Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Alexandre Padilha no Ministério

Anivaldo Padilha, Secretário de Planejamento e Cooperação da organização KOINONIA, e metodista da Terceira Região, compartilha com os irmãos e irmãs sua alegria, preocupação e esperança ao anunciar a nomeação de seu filho mais velho, Alexandre Padilha (foto), para o Ministério de Relações Institucionais do governo brasileiro.
O presidente Lula nomeou Alexandre Padilha para ocupar o lugar que era do Ministro José Múcio, nomeado para o TCU.

 

A cerimônia de posse será em Brasília, na segunda-feira, dia 28. Diz Anivaldo:
"Estarei lá, num grande esforço para conter as lágrimas de emoção em companhia da minha esposa. Alexandre nasceu cinco meses depois que fui obrigado a partir para o exílio, enquanto minha companheira, sua mãe, estava, na clandestinidade, escondida para não ser presa também.
Só pude conhecer  o Alexandre quando ele estava com oito anos, quando finalmente pude vir ao Brasil logo após a Anistia em 1979. Mas foi só quando pude retornar definitivamente ao Brasil, é que tivemos condições de conviver como pai e filho.

Só eu sei o quanto foi angustiante ser forçado a sair do Brasil,  deixar uma companheira grávida e um filho por nascer, e sabendo que corriam o risco de serem presos, torturados como eu fui, e mortos como foram muitas outras pessoas que  se opunham à ditadura militar. Sinto-me realizado e vindicado, porque  considero esse reconhecimento do talento, competência e compromisso  social do meu filho como uma vitória sobre as forças das trevas que umdia se abateram sobre nosso país.
Além de orgulhoso, estou também preocupado. Conheço a competência, a dedicação e a lisura com que ele sempre enfrentou os desafios e sei que não será  diferente agora. Entretanto, conheço também como se comporta a mídia e  alguns líderes partidários que, quando encontram resistência à suas  demandas ou a seus interesses particulares, não hesitam em caluniar, difamar e criar factóides com o objetivo de chantagear o governo (qualquer governo) para obterem vantagens e favores. Por isso, peço as orações de todos os irmãos e irmãs para que Deus conceda ao Alexandre o discernimento e a coragem para não se deixar intimidar por forças anti-éticas que estão presentes em qualquer esfera de poder, não só no poder político. Confio que o mesmo Deus que nos tem acompanhado, abençoado e nos fortalecido desde aqueles tempos sombrios continuará a guiá-lo por esses novos caminhos".


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães