só a Ele é devido.

Concluindo, pastor e pastora, vale a pena investir na música e na arte da sua Igreja Local. Os nossos paroquianos merecem, o Senhor merece.

Rev. Edson Mudesto
Coordenador do Departamento Nacional de Música e Arte
e-mail edmud@uol.com.br
 


Posts relacionados

Destaques Nacionais, Geral, por José Geraldo Magalhães

Expositor Cristão de março traz na capa a mobilização dos metodistas no combate ao mosquito Aedes aegypti

Os dados são alarmantes. O Ministério da Saúde investiga 3.448 casos suspeitos de microcefalia no Brasil até o fechamento desta edição. O último boletim foi divulgado no final de janeiro e aponta que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 estão ligados ao vírus zika. A Igreja está mobilizada. O Colégio Episcopal já se pronunciou ao orientar os membros para combater o mosquito Aedes aegypit. O Expositor Cristão foi atrás, ouviu especialistas, médicos/as, além da própria bispa Marisa de Freitas Ferreira, que, na função de médica, passou informações importantes sobre o cuidado que devemos ter. O bispo Roberto alertou para as diversas possibilidades de desenvolver a missão neste cenário que assusta todos/as nós.