Publicado por José Geraldo Magalhães em Educação - 11/10/2013

Apoio: Celebre o Dia das Crianças em sua comunidade

Sugestão de Celebração para o Dia das Crianças

 

- Tema: "Somos Especiais para Deus"
- Objetivos: Possibilitar às crianças e adultos participantes experiências que os levem a entenderem a sua importância e espaço na Casa de Deus.
- Ambientação: Na mesa deverão ser colocados toalha, bíblia e os instrumentos citados na história (tambor, cocos, pandeiros, triângulo, flauta e guizos - os objetos podem ser de brinquedo).

 

Adoração

 

- Acolhida
- Cântico: Sugestão: "Adoremos o criador" (CD Criativando - partitura em anexo)
- Leitura Bíblica: Salmos 150.

Confissão

- Chamado à confissão: Mostrar os diferentes instrumentos bem como, o som dos mesmos, sons fracos e fortes. São diferentes na aparência e na maneira de produzir seus respectivos sons;

- Oração: Pedir perdão a Deus por muitas vezes não percebermos que somos diferentes na aparência e no modo de agir, porém, somos todos muito especiais para Deus.

 

Louvor

 

- Ofertório: Dizer aos participantes e as crianças que as ofertas trazidas através das nossas mãos serão usadas no serviço que a igreja faz na Construção do Reino de Deus do qual elas são muito especiais;

- Cânticos (Partituras em anexo):
 
- "Nossa Oferta" CD Todas as Crianças. Acessar MP3 em
- "Com Todo Corpo" CD Missão Aventura Possível. Acessar MP3 em
- "Sou Criança" CD Canções para toda hora. Acessar MP3 em:  http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/mp3_faixascd.asp?autor=Canções para todas as horas

- Poesias: em anexo você encontra duas poesias que podem ser declamadas.

 

Edificação

 

- A sugestão é que se conte a história: "A Banda", extraído do Ensino eficiente - Nós e as Crianças - 3º trimestre de 1977

Algumas dicas para contar a história:

- Utilizar se possível, os instrumentos citados na história - pauzinhos, tambor, cocos, pandeiro, triângulo, flauta e guizo, e sempre que mencioná-los faça barulho com os mesmos;
- Convidar as crianças e os demais participantes para fazer, em conjunto, os sons da floresta: reúna as pessoas em grupos. Cada grupo fará, separadamente, um som: grilos, vento, sapos, chuva (garoa). Num dado momento farão juntos. É super legal! A história deverá ser contada com muita dinâmica e participação de todos).

"A Banda"
Extraído do Ensino eficiente - Nós e as Crianças - 3º trimestre de 1977

 

Era uma vez uma bandinha nova, novinha em folha. Nunca tinha tocado. Por isso não sabia muito bem como podia ser alegre. Cada instrumento se achava melhor e maior. E por isso mesmo começavam a gabar as suas qualidades em alta voz, uns para os outros.
    Os pauzinhos, Tac-Tac, disseram: "Oi gente, nós vamos botar para quebrar! Esta bandinha sem nós não vale nada. Nós marcamos os tempos certos da música. Sem nós, adeus ritmo!" E virando-se para o tambor Tac-Taquearam: "Vocês já viram músicas sem ritmo!".
    O tambor Bumba-Bum, que era muito calmo e tinha um vozeirão, respondeu tranquilo: "Para mim vocês falam isso! Tão querendo dar aula para o professor! Meninos, eu é que mando o ritmo nesta banda. Minha batida forte e clara guia você e todos mais em segurança. Sem "o papai" aqui, vocês estão perdidos!"
A essa altura os cocos, Ploc-Ploc, ploc ploquearam. "Xiii! Que mania de botar banca! Vocês com toda esta prosa, não saem do mesmo tom. Pensam que fazer barulho é importante. Veja só o nosso caso, somos leves, não gritamos tão alto, no entanto, damos aquele toque de graça, de ritmo a qualquer músico. Podemos produzir qualquer som e sem nós vocês parecem mais martelos malhando o ferro do que uma banda de respeito!".
O tambor Bumba-Bum resmungou: "Hum... estes Baianos!" E ia começar um sermão quando foi interrompido por um som que parecia uma risada. Era o pandeiro Tchá-Tchá. "Nossa, quanta prosa e gabolice*. Vocês estão se esquecendo de mim? Falou um ritmo e animação, falou pandeiro Tchá-Tchá. Marcar tempos, eu marco e com graça e classe! E ainda de "quebra" faço este Tchá-Tchá que mexe com quem me ouve! Olhem, amigos, não reparem a modéstia, mas o "papai" aqui é o maior!" A esta altura foi aquela confusão. Todos falavam ao mesmo tempo, até que o tambor Bumba-Bum deu uma batida forte e gritou: "Silêncio".
Ficaram todos tão surpresos que pararam o barulho. Então o triângulo "Plim" aproveitou a oportunidade: - Rapazes, vocês precisam me ouvir! Música é delicada. É melodiosa, é bonita. Eu sim sei tocar bem, eu enfeito este bate-bate de vocês!
"Aliás", interrompeu a flauta Tom-Tom "o nobre amigo diria melhor se dissesse nós enfeitamos, porque eu com os vários e ricos sons que produzo, sou a sensação de qualquer bandinha! Pois eu posso até tocar uma melodia inteira".
Pra que a flauta Tom-Tom foi dizer isso! Houve novo tumulto, todo mundo falando ao mesmo tempo. De vez em quando se ouvia a voz do Bumba-Bum ameaçando: "Deixe o regente chegar e vocês vão ver!"
Mas, no meio de tanta gente prosa e animada estava alguém muito quietinho e muito tristinho: Era o guizo Dim-Dim, Nem tentou dizer nada porque, à medida que cada instrumento falava de suas próprias qualidades, ele foi se sentindo cada vez menor, até chegar à conclusão de que não valia nada. "Quem sou eu" pensava ele, "para aparecer no meio de tanta gente importante!" "Sou pequeno, sou fraco, e não tenho nenhum valor. O jeito é ir embora, que eu aqui estou sobrando!".
Assim pensou e assim fez. Muito abatido, saiu devagarzinho sem ninguém perceber. Foi andando e entrou na floresta. Estava tudo silencioso e muito escuro. Mas de repente, a lua surgiu lá no alto e o guizo Dim-Dim pode enxergar ao redor. Percebeu, então, que havia um barulho perto dele. Fazia assim: "Cri, Cri-Cri, Cri, Cri-Cri". (O grupo que imita o grilo deve repetir).
Que bonito pensou ele. Que som leve!
Era um grilo que estava cantando. Guizo Dim-Dim ia elogiar quando muito outros grilos juntaram suas vozes: assim Cri, Cri-Cri, Cri, Cri-Cri (O grupo que imita o grilo deve repetir). E cresceu e pareceu encher a floresta.
"Ó", exclamou maravilhado, mas logo aquele som sumiu e antes que o guizo Dim-Dim pudesse dizer outro "Ó", ouviu outro som suave. Tche... Tche... Era o vento passando nas folhas das árvores lá no alto e quando olhou para cima, o vento soprou mais forte e o som ficou. Tche... Tche... Tche... Tche (O grupo que imita o vento deve repetir) E cresceu e pareceu encher a floresta
Guizo Dim-Dim estava adorando a floresta. Caminhou mais um pouquinho e quase tropeçou num sapo que estava cantando com voz de baixo: "Foi... foi... foi... foi... foi... foi...".
"Ó" que riqueza; Parabéns senhor sapo", ia dizendo, quando muitos outros sapos juntaram suas vozes assim "Foi...foi...foi...foi... foi...foi..." (O grupo que imita o sapo deve repetir) . E aquele som cresceu e pareceu encher a floresta.
Guizo Dim-Dim estava encantado, mas estava cansado e precisando pensar em todas aquelas coisas lindas que havia ouvido. Parou num lugar seco e confortável e pensou como aqueles sons que tinha ouvido eram suaves e depois ficaram tão fortes que pareciam encher a floresta. "O que será? Como isto pode acontecer?". Nisso, ele ouviu, bem leve Plim...Plim...Plim Era a garoa (uma chuva fininha, que estava começando a cair e logo se tornou muito forte e o som cresceu e pareceu encher a floresta: Plim... Plim... Plim... Plim... Plim ((O grupo que imita a chuva deve repetir).
"Ó, já sei!". Gritou o Guizo Dim-Dim. "Todos juntos com suas vozes suaves é que fazem o som grande e bonito".
E naquele momento, para confirmar a sua descoberta, todos os grilos começara a cantar: Cri, Cri-Cri Cri, Cri-Cri... O vento começou fresquinho e foi crescendo Tche... Tche... Tche... Tche... E todos os sapos cantaram juntos: Foi... Foi... Foi... Foi... Foi... Foi... E chuva fazia: Plim...Plim...Plim...Plim...Plim...Plim... (todos juntos, cada grupo fazendo o seu som). E todos aqueles sons, juntos pareciam encher a floresta e o mundo. E o guizo Dim-Dim, embalado pela música adormeceu.
No outro dia chegou o regente da bandinha e começou o ensaio. Estava dizendo o que cada um devia fazer quando foi interrompido pelo tambor, Bumba-Bum: "Perdão Senhor maestro, mas devido a minha importância eu penso que...".
"Que importância, que nada! Ninguém aqui é melhor que os outros Todos são importantes na sua função e o esforço de cada um e de todos é que vai fazer nossa bandinha tocar bem!".
O maestro olhou ao redor e disse: "E por falar nisso, onde estão os guizos? Esta banda não tem guizos? Não podemos executar nossa música sem guizos!". Todos se olharam e os cocos, Ploc-ploc, ploqueploquearam: "Havia guizos, sim, mas eram tão insignificantes...".
"Silêncio! Já disse que todos são importantes!".
"Tá bem, Seu Maestro. Calma", disse o pandeiro Tchá-Tchá. Penso que poderei substituir o guizo Dim-Dim se o Senhor...".
"Nunca", berrou o maestro. "Preciso de guizos e sem eles não haverá música!".
Um "O" saiu de todos os instrumentos que, de tão tristes, emudeceram. Foi quando se ouviu alto e claro: "Dim, dim, dim, dim...". Todos suspiraram e viram o guizo Dim - Dim curvar-se diante do maestro: "Guizo Dim-Dim se apresentando, senhor! Perdoe o atraso. É que fui buscar meus irmãos porque descobri que a nossa bandinha é como uma família. Todos são importantes e do trabalho de todos é que resulta a harmonia de uma música bonita".
"Muito bem!", exclamaram todos.
"Ao trabalho", disse o maestro. E cada um no seu cantinho, procurou fazer o melhor, ouvindo o que os outros faziam. E a música alegre foi saindo pelas portas e janelas e pareceu encher mundo.
*gabolice: vaidade, presunção.

Texto Bíblico: Marcos 10.13-16
Sugestões para o enfoque:
Conversar com comunidade sobre sua importância das crianças para Deus. Assim como o maestro deu importância aos guizos que eram instrumentos tão pequenos e até menosprezados pelos demais, Jesus valorizou as crianças dizendo que elas eram importantes, pois, já faziam parte do Reino.
Os adultos que ali estavam precisavam de algum esforço para participar desse Reino que às crianças já estava garantido. Se Jesus acolheu e garantiu sua participação no Reino isso requer da igreja uma postura comprometida com a criança e seu processo de educação na fé. Isso implica em não somente reconhecê-la como participante do corpo, mas em atendê-la para que tenha plenas condições de crescer e amadurecer na fé de forma tranqüila e consistente.
A igreja precisa proporcionar em sua convivência com a criança um ambiente fraterno, destinar ao seu cuidado os recursos e seu melhor pessoal para garantir que esses pequenos participantes do Reino possam conhecer o amor genuíno de Deus e com Ele se comprometer a fim de que nenhum deles venha a se perder.
Seguindo o exemplo de Jesus, a Igreja deve acolhê-las; afagá-las; amá-las e trazê-las para um lugar no meio, isto é, lugar de prioridade, garantir-lhes o sentido de pertença, cultivar nelas o prazer de participar da família de fé e ensinar-lhes os valores do Reino de Deus.

 

Dedicação

 

- Cântico: "Sou criança e faço parte". Utilize alguns instrumentos. Neste momento, distribua um guizo para cada participante com um cartãozinho com texto de Mateus 19.14: "Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus".

 

Bênção cantada

 

Musica "Bênção" - CD Criativando - Coral Arco-Íris Igreja Metodista em Rudge Ramos - SP/ 3ª RE).

Liturgia organizada por Rogéria Valente,
Coordenadora do Departamento Nacional de Trabalho com Crianças

 

Letras das músicas

 

- Adoração

1.    Adoremos o Criador [CD Criativando - Igreja Metodista do Rudge Ramos]

Vinde adoremos! Vinde adoremos!
Deus criou o mundo para mim e para você.

Árvores e vento, o silêncio da mata
Beleza e perfume das flores,
Pássaros voando por todo lugar;
Que bom poder apreciar.

Vinde adoremos...

A chuva rega a planta, que a todos vai alimentar
A lua se esconde no silêncio da noite,
Há paz e harmonia no ar.

Vem novo dia, paz e harmonia.
A natureza revela a criação de Deus.

- Louvor

1.    Nossa Oferta [CD Todas as Crianças - DNTC]

Com muita alegria trazemos nossa oferta,
Para ajudar no trabalho do Senhor.
Ofertamos também nossas vidas,
Para o seu louvor.

Ofertar com amor,
Para o trabalho do Senhor.
Juntos podemos contribuir,
Para o Reino do Senhor.

2.    Com todo corpo [CD Missão Aventura Possível - DNTC]

  A                                             E     
Com as minhas mãos eu louvo a Deus assim.
Bm                        E                   A
Com as minhas mãos eu louvo a Deus assim.
                          A7                     D     
Louvo ao meu Deus em todo o tempo
                                A/E
E com todo o meu corpo
           E                         A
Louvarei ao meu Senhor.
A                                         E
Com os meus pés eu louvo a Deus assim
Bm                    E                 A
Com os meus pés eu louvo a Deus assim.
                          A7                     D
Louvo ao meu Deus em todo o tempo
                                A/E
E com todo o meu corpo
           E                        A    
Louvarei ao meu Senhor.
A                                               E
Com a minha cabeça eu louvo a Deus assim.
Bm                       E                   A
Com a minha cabeça eu louvo a Deus assim.
                          A7                    D
Louvo ao meu Deus em todo o tempo      )
                                A/E
E com todo o meu corpo                          )
           E                         A
Louvarei ao meu Senhor.                         )  2x

3.    Sou Criança [CD Canções para Toda Hora]

Sou criança e faço parte,
Desta casa que é a casa de Deus.
Sou pequena e importante
Neste trabalho que a igreja faz.

Sou criança e faço parte,
Desta casa que é a casa de Deus.
Canto, pulo, grito e falo,
As maravilhas do Senhor.

- Benção

4.    Benção [CD Todas as Crianças - DNTC]
Deus nos abençoe e nos guarde
Agora e sempre. Amém

 

Outros Recursos que podem ser utilizados

 

1-    Poesias (apresentações em ppt em anexo):

- BRINCAR (Elaine Cezar - 2013)
PEGA-PEGA E ESCONDE-ESCONDE,
CARRINHO, PIPA E FUBECA.
BRINCAR DE RODA E CUIDAR DA BONECA.

QUATRO CANTOS, BICICLETA,
JOGAR BOLA E  AMARELINHA
QUE GOSTOSO É BRINCAR DE CASINHA!

BRINCADEIRAS INFINITAS,
DELICIOSAS E BONITAS.
CRIANÇA QUE BRINCA É FELIZ,
ISSO, SEU ROSTINHO LOGO DIZ.

IMAGINAR E BRINCAR
FAZEM PARTE DA CRIANÇA,
GERA CRESCIMENTO,
DIVERSÃO E CONFIANÇA.

- CRIANÇA (Elaine Cezar - 2013)

ALEGRIA, ENERGIA,
BRINCADEIRAS E FESTANÇA.
TODA CRIANÇA PRECISA
DE UM POUQUINHO DESTA DANÇA.

UM COLINHO, UM DENGUINHO,
ISSO É MUITO GOSTOSO
E PARA AS CRIANÇAS
É ALGO PRECIOSO.

UM CARINHO, UM OLHAR,
PODER OUVIR E TOCAR.
COMO ADULTOS PRECISAMOS NOTAR,
QUE UMA CRIANÇA É UM SINAL,
QUE DEUS NA TERRA ESTÁ A BRILHAR.

 

Clique aqui para ouvir as músicas


Posts relacionados

Geral, Administração, Educação, Colégio Episcopal, por Comunicação

FACULDADE DE TEOLOGIA TEM POSSE DA NOVA DIRETORIA

  A Faculdade de Teologia da Igreja Metodista realizou a posse da nova direção na manhã do dia 8 de janeiro. O presidente do conselho diretor, Rev. Wesley Gonçalves e o Bispo Bruno Roberto dos Santos presidiram a solenidade.

Educação, por José Geraldo Magalhães

Metodistas celebram o dia da Escola Dominical. Confira!

O Dia Nacional da Escola Dominical - celebrado no 3º domingo de setembro na Igreja Metodista - foi lembrado em várias Igrejas pelo Brasil a fora. Um Encontro Regional de Escola Dominical da 1ª e 7ª Regiões foi realizado no Instituto Metodista Bennett, no Rio de Janeiro/RJ. Recebemos relatos e fotos de alunos reunidos em classe, professores, Coral, Igrejas maiores, menores e pontos missionários.

Mulheres, Educação Teológica, Educação, Expositor Cristão, por José Geraldo Magalhães

Encontro de capacitação reúne mulheres de todo o Brasil

Aprendizagem e o diálogo sobre o culto a Deus que se dá comunitariamente na caminhada da vida foi um dos destaques no evento que aconteceu em junho em São Bernardo do Campo/SP