Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

mulheres no Concilio Geral participação nas plenárias

A participação nas plenárias

 

No processo de quantificação da participação das plenárias dos dias 10-12, notamos que os homens pastores exerceram com mais frequência o uso da palavra para discussão ou apresentação de propostas. É preciso notar que a metodologia conciliar priorizando as discussões plenárias - como um espaço público de discussão - inibiu a participação de mulheres e leigos - facilitando a participação daqueles que têm maior desenvoltura e prática nos espaços de debates públicos e discursos individuais e pessoais. Notamos que as propostas discutidas em plenário, tiveram a maior intervenção masculina do que feminina. Em conversa com mulheres delegadas escutamos várias vezes de que as mesmas não intervinham neste espaço porque consideravam os debates repetitivos e estéreis, e que não se sentiam à vontade em discuti-los desta maneira. Vale também destacar que 70% dos conciliares (mulheres e homens) estavam participando pela primeira vez  de um Concilio Geral da Igreja Metodista - dado este constatado em enquête realizada na plenária pelo Professor Hélerson Bastos -  portanto neófitos nesta dimensão eclesiástica.

As palavras, como os silêncios, estão carregadas de sentidos, cada sentido constrói uma verdade que por sua vez produz uma forma de poder. Se quem fala na maioria das vezes são os homens - e os homens clérigos - eles detêm o poder da palavra e conseqüentemente o poder de decisão nas aprovações de propostas.


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães