Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

ornamentação

Ornamentação- a beleza que fala de Deus

 

 

 

Quem nunca olhou para a natureza e pensou em como Deus tem "bom gosto para decoração"? Encher os olhos de beleza é encher o coração da glória de Deus... Por isso, o trabalho de ornamentação da Igreja é um ministério de imenso valor: antes mesmo que a Palavra seja pregada, Deus nos fala por meio do equilíbrio e da beleza das cores, dos materiais, das texturas, aromas e do talento das pessoas dedicadas a este serviço. Um exemplo destes talentos espalhados pelas igrejas metodistas é a Nina Arbex, artista plástica e esposa do Pastor Márcio Arbex, da Igreja Metodista do Brás, 3ª Região. Ela auxilia na ornamentação de igrejas há 26 anos. "O altar não é só um espaço, é parte de uma expressão bíblica ao Senhor. As cores e os elementos de ornamentação da igreja devem representar  algo do Sagrado e, portanto, compõem o clima para a adoração juntamente com a música e a ministração da palavra. Tudo coopera", lembra Nina.

 

Por outro lado, quando a equipe de ornamentação não faz o trabalho com carinho, os membros da Igreja sentem. "Em algumas igrejas parece que a decoração é sempre ´fria?, para cumprir um protocolo", reclama Laise Romero, da Igreja Metodista em Vila Galvão, São Paulo

 

Ocorre que, às vezes, o que falta não é carinho ou dedicação, mas "técnica". Por isso, acompanhe a seguir algumas dicas simples de manuseio de materiais e combinação de cores que podem fazer grande diferença na ambientação do altar.

 

  Cuidado com as flores!

 

Flores (especialmente as de "corte", utilizadas na confecção da maioria dos arranjos florais) são sempre muito sensíveis. Mas há algumas dicas básicas e simples para você prolongar a vida das suas flores no altar. "O primeiro cuidado que você deve tomar é com a quantidade de água: nem de mais, nem de menos. O ideal é não molhar as flores diretamente, mas borrifá-las com água. Em espuma floral, bastante adicionar água, deixando-a bem molhada, mas sem transbordar", recomenda Oswaldo Tonin, paisagista e projetista de jardins.

 

Para armar os buquês, tente agrupar mais flores sempre, combinando formas, cores e tons, sugere Márcia Hallulli, especialista em arquitetura e paisagismo pela Universidade de São Paulo. "Usar um pouco de verde é um artifício que funciona em muitos casos. Tente, também, equilibrar os arranjos entre si e com o ambiente."

 

Ornamentação temática 

 

Mas a escolha das cores também pode se guiar pelo calendário litúrgico, o que resulta num expressivo recurso de decoração. Cada período litúrgico tem uma cor correspondente, e um significado bíblico (veja quadro). " É uma forma pedagógica para a compreensão do calendário litúrgico, bem como para reafirmar nossa identidade como povo metodista, e nossa história como cristãos. É muito agradável visitar uma Igreja Metodista inserida em um contexto diferente, com características próprias, mas que usa, com criatividade e harmonia, as cores e os símbolos litúrgicos: me faz sentir em casa", reforça a pastora Cláudia Nascimento, responsável pela liturgia na 3ª RE.

 

Outra boa idéia é interpretar passagens bíblicas tematizando a decoração do templo a partir de objetos simbólicos, como sino, rede de pesca, estrela, feixe de trigo etc. "Lembro-me com muita satisfação de um altar da Páscoa que trabalhei uma vez,  muito rico no simbolismo. Reproduzir escrituras bíblicas cria um ambiente mais gostoso para a igreja",  diz Nina Arbex. Mas, se faltar "inspiração",  Nina Arbex dá a dica :  "É bom pesquisar em livros sobre como trabalhar com essas e outras cores e elementos. Assim como um músico estuda e treina seu dom artístico,  o ministério de decoração também deve se preparar".

 

 

 

 

 

 

 

 


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães