Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 04/05/2013

Igreja Metodista em Manaus acolhe grupo de voluntários do Sombra e Água Fresca


Integrantes da equipe nacional do projeto Sombra e Água Fresca estão na Igreja Metodista em Mutirão, em Manaus/AM neste sábado (4). A ideia é promover a sensibilização e capacitação para os/as voluntários/as na Região Missionária da Amazônia - Rema. O encontro conta com a participação de 35 pessoas interessadas em conhecer e implantar o projeto nas comunidades locais.

A equipe dos voluntários em missão – um grupo de norte americanos que estão desenvolvendo trabalhos missionários em Recife/PE e Belo Horizonte/MG, também participam do encontro. Toda a equipe sairá em viagem no Barco Hospital da Igreja Metodista no domingo, dia 6, para atender o município de Iranduba, onde prestará vários atendimentos durante cinco dias nas áreas da saúde, educação, espiritual entre outras, às comunidades ribeirinhas (povoados que moram as margem dos rios da Amazônia).

O pastor titular da Igreja Metodista em Mutirão e coordenador do projeto Barco Hospital se alegrou com a equipe presente. "É uma satisfação enorme receber pessoas de nossas igrejas e, sobretudo, o Sombra e Água Fresca juntamente com os voluntários em missão. Certamente Iranduba será privilegiada pelo trabalho que será realizado nos próximos dias", declarou o pastor.

Uma das realidades de Manaus é a alta violência sexual infantil do sexo feminino que ultrapassam os 82% dos casos analisados, sendo 9,8% do sexo masculino. A constatação é da tese de doutorado do pesquisador da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Joaquim Hudson Ribeiro, que analisou 4.612 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes na capital, entre os anos de 2006 a 2010. A maioria das vítimas tem entre 10 e 13 anos de idade. Segundo o estudo, mais de 55,8% dos abusos ocorreram dentro de casa.

Os números preocupam a pastora coadjutora da Igreja Metodista em Mutirão, Lunalva Lúcia Ribeiro, que destaca a importância do projeto da região. “É um trabalho de resgate da criança porque a exploração infantil é muito forte em Manaus, inclusive meninas de 11 anos que ficam grávidas. A Igreja precisa ir à contra mão dessa realidade”, desabafa a pastora que está na comunidade há dois anos.

A relevância do projeto no bairro Santa Etelvínia, também em Manaus, tem feito à diferença. “Da estrutura que temos hoje, 80% foi adquirido por meio do projeto Sombra e Água Fresca”, disse Adalberto Alves da Silva, pastor da congregação da Igreja Central de Manaus.

Para a coordenadora local do projeto em Santa Etelvínia, Roberta Barroso, o projeto é fundamental para o desenvolvimento das crianças. “Vejo a transformação na vida das crianças que passam pelo projeto. Várias delas já saíram porque atingiram a idade de 16 anos, mas levam a formação de caráter, educação cristã por onde quer que passem”, afirmou Roberta.

As comunidades presentes no encontro foram Santa Etelvínia, Crespo, Alfredo Nascimento, Novo Israel, Mandaquiri e Mutirão.

Projeto – o projeto social da Igreja Metodista, Sombra é Água Fresca, existe há 13 anos. O objetivo principal é atender crianças e adolescentes com idades entre 6 a 14 anos em situação de vulnerabilidade. Dentre as ações desenvolvidas no projeto estão, reforço escolar, artesanato, esporte e recreação, educação cristã, música entre outras.

Acesse o site do projeto Sombra e Água Fresca ou conheça o informativo Tecendo a Rede

 

 

Veja as fotos clicando na imagem ao lado!



Posts relacionados