Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

Um século de oração

Um século de oração: Igrejas cristãs celebram o Pentecostes de joelhos


"Orai sem cessar" é o tema deste ano


As raízes da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos remontam-se ao começo do século XIX. Orar pela unidade cristã com membros de outras denominações era algo que já vinha sendo feito em diversos lugares durante cerca de um século quando, em 1908, um sacerdote e uma irmã, ambos episcopais (anglicanos), celebraram publicamente o que se chamou na época de Oitava de Oração pela Unidade da Igreja, de 18 a 25 de janeiro, em Graymoor, Garrison, Nova York. Paul Wattson e Lurana White eram co-fundadores de uma pequena comunidade religiosa anglicana de tradição franciscana chama de Irmandade da Reparação (Society of the Atonement).

O tema da Semana de Oração de 2008 (de 4 a 11 de maio, encerrando no Pentecostes) - Orai sem cessar (1 Tessalonicenses 5.17) põe em relevo o fato de que os cristãos e as igrejas não podem deixar de orar pela unidade de todos. As divisões, que são contudo uma realidade entre as igrejas e dentro delas, não correspondem apenas às linhas denominacionais. Frequentemente - ao menos em certa medida - estão enraizadas em identidades étnicas ou nacionais, em questões de raça, categoria social, gênero ou sexualidade, na exclusão de pessoas com deficiências ou das que vivem com HIV.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos não pode dar uma solução a todos esses problemas. Porém, sua celebração anual é uma vitória sobre as divisões porque expressa a unidade que os cristãos e cristãs têm em Cristo.

Por Kersten Storch, pastora luterana alemã, integrante da Comissão de Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas.

VEJA TAMBÉM:

Reflexão: União na diversidade ou na adversidade?

Estudo Bíblico: Um sopro de vida. Um estudo sobre Pentecostes baseado no livro de Ezequiel.

Metodistas em busca de unidade: os trabalhos do GT de Ecumenismo instituído pelo Concílio Geral

 


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Carta aberta à nação da Conexão Wesleyana de Santidade

O Consorcio de Santidade, formado por igrejas e instituições de tradição wesleyana, nesse momento em que nosso país atravessa denúncias de corrupção, turbulências políticas e ameaças às instituições democráticas vem a público expressar solidariedade às famílias dos mais de 530 mil mortos vítimas de COVID-19 e repudiar quaisquer ameaças e/ou tentativas de ruptura democrática.

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães