Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

palavra do reitor da UNIMEP

Como é de conhecimento público, a Universidade Metodista de Piracicaba vem enfrentando um conjunto de dificuldades decorrentes da conjuntura interna e externa que, precisam ser bem compreendidas, quer pela sua origem e natureza, quer pela forma de encaminhamento das propostas em curso, pela atual gestão, que assumiu a Reitoria há cerca de um mês.

Com uma dívida bancária acumulada de cerca de R$ 30 milhões, déficits mensais sucessivos há cerca de quatro anos e um comprometimento mensal da receita líquida de 82,6% somente com gastos com pessoal e encargos trabalhistas, a Instituição vinha caminhando rapidamente para um colapso financeiro, com sérios riscos à continuidade do desenvolvimento do seu projeto educacional.

Ao longo dos últimos anos, a Instituição desenvolveu política salarial e de fixação do seu pessoal de forma atrativa, alcançando-se atualmente salários e benefícios sociais onerosos, bem acima do que praticam outras instituições universitárias, inclusive reconhecidas universidades públicas do nosso país.

Para se ter uma idéia, um professor doutor em tempo integral recebe salário-base na UNIMEP de  R$  8.604,24 ao mês, fora benefícios específicos (quinquênios, bolsas de estudos e plano de saúde extensivo aos dependentes legais, auxilio creche, dentre outros), num custo total para a Instituição que pode chegar a mais de R$ 15.000,00 por mes. Tal situação se tornou insuportável e incontrolável pela Instituição, requerendo medidas de ajustamento.

Nos últimos anos, temos assistido a um processo de redução do poder aquisitivo da população em geral, em especial da reconhecida classe média, público predominante em instituições particulares de ensino como a UNIMEP. Pais e alunos reivindicam por qualidade no ensino aliado a mensalidades compatíveis ao seu poder de pagamento. No tocante às mensalidades, a UNIMEP vem realizando esforço nesta direção, o que requer, entretanto, forte readequação do seu custeio.

Nos últimos meses, com o agravamento da situação, a comunidade interna foi mobilizada para, através do diálogo, encontrar soluções adequadas para superar tal situação, o que gerou a formação de um grupo de trabalho para se construir um pacto de desenvolvimento e sustentabilidade com a participação de representantes da instituição, de professores, alunos e funcionários. Não obstante, suas propostas e encaminhamentos foram absolutamente insuficientes para o enfrentamento de tão grave situação, o que significou um momento de esgotamento de soluções pela via da negociação com os diversos agentes internos.

A partir deste fato, a Auditoria Independente contratada pela Instituição recomendou à nova gestão medidas imediatas para saneamento da crise financeira atual. Assim, a Universidade não pode mais adiar o processo de profunda reformulação da sua gestão e de suas práticas e condições de trabalho, adequando-se a este novo momento, tornando-se acessível aos estudantes e preservando sua identidade e qualidade acadêmica sempre reconhecidas publicamente.

Desta forma, no último dia 7, a Reitoria da Universidade, valendo-se de suas competências estatutárias e regimentais, decidiu redefinir o quadro docente e funcional aos parâmetros orçamentários aceitáveis, já aprovados pelo Conselho Universitário, o que significou a demissão de docentes. Desde então, a Reitoria e sua assessoria estão encaminhando providencias imediatas para assegurar a normalidade da vida universitária, o que foi inviabilizado, em parte, pela ocupação dos prédios no Campus Taquaral por grupo de manifestantes.

Apesar disto, manifestamos publicamente nosso compromisso com a garantia do cumprimento do calendário acadêmico de 2006, do processo de renovação de matrículas dos alunos veteranos e do ingresso dos calouros, recém aprovados no processo seletivo, para 2007, sem prejuízo de quaisquer atividades acadêmicas, em espírito de diálogo e de pleno funcionamento dos colegiados da Universidade. Vale ressaltar que a Universidade continua mantendo contingente de docentes com titulação superior à exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

A Reitoria conta com a compreensão de toda a comunidade universitária e regional, reiterando que as medidas e encaminhamentos adotados o foram com responsabilidade no difícil e complexo processo de gestão universitária.

Davi Ferreira Barros

Reitor

 

Veja também:

Unimep recebe manifesto de apoio de instituições metodistas de ensino.

 


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Wetransfer: como usar a ferramenta para troca de arquivos na igreja

Você já teve dificuldades para trocar arquivos como vídeos e fotos em alta qualidade com as pessoas da sua igreja? Nesse vídeo, Rodrigo de Britos explica como utilizar a ferramenta Wetransfer para ajudar nessa função. 

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães