Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 15/08/2011

Cresce o uso da mídia pelas Igrejas

Religiões tradicionais foram obrigadas a se adaptar à sociedade midiática, diz especialista

Desde os primórdios da história da civilização, religião e cultura mantém uma relação estreita. Gêneros artísticos ocidentais como o Renascentismo e o Barroco foram profundamente inspirados pela religião e retrataram, principalmente, temas relacionados à fé cristã. A própria arte egípcia, há 3.000 anos a.C, tinha como fundamento ideológico a glorificação dos deuses adorados pela antiga civilização do Vale do Rio Nilo.

No entanto, a influência religiosa não se limita à esfera artística. Países como o Afeganistão, a Arábia Saudita e o Irã, que possuem religiões nacionais, tiveram e ainda têm constituições baseadas em leis divinas. Nessas regiões, a maioria dos hábitos cotidianos são guiados pela religião.

A partir do século 20, com o início do processo de globalização e intensificação dos avanços tecnológicos, a humanidade acompanhou o fortalecimento de mais um personagem nesse contexto: a mídia, que desde então começou a exercer uma grande influência cultural, por conta da invenção da televisão e do rádio, e conseqüente ampliação de seu alcance.

Como os meios de comunicação social modernos passaram a integrar o dia-a-dia de cada vez mais pessoas, mesmo as religiões mais tradicionais, a exemplo do Catolicismo, não viram outra saída a não ser tentar se adaptar a esse novo panorama. Hoje, a sociedade está repleta de produtos midiáticos encabeçados por igrejas e instituições religiosas. O canal de TV católico Rede Vida e o programa de televisão Show da Fé, do Bispo R.R. Soares, são apenas alguns exemplos.

Maria Cristina Leite Peixoto, do Centro Universitário de Belo Horizonte, já que atualmente os conteúdos religiosos concorrem diretamente com outros conteúdos divulgados pela mídia, a Igreja viu-se obrigada a refletir sobre questões ligadas não apenas ao uso dos meios de comunicação de massa, mas também à cultura midiática vigente. "Ao constituir-se como fator importantíssimo na configuração da sociedademoderna, a presença da mídia adquiriu um caráter em todas as dimensões da vida social contemporânea", disse Maria, "Assim, a religião não consegue passar ao largo desse tipo de comunicação que noticia as mudanças mais recentes ocorridas na sociedade em geral e divulga novas crenças e experiências", completou.

Para o professor de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, Edson de Faria Francisco, com tantas iniciativas para atingir diferentes públicos de diversas maneiras, muitas igrejas que adotaram o uso de meios de comunicação de massa acabaram por transformar sua programação em verdadeiros espetáculos. "O intelectual francês Guy Debord atesta que tudo vivenciado por nós acaba virando uma representação, diante do grande número de espetáculos presenciados por nós namídia", explicou Francisco." Programas como o Fala que Eu Te Escuto, da Rede Record integram a denominada 'sociedade do espetáculo', pois refletem os valores e os anseios dessa sociedade".

Fonte: Espaço Cidadania - Universidade Metodista de São Paulo


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães