Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

5ª Região: Uma Semana Pra Jesus impacta Eldorado/MS

A cidade de Eldorado, Mato Grosso do Sul, foi impactada pela 16ª Edição do Projeto Missionário uma Semana para Jesus. O evento foi entre os dias 15 e 23 de julho e reuniu metodistas de várias partes do Brasil, especialmente da 5ª Região Eclesiástica (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Goiás, Distrito Federal e parte de Minas Gerias e São Paulo).

A implantação do metodismo em Eldorado nasceu através de um “lar Mateus”, fruto do Projeto Minha Esperança Brasil. O casal Edivar Martins Alves e Walkiria Salbego Martins Alves, profissionais na área de odontologia foram os pioneiros do metodismo na cidade.

O Ponto missionário nasceu ligado à igreja em Guaira-PR – 6ª RE, sob a responsabilidade do pastor Paulo Zuccoli Rodrigues. Através de uma bem sucedida parceria entre a 5ª e a 6ª RE, sob o pastoreio do pastor Claudimar Fernandes de Lima e sua esposa Cristina Dias da Silva Fernandes, foi estabelecida mais uma Igreja Metodista no Distrito de Campo Grande – MS.

Marcha e clamor sobre Eldorado
Na terça-feira dia 19/07/2011 o Povo Metodista saiu em passeata pelas principais ruas da cidade. Um carro de som seguia e após ele uma alegre multidão em festa, que com faixas e palavras proféticas declarava que Eldorado, outrora terra do astrólogo Omar Cardoso, atualmente é terra do Senhor Jesus.

No centro da cidade, na praça central, de sobre o carro de som, o Bispo Adonias Pereira do lago, bispo presidente da 5ª RE, liderou o clamor intercedendo pelas famílias, pela prefeita, secretariado e vereadores; comerciantes e população em geral.

Atos de piedade e atos de misericórdia no testemunho do Evangelho Integral

A décima sexta edição do Projeto se deu em um clima muito frio e chuvoso, mas nem mesmo a baixa temperatura e as muitas águas conseguiram arrefecer o calor do Espírito Santo, que movia e fazia tremular a chama ardente nos corações de homens e mulheres, idosos, jovens e juvenis que “inundaram” a cidade com o anuncio do Evangelho pleno.  Encharcados pela água do Espírito, quase cinco centenas de servos e servas do Altíssimo, distribuídos/as por diversos pontos da cidade, tais como escolas, creches, quadras de esportes... proclamavam o Evangelho Pleno, dessedentando as almas sequiosas por Jesus, a Fonte da Água Viva.

Por meio de atos de piedade e atos de misericórdia, compartilhando o pão que sacia a alma através de pregações, orações pessoais e através do disk orações, evangelismo de rua; escola bíblica de férias, sob a Cruz de Cristo e a Chama do Espírito a IM também disponibilizou cursos, corte de cabelo, atendimento médico/odontológico; atendimento com advogados que ofereciam consultas jurídicas em todas as áreas. Além dos supracitados cursos e atendimentos gratuitos funcionou um bazar da pechincha com roupas e calçados novos e semi-novos vendidos a preços acessíveis.

Testemunhos da Maravilhosa Graça de Deus
Todas as programações ocorridas no Ginásio Poliesportivo de Eldorado foram transmitidas ao vivo pela Rádio Novo Tempo FM 87.9, espalhando assim através das ondas da Rádio a esperança de um tempo novo. Tempo novo tal qual o vivenciado pelo missionário brasiliense Rafael. Jovem que viu ainda na infância a destruição de sua família, e a partir de então acabou trilhando pelas sendas da criminalidade, chegando a ser preso, mas um dia conheceu a Cristo através da Igreja Metodista, encontrando nela uma grande família.

Na quinta feira à noite outro testemunho partilhado fora o do pastor José do Carmo da Silva, carinhosamente mais conhecido como Zé do Egito, o qual partilhou resumidamente seu testemunho de conversão, antes da palavra pregada pelo Reverendo Edinei Berteli Reolon. Diante de um ginasio lotado, Zé do Egito declarou: “Deus é Deus de milagres, eu creio nisso, pois sou fruto de um milagre. O maior milagre que Deus pode operar é o milagre da salvação, milagre para o qual não são necessários dons extraordinários, mas simplesmente o dom de amar o perdido. É isso que estamos fazendo aqui, amando as almas eldoradenses.

Fui uma alma perdida, fui uma alma ferida, há quase treze anos, estava com minha vida destruída, separado de minha esposa e filhos e me encontrava em profundos estados de depressão e opressão que me faziam ouvir vozes. Vozes que me orientavam a tirar minha própria vida. Vozes que me acusavam, dizendo não haver para mim esperança e perdão, pois outrora eu havia sido pregador da Renovação Carismática Católica, Ministro da Eucaristia, catequista de adultos, e por um tempo partipei de encontros das CEBs – Comunidades Eclesiais de Bases, mas em um momento de crise no matrimônio abandonei tudo, igreja e família. Fui embora de Dourados tentando reconstruir minha vida com outra mulher, mas não deu certo. Vivia atormentado pela culpa e pelo medo.

Em um sábado, ao receber o salário semanal, passei em uma mercearia, mercearia São Pedro, comprei uma embalagem de veneno para ratos. Entrei no banheiro, o qual era comum as duas casas, eu morava no fundo de uma residência, tranquei a porta, fui retirando as cápsulas do invólucro plástico que havia dentro da caixa de papelão. Punha-as na boca e tomava água, apesar das náuseas, eu ingeri quase todo o conteúdo. Desmaiei, mas por graça de Deus, o saquinho plástico encheu-se de água, e de alguma forma descendo vedou o fundo da pia, a qual passou a encher-se até trasbordar. A água caia por sobre meu corpo, saindo por sob a porta. Alguém veio usar o banheiro, e estranhando a situação, arrombou a porta.

Acordei no hospital, depois de uma lavagem estomacal. Vinte dias após o ocorrido, após um desentendimento com minha irmã, ao chegar ao portão da casa de minha mãe com quem passei a morar, ouvi uma voz suave que dizia: “vá à igreja...” olhei ao redor, achando ser minha mãe, mas não era, caminhei mais um pouco, novamente ouvi a voz: “vá à igreja!”novamente não vi ninguém. Subi a rua pedalando, passei em frente à comunidade católica, que estava fechada, passei em frente a igrejas tais como: Assembleias, Deus é Amor, Comunidade Evangélica Betânia, e outras, mas todas estavam fechadas.

A certa altura avistei uma placa em forma de seta, onde estava escrito: “igreja metodista a 500 metros, faça-nos uma visita”; segui a seta, chegando Igreja Metodista, a porta estava aberta, era à tarde da benção, entrei sentei no ultimo banco. Uma senhora por nome Irene disse-me: “Jovem venha aqui, foi Jesus quem te mandou aqui...” Eu me recusei, mas ela insistiu, então fui até o altar. Elas começaram cantar um hino, cuja estrofe dizia: “Maravilhas de amor te fará o Senhor; Respondendo a oração que aceitar; Seu bondoso poder te virá socorrer; Quando tudo deixares no altar...” Ao som de, "em fervente oração", cai ao chão, sendo tomado por um choro incontrolável e um calor muito grande que queimava todo o corpo. Na quarta-feira a noite retornei a reunião de oração, e a irmã Celina disse – me:


- Irmão, você esqueceu seu boné ontem quando foi embora, ele está aqui comigo. Eu respondi a ela: - Não, irmã esse boné não é meu. Ela novamente falou: - é seu sim! Eu vi quando você entrou com ele na cabeça, tirou-o e o colocou no encosto do banco. Eu novamente reagi e disse: - Não irmã, esse boné não mais me pertence, pois o homem que entrou na igreja com ele na cabeça foi um, mas o que saiu sem ele foi outro.

E assim Deus transformou minha vida, restaurou minha autoestima, casamento, esperança, me transformou em um pastor da Igreja Metodista para a qual Ele mesmo foi ao portão de minha casa para convidar-me a ir a ela, em uma terça-feira em uma tarde da benção. Deus seja louvado

Encerramento e lançamento da "PEDRA FUNDAMENTAL"
A décima edição Do PMSPJ teve seu encerramento com um culto nas dependências do novo templo da Igreja Metodista em Eldorado, situado a Rua Tancredo de Almeida Neves, esquina com a Rua Brasil, em frente à Prefeitura Municipal. O pregador da noite fora o Bispo João Carlos Lopes, Bispo presidente do Colégio Episcopal.

Marta Maria Araújo, prefeita municipal, em sua palavra aos bispos, Adonias e João Carlos Lopes, bem como a todo o povo reunido na pré-inauguração do templo, enfatizando o impacto do trabalho, dentre outras colocações, afirmou: “Aqui em Eldorado vocês metodistas estão deixando muitos frutos, os quais surgirão após a chuva, chuva que caiu não para atrapalhar, mas sim, para regar a semente lançada por vocês. Vocês estão partindo, mas além da saudade estão deixando muitas sementes lançadas, sementes que produzirão frutos de vidas transformadas."

 

Informou Pr Zé do Egito (5ª Região)

Veja o álbum de fotos do Projeto, aqui!


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães