Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 18/07/2012

Remne cresce 11,8% em 2011

    A partir desta edição (julho/agosto) o Compartilhar Pastoral publica a primeira de uma série de três reportagens sobre o método PDCA, sua aplicação e resultados no contexto da Remne. Os textos e gráficos resultam de um intenso trabalho de monitoramento de ações, acompanhados com muita atenção e zelo pelo consultor da Região no projeto PDCA, o irmão Sebastião Castro, da 1ª Região Eclesiástica. Utilize as informações para entender melhor o processo e ficar bem informado/a acerca desse modelo de gestão que pretende dar um salto no autosustento, autogoverno e autoproclamação da Palavra em terras nordestinas.   

“São três pilares de sucesso que a Remne têm buscado: liderança, conhecimento gerencial e conhecimento eclesiástico”. Foi com estas palavras que o irmão Sebastião Castro definiu o que motivou o maior crescimento da Remne nos últimos anos: 11,8%, conforme mostra o gráfico abaixo, divulgado pela Secretaria Regional de Estatística:



Por Sebastião Castro

Projeto de Gestão Estratégica Missionária – PGEM
Nossa Visão:
Cada metodista um/a missionário/a, cada lar uma igreja

Nossa Missão:
Participar da ação de Deus no seu propósito de salvar o mundo, particularmente o povo  do Nordeste.

Nosso Desafio de Crescimento nos próximos 10 anos:
Atingir  25.000 metodistas em 2021 a partir de 5.400.

Daí a pergunta. Como?
Iniciamos em janeiro deste ano a arrancada para alcançar este objetivo. O  trabalho de gestão junto à administração da REMNE com base na metodologia PDCA (Plan-Do-Check-Action) está sendo implantado desde outubro de 2009. Atualmente estamos preparando a base para disseminar por toda a Região esta metodologia que nos permitirá junto com Pastores, Líderes e Membros de nossas Igrejas alcançar estes desafios de crescimento do Reino de Deus no Nordeste.

Trata-se da inserção no dia a dia da gestão da Região de nova forma de Gestão Organizacional que  juntamente com a Líderança atuante e o Conhecimento Técnico existente e a adquirir, concorrerão para a Região atingir este desafio. Temos uma previsão de alcançarmos no biênio 2012/2013 a marca de 6750 membros na Região.

Aparentemente atingir  25000 membros  em 10 anos é uma marca difícil de ser alcançada. Entretanto, vejam bem, se conseguirmos transformar cada membro metodista num discipulador ou seja formarmos 5400 discipuladores, cumpridores do IDE de Jesus, facilmente alcançaremos a marca do 25000, visto que bastará a cada metodista discipular 1 não crente a cada 4 anos, alcançaremos em 10 anos a marca de 31900 membros, ou seja mais que 25% acima da meta definida para o PGEM 2012-2021.

O desafio passa então a fazer discipuladores entre os membros e  montar toda a estratégia para que os avanços conseguidos sejam mantidos, ou seja criar um processo de melhoria contínua.

Mas como fazer tudo isso acontecer?
Respondemos da seguinte forma: Deixando de lado uma gestão com padronização mínima  e controle sem foco em resultados e implantando na Região um Modelo de Gestão baseado numa  Visão Sistêmica e suportado por um método para atingir os Resultados desejados com a utilização de ferramentas estatísticas e recursos tecnológicos atuais e adequados e investimento de impacto na formação, capacitação e treinamento de Pastores, Líderes e Colaboradores.

A metodologia PDCA em implantação irá contribuir de forma direta para o alcance destes objetivos.

A figura abaixo mostra a Igreja sob o ponto de vista de um Sistema constituído de processos Fins e de Apoio.

Utilizando a metodologia PDCA (PLAN-Planejar, DO-Fazer, CHECK-Verificar, ACT- Agir, na fase inicial  Planejamento,  primeiramente partimos para a definição de metas e a seguir a  elaboração dos Planos que, uma vez executados , permitirão alcançar as metas.

Os gráficos  abaixo ilustram o estabelecimento destas metas ao longo dos próximos 10 anos observando que o crescimento deverá ocorrer de forma geométrica (exponencial) considerando que a implantação do Discipulado deverá ocorrer como um efeito multiplicador, ou seja quem ontem não era Crente em Jesus, hoje é um Discipulo ( foi alcançado) e amanhã será Discipulador (irá alcançar um não crente).

As metas devem ser atingidas pelo esforço de toda a equipe. Daí devem ser desdobradas até o nível da Igreja Local. As metas definidas foram as estratégicas. Torna-se necessário que estas sejam desdobradas. Por que isso?

Explicamos abaixo:
Numa organização existem as atividades operacionais e as de melhoria. As atividades operacionais são geridas pelo sistema de gerenciamento da rotina do dia a dia que depende fundamentalmente da padronização dos processos e da orçamentação. Os resultados da organização acontecem através este sistema.

As atividade de melhoria são de longo prazo e anuais e integram o sistema de gestão estratégica da organização que tem como objetivo traçar os rumos futuros da organização. É sobre essa base que a organização deverá criar novas políticas, novos projetos e metas anuais. A partir daí deve-se desdobrar as metas para todos os níveis, até que todos tenham suas metas anuais.

É um processo bastante trabalhoso e que demanda muito treinamento, disciplina e perseverança, daí exigir muito da Liderança participar ativamente demonstrando para a organização a necessidade, priorização e sentido de urgência.

O que é um sistema de gestão? Como foram definidas as metas e os desdobramentos pelos seis distritos da Remne? A resposta a estas e outras perguntas você confere na segunda reportagem especial sobre o método PDCA e sua aplicação na Remne. Não perca... é na próxima edição do Compartilhar Pastoral.


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães