Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

SBT

 São Paulo, terça-feira, 15 de setembro de 2009  

Outro Canal

DANIEL CASTRO - daniel.castro@grupofolha.com.br

SBT vai a Brasília reclamar de invasão evangélica na TV

Diretor de rede do SBT, Guilherme Stoliar foi ontem a Brasília para reclamar ao ministro Hélio Costa, das Comunicações, do avanço das igrejas, principalmente as evangélicas, sobre a programação das TVs.
Stoliar levou ao ministro um levantamento de todas as emissoras compradas ou arrendadas (parcial ou totalmente) por igrejas recentemente. Nos últimos anos, o SBT perdeu afiliadas para a Record, controlada pela Igreja Universal. Neste ano, ficou sem sinal em Cuiabá (MT) porque sua afiliada migrou para a Band após esta ter a sua parceira local arrendada para a mesma igreja que ocupa quase toda a grade da Rede 21 (do grupo Bandeirantes).
O executivo do SBT quer saber do Ministério das Comunicações se é legal ou ilegal o arrendamento de programações, parcial ou totalmente, por igrejas. Há um mês, em almoço com jornalistas, Stoliar afirmou que "vender horário na TV, seja para igreja ou para programa de vendas, é contra a lei", conforme registrou a coluna "Ooops", do UOL.
Stoliar se baseou no decreto 52.795/1963, que disciplina as operações de rádio e TV. O decreto afirma que as programações têm de ter "finalidade educativa e cultural" e que as emissoras não podem vender mais de 25% de seus espaços. Na Record, por exemplo, só a Igreja Universal, em cinco horas diárias, ocupa 21% do espaço.
O Ministério das Comunicações e a Band não comentaram o assunto. A Record afirmou não ter "nada a dizer". A Rede TV!, que também vende horários, disse que não existe "impedimento legal".


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães