Publicado por José Geraldo Magalhães em Expositor Cristão - 04/06/2014

Liturgia: As cores do tempo da graça

Luiz Carlos Ramos / 
Pastor da Igreja Metodista em Pirassununga/SP
 
A pregação do Evangelho é tanto mais eficaz quanto melhor for a comunicação da Igreja. Comunicação é mais do que discurso, pois se dá no nível verbal e no nível não-verbal. A Igreja evangeliza não somente pelo que ela fala, mas também (ou principalmente) pelo que ela demonstra. Dizem os/as estudiosos/as que mais de dois terços da área cerebral humana é destinada ao processamento de informações visuais. Assim, cada vez mais, fica evidente a importância da comunicação visual. E a combinação das cores é um importante elemento no estímulo à percepção visual humana.
 
Assim como as parábolas foram utilizadas por Jesus como recurso comunicativo para estimular a imaginação (imagem+ação) de seus discípulos, a Igreja emprega recursos visuais, principalmente na ambientação de seus espaços cúlticos, visando ao anúncio do Tempo da Graça. E foi com a experiência acumulada ao longo da história da Igreja, que o emprego das cores nos lugares de culto, deixou de ser feito de maneira aleatória para ser usada com critérios estéticos e teológicos.
 
Secularmente, o estudo das cores passou a ser feito mais sistematicamente no período do Renascimento, por Leon Batista Alberti que relacionou as cores com os quatro elementos da natureza: vermelho—fogo, azul—ar, verde—água, cinza—terra; e por Leonardo Da Vinci, que propôs a seguinte simbologia cromática: branco—luz, amarelo—terra, verde—água, azul—ar, vermelho—fogo e preto—trevas.
 
Desde então, confirmou-se, cientificamente, que as cores afetam o metabolismo humano basicamente da seguinte maneira: as cores quentes (vermelho, amarelo) aceleram o batimento cardíaco e aumentam a pressão arterial; ao passo que as cores frias (azul, verde) acalmam e relaxam.
 
Geometricamente, as cores são assim representadas: Quadrado—vermelho (que sugere ação centrífuga, i.e., do centro para fora), círculo—azul (que sugere ação centrípeta, i.e., de fora para o centro) e triângulo—verde (que sugere estabilidade).
 
Com essas informações, fica mais fácil entender por que a Igreja convencionou o uso do vermelho para o período de Pentecostes, pois é uma época de missão (de dentro para fora); e o uso do verde para o Tempo Comum, sugerindo a estabilidade e a persistência dos/as fiéis no cotidiano.
 
Veja no quadro (à esquerda) o esquema tradicional das cores litúrgicas. Obviamente, essa é uma convenção basicamente ocidental. Em outras culturas, as cores podem assumir outros significados, ou até mesmo significados opostos. De qualquer forma, se conseguirmos utilizar o poderoso poder de comunicação visual das cores de forma inteligente e teologicamente coerente, estaremos melhorando nossa capacidade de pregar o Evangelho em uma sociedade marcada pelo fascínio das imagens.   
 
 
LEIA A EDIÇÃO DO EXPOSITOR CRISTÃO DE JUNHO NA ÍNTEGRA!

Tags: expositor-cristao, jornal, igreja-metodista, liturgia


Posts relacionados

Expositor Cristão, por Sara de Paula

EC | 21º Concílio Geral bate à porta e traz esperança ao povo metodista

Todas as vezes que se fala em Concílio Geral (CG) se pensa em debates, discussões intermináveis, decisões importantes que precisam ser colocadas em pauta, missão da Igreja, e por vezes muitos assuntos acabam ficando para o Colégio Episcopal e/ou a Cogeam decidirem futuramente.

Expositor Cristão, por Sara de Paula

[EC] Webinar do Metodismo Mundial

O webinar será realizado nos sábados do mês de agosto, dias 1º, 8, 15, 22 e 29, pela manhã, das 8h30 às 12h, e contará com palestras, diálogos e painéis, além de uma sessão especial opcional das 19h às 20h30 (horário de São Paulo, Brasil). As sessões ocorrerão através da plataforma de videoconferência Zoom.

Expositor Cristão, por Sara de Paula

Bispo Paulo Lockmann emite nota sobre encontro com Papa

No mês de abril, o presidente do Concílio Mundial da Igreja Metodista se encontrou com o Papa Francisco no Vaticano

Expositor Cristão, por Sara de Paula

Diretor Geral confirma evolução da situação econômico financeira da Rede Metodista de Educação

Mudança estratégica de reorganização operacional evita venda de patrimônio

Expositor Cristão, Destaques Nacionais, Mídia, por José Geraldo Magalhães

Palavra Episcopal: Expositor Cristão para todos/as

Vivemos num tempo de grandes avanços nas formas de comunicação. Apesar da crença de que livros, revistas e jornais em papel acabariam, provavelmente essa realidade está longe de acontecer. Obviamente, ocorreu a diminuição de material impresso, devido aos desafios ecológicos e à possibilidade de termos o mesmo conteúdo eletronicamente ou em dispositivos de fácil manejo. fonte: Bispo Adonias Pereira do Lago 

Expositor Cristão, Geral, por José Geraldo Magalhães

Filme NOÉ: crítica e reflexão

Fica claro que o filme não é fiel à narrativa bíblica de Noé. Todavia, também é muito claro que os diretores não possuem nenhum compromisso em expor as Escrituras com fidelidade