Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

Palavra Episcopal agosto 2007

 

Marisa de Freitas Coutinho é Episcopisa na Região Missionária do Nordeste (REMNE)

"Os céus proclamam a glória de Deus e, o firmamento, as obras das Suas mãos "(SL: 19:1).

Uma das questões que têm trazido polêmicas as mais diversas é o do ensino acerca da criação do mundo. Tanto igrejas quanto instituições de ensino se aproximam ou se distanciam uns/as dos/as outros/as em função deste tema, quando discordam das idéias ou crenças quanto ao mundo criado.

Foi o mundo criado tal como a bíblia relata? Ou a ciência, com suas várias teorias, é que está correta? É a fé mais que a ciência? Ou é a ciência mais que a fé?

E por estas e outras ocorrem cismas, estranhamentos, divisões, e até, quiçá, "guerras santas". Tudo em nome da defesa da fé. Enquanto isso:

• O desmatamento acelera-se para dar lugar a pastos para os bois;

No leito do São Francisco vence a força do poder econômico e iniciam-se as obras da transposição;

Os animais estão em extinção;

A população ainda é lenta na prática da coleta devida do lixo;

A poluição do ar aumenta, em nome do desenvolvimento e do progresso;

A fiscalização das áreas de reservas ecológicas é deficiente - falta verba para garantir mais fiscais e mais agilidade;

Aumenta o buraco na camada de ozônio (que protege a terra dos efeitos de raios solares prejudiciais à vida do planeta);

As áreas verdes diminuem;

A miséria está à nossa volta;

Crianças são vistas e tratadas como coisas;

Trabalhadores/as da lavoura são contaminados/as pelo uso de agrotóxicos;

O calor aumenta e o frio também;

E só se fala em aquecimento global: o calor derreterá as geleiras dos pólos e a água invadirá os mares, que destruirão várias cidades.

Misericórdia! "...toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora" - foi o que disse o irmão Paulo (Rm 8:22). Quem não creu, está vendo. E mais sério: quem creu também está vendo: "E não somente a criação, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do corpo." E tanto sofrimento se dá porque "a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou. (Rm 8:20).

E o que o/a cristão/ã tem a ver com isto? - você pode perguntar. Paulo responde:

1. Neste mundo todos/as sofrem e sofrerão - porque Deus, o Criador, deixou o mundo criado sob o governo da criatura. (Gn 1:27 a 31). Entregou ao ish (homem) e a ishsah (mulher), a quem deu o nome de Adam (humanidade - Gn 5:1 e 2), o governo da terra. Até aí, tudo bem;

2. Mas a humanidade pecou (Gn 3), quando creu que podia chegar a ser deus, ao fartar-se do conhecimento do bem e do mal. Rebelou-se, rejeitando a parceria de Criador/criatura. Usurpou ser igual a Deus. E o/a pior cego/a é o/a que não quer ver - quem não se vê como é (criatura) viverá sempre com inveja daquele que É (Deus, o Criador). E haja sofrimento! Claro! Perde-se o referencial de "quem sou" e "de quem é o/a outro/a." As relações com Deus, consigo e com o/a próximo/a ficam corrompidas. Não se aceitando quem se é, desrespeita-se, manipula-se, odeia-se, magoa-se e não há encontro consigo mesmo;

3. Mas Deus, sendo Deus, age sem crise de identidade: garante o acordo (destitui a humanidade do paraíso), sem ódio, mas em ação educativa: "combinado é combinado..." E vai além do combinado: aproxima-se do Adam (humanidade) e propõe restauração. De criatura Ele pode torná-la filha, ainda que adotada pelo preço de sangue derramado na cruz do calvário (Ef 1:3 a 23);

4. Boa notícia - Jesus, o único Filho e herdeiro, abre mão da sua condição e aceita dividir a sua herança com os/as irmãos/ãs adotados/as: "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com Ele sofremos, também com Ele seremos glorificados." (Rm 8:16 e 17). Que benção!

5. Mas a benção diz: "Se com Cristo sofremos ...." Sofrimento? Mas como?

6. Ora, a redenção em Cristo só se dará totalmente quando este nosso corpo for ressuscitado. (Rm 8:23). Fomos salvos na Esperança, e esperança não é o que vemos, mas o que aguardamos em fé. (Rm 8:24 e 25). Até lá, estaremos aqui neste mundo contaminado pela separação com Deus e sob o jugo do inimigo. Vivemos em missão, apesar do sofrimento!

7. A missão é uma só: viver como filhos e filhas, ainda que nesta terra. Este é o mundo que Deus nos deu para governar. É aqui que devemos cuidar da criação. É aqui que agimos com o novo coração dado por Cristo e que se manifesta em: justiça, amor, paz, bondade... (Gl 5: 16 a 26). É aqui que a criação aguarda a manifestação dos/as filhos/as de Deus. A humanidade (Adam) rejeita a Deus e por isto vive em guerra com Ele, com os/as semelhantes a si e com a natureza. Mas os/as remidos não: restabelecem a comunhão com Deus, por meio de Jesus, restabelecem a comunhão com os/as semelhantes e com a natureza (árvores, animais, rios, ar, etc);

8. Este é o sofrimento do presente século: mesmo com a garantia da vida eterna e da perfeição que lá haverá, ainda convivemos com a criação rebelada e vaidosa, que só pensa em si e no seu bem-estar;

9. Grande sofrimento! Mas não inútil. E por maior que seja é vencido, porque o Espírito de Deus intercede por nós. (Rm 8:26 a 29) e não nos deixa desamparados/as (Jo 14 e 16)

10. É por isto que, mesmo sofrendo, podemos dizer: "nada nos separará do amor de Deus..." (Rm 8:31 a 39).

E o que isto tem a ver com a criação? Que tal você mesmo/a responder? Se alguém é de Cristo e, sob a vontade dele governa este mundo, como agirá para com ele? Como lidará com cada planta, rio, animal e gente, que Deus criou? Como responderá aos gemidos da criação?

Que Deus nos abençoe nesta nossa missão!


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

IPA