Publicado por José Geraldo Magalhães em Discipulado, Destaques Nacionais - 12/09/2014

Renovação da Igreja: Jerusalém até os confins da terra é tema do segundo dia do Encontro Nacional de Discipulado

Quase 700 metodistas reunidos em Curitiba com um único propósito: aprender um pouco mais sobre discipulado. No segundo dia do Encontro Nacional de Discipulado e Missão da Igreja Metodista o preletor da manhã foi do coordenador internacional do Global Kingdom Partnerships Network (GKPN), pastor Elias Dantas que abordou sobre a importância da renovação da Igreja e dos desafios na atualidade. “Quando os confins da terra são alcançados está na hora de voltar a Jerusalém porque o evangelho é dinâmico”, disse.
 
De acordo com o pastor, um dos grandes desafios é o tribalismo. “É a melhor maneira de evangelizar alguém porque a pessoa quer aprender outra língua para entender o que os outros estão falando”, afirmou citando a importância de criar os grupos homogêneos que falem a mesma língua, por exemplo, advogados, professores entre outros.
 
Outro desafio mencionado por Dantas foi o ciclo da vida com o ciclo da vida congregacional. Na explicação do ciclo congregacional a Igreja passa por quatro etapas: visão, inclusão, programas e administração. 
 
“O ‘volante’ nas igrejas mais maduras são: relacionamentos, programas, visão e administração. A pergunta é: quem está no volante de sua Igreja?”, indagou o pastor. A grande pergunta é saber o como fazer. Ao aparecer um modelo novo, as pessoas “pulam nele”. Segundo o preletor a pergunta mais importante é saber o por quê que irá definir “o quê fazer”. Quando essa mecânica é bem articulada, a igreja caminha na graça de Deus porque entende o DNA cristão”.
 
A pergunta “por quê missões?” também foi indaga pelo preletor que apontou alguns caminhos teológicos em Gn 3.9 (Deus que busca); At 1.8 e 9.31 (Jope) a implicância no sacerdócio de todos os crentes I Pd 2.9 -2.5 (pedras vivas) e concluiu dizendo que a única maneira de manter o foco correto. “Sem auto promoção ou auto flagelamento”. 
 
Representação - o encontro está com uma representatividade de todas as Regiões Eclesiásticas e Missionárias. São 667 pessoas que vieram de Norte a Sul do país em busca de capacitação.
 
1ª Região - 100
2ª Região 70
3ª Região 72
4ª Região 62
5ª Região 76
6ª Região 202
Remne 9
Rema 70
Total de participantes 667 pessoas
 
 
AGENDA DO DIA 12 
11h30 - Workshops
Bispo Adonias Pereira do Lago - Discipulado como estilo de vida.
Pra. Rosangela Donato - Repensando o discipulado depois de dez anos.
Bispo João Carlos Lopes - Parcerias e levantamento de recursos.
Pr. César Sitta - Crescimento e plantação de igrejas.
Pr. Danilo Figueira - Novas formas de evangelismo
Pr. Ubiratan Silva - Como desenvolver líderes para grupos de discipulado.
13h - Almoço
15h - Workshops
Pr. Ewander Macedo - Discipulado como estilo de vida.
Pr. Elias Dantas - Como desenvolver líderes para grupos de discipulado.
Pr. José Odilon Vergara - Como cuidar do fruto.
Pra. Carla Alves - Repensando o discipulado depois de dez anos.
Pr. Carlito Paes - Parcerias e levantamento de recursos.
Pr. Paulo de Tarso Pontes - Crescimento e plantação de igrejas.
Pr. Jonas Barreto - Novas formas de evangelismo.
16h30 - Intervalo
19h30 - Culto - Canal da Música - R. Júlio Perneta, 695, Mercês.
Palavra de Acolhida: Bispo João Carlos Lopes
Dirigente: Pr. Luis Carlos Lima Araújo
Louvor: Nelson Junker Jr.
Pregador: Pr. Daniel Ho

Posts relacionados

Destaques Nacionais, Geral, por Sara de Paula

Agenda Nacional e Liturgia para o Dia do Coração Aquecido

No dia 24 de maio se comemora uma das experiências mais importantes de John Wesley com Deus. Confira as celebrações mais próximas de você.

Destaques Nacionais, por José Geraldo Magalhães

A Reforma Protestante hoje: entre inovação e descarrilhamentos

Livre interpretação das Escrituras, justificação pela fé somente, sacerdócio universal de todos/as os/as crentes. São esses os principais pilares da Reforma Protestante histórica, que redesenharam o todo da fé cristã, cobrindo da doutrina à experiência, do culto à linguagem, do estilo às estéticas, dos significados às práticas. Sobrou alguma coisa? Muito, mas também pouco!