Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 22/09/2013

Vencedores do Prêmio Mundial Metodista da Paz trabalharam no Brasil e Angola

Marion-and-Anita-WaySITEMarion (in memorian) e Anita Way, marido e mulher missionários conhecidos pelo trabalho em Angola e Brasil são os vencedores do Prêmio Mundial Metodista da Paz 2013. O prêmio será entregue nessa quinta-feira (12) na Capela de Wesley, em Londres, durante a reunião do Concílio Mundial Metodista.

Como missionários em Angola e no Brasil, Marion e Anita Way ajudaram na luta contra a opressão política, racismo e outros obstáculos ao longo da sua carreira. Em 1958, o casal serviu como missionários em Angola durante o período que as igrejas metodistas eram rotineiramente acusadas de instigar o povo angolano a trabalhar para a independência de Portugal. Em 1961, Marion foi preso por duas semanas sendo acusado de conspiração; posteriormente foi transferido para Portugal onde permaneceu durante três meses sem acusação formal. Foi liberto e expulso do país. Em 1962 o casal foi enviado pela Junta de Ministérios Globais da Igreja como missionários no Instituto Central do Povo - ICP. (Confira a matéria na revista de Ação Social na página 7).

Marion desenvolveu vários programas, inclusive capacitando as pessoas em diversas áreas, por exemplo, datilografia, costura, aulas de inglês e conhecimentos de informática. Anita era responsável pela educação, serviços de apoio cristão para crianças carentes, além de ser porfessora de música. Ao longo dos anos servindo no Brasil, o casal estava sempre atento às mudanças da sociedade. Em 1995, Anita foi nomeada para a Equipe Regional de Trabalho com Crianças.

Apesar dos desafios e decepções eles nunca abandonaram os ideais em prol do Reino de Deus. Nesses 54 anos de trabalho contínuo, o casal já ajudou mais de 15 mil crianças e 45 mil famílias. Infelizmente, Marion Way morreu em maio de 2013, mas seu trabalho ao lado de sua esposa Anita em Angola e no Rio de Janeiro,  nos deixa um legado de testemunho de vida e missão. São meio século de trabalho na missionário que trouxe dignidade e autonomia econômica na Angola e no Brasil.

ANITA2

Foto tirada no ato da premiação ao lado do bispo Paulo Lockmann - Presidente do Concílio Mundial Metodista


A premiação - o Prêmio da Paz foi iniciado em 1976 pelo Dr. Stanley Leyland durante a 13 ª WMC realizada em Dublin - durante o período de intenso conflito na Irlanda do Norte. É relatado que Leyland estava tão inspirado por uma apresentação pelo Rev. Eric Gallagher sobre o conflito na Irlanda do Norte, que mudou-se de que o Prêmio da Paz Metodista Mundial seria estabelecido em um esforço para afirmar a paz no mundo.

Concedido pela primeira vez em 1977, o Prêmio da Paz Mundial Metodista é destinado a pessoa ou pessoas que tenham exercido coragem, cidadania, criatividade e consistência na busca da paz e da igualdade de direitos humanos em todo o mundo. As nomeações podem ser feitas pelos líderes das Igrejas membros do Concílio Mundial Mundial enviando uma carta destacando a razão para a nomeação e dando evidência do fruto e esforço do candidato em direção à paz.

Algumas pessoas que já receberam o prêmio em anos anteriores incluem o ex-Presidente Sul-Africano Nelson Mandela , o arcebispo emérito Desmond Tutu, e o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter. Outros destinatários são o ex-presidente da Macedônia, Boris Trajkovski, a comunidade compassivo de Santo Egídio, em Roma, e as Avós da Praça de Mayo, na Argentina.

José Geraldo Magalhães com informações do Concílio Mundial Metodista


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães