Publicado por Redação Metodista em Escola Dominical - 14/09/2022

A história da Escola Dominical

a-historia-da-escola-dominial-653-800x568.jpg

CLIQUE AQUI E CONFIRA O MATERIAL COMPLETO PARA A CELEBRAÇÃO DO MÊS DA ESCOLA DOMINICAL.


Você conhece a história da Escola Dominical? Você sabia que a Escola Dominical é uma invenção metodista? E você sabia que muitas mulheres tiveram um importante papel na trejetória da Escola Dominical?

Confira abaixo dois importantes artigos que compartilham a história da Escola Dominical: Escola Dominical: uma invenção metodista, escrito pelo historiador metodista João Wesley Dornellas (1932-2012), e Histórias da história da Escola Dominical, escrito pela pastora metodista Andreia Fernandes.

Compartilhe o conteúdo com seu grupo de estudo e Igreja Local. 



Escola Dominical: uma invenção metodista
Texto do historiador metodista João Wesley Dornellas (1932-2012)

A Escola Dominical, a mais importante agência de aprendizado bíblico e de evangelização da igreja, é uma invenção metodista. João Wesley, o fundador do movimento metodista, quando estava em sua missão na Geórgia, na América, já havia começado um trabalho especial de ensino bíblico para crianças. Mas a glória da criação da Escola Dominical cabe a uma mulher chamada Hanna Ball. Ela aceitou a Cristo através de um sermão de João Wesley no dia 8 de janeiro de 1765, quando tinha 22 anos.

O sermão foi sobre Mateus 15:28: “Disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé. Faça-se contigo como queres”. A partir daquele dia ela se tornou uma grande batalhadora da fé. No ano de 1769 Hanna Ball, uma jovem de 26 anos de idade, criou a primeira escola dominical. O testemunho de João Wesley ao trabalho de Hanna é eloquente. Em muitas de suas cartas ele valoriza o trabalho por ela desenvolvido.

Onze anos mais tarde, em Gloucester, um jornalista metodista, Robert Raikes, criou a primeira escola dominical para os meninos de rua, ensinando-lhes, além da Bíblia, aritmética e inglês. Podemos dizer que ele é o “pai” da educação popular! Equivocadamente tornou-se conhecido como o criador da Escola Dominical, pois só anos mais tarde as pesquisas revelaram a jovem Hanna Baal.

A introdução da escola dominical no Brasil também se deve à Igreja Metodista. A primeira escola dominical em nossa terra foi fundada pelo Rev. Justin Spaulding em junho de 1836. Infelizmente, em 1842, em virtude dos problemas políticos e financeiros surgidos na Igreja Metodista dos Estados Unidos, o trabalho missionário foi interrompido por alguns anos. Na realidade, interrompeu-se a missão (os missionários regressaram aos EUA), não o trabalho, que certamente continuou vivo na casa de Mary Walker (o 1º membro da Igreja Metodista no Brasil!), mantendo acesa no Brasil a chama do metodismo até 1867 quando chegou o novo missionário e pastor, Junius Newman, e com ele a retomada definitiva da missão metodista no Brasil e da Escola Dominical como a principal agência de educação cristã e formação metodista.

Também é pioneirismo metodista a publicação de revistas para a escola dominical. O Rev. Ransom, o fundador do Expositor Cristão, editou, na nona década do século XIX as revistas “A nossa gente pequena”, para crianças, e “A Escola Dominical”, para adultos. Essa maravilhosa instituição é fator importante

na ministração de conhecimentos bíblicos e orientação para o bom exercício da fé cristã. Por isso, é dever de todo o bom metodista participar de suas atividades.

João Wesley Dornellas, historiador Metodista.

Extraído de: http://portal.metodista.br/metodista.br/fateo/noticias/igreja-metodista-celebra-dia-da-escola-dominical#:~:text=A%20Escola%20Dominical%2C%20a%20mais,de%20ensino%20b%C3%ADblico%20para%20crian%C3%A7as


 

Histórias da história da Escola Dominical

“Eu amo muito a Escola Dominical. Ela tem distribuído o bem em abundância”. John Wesley (Diário, 20/4/1788)

O metodismo já nasceu com uma preocupação especial no que diz respeito à educação do ser humano. Não à toa, ele já começou como uma experiência de um grupo de jovens dentro de uma universidade, a Universidade de Oxford. Tal preocupação não se restringia à educação religiosa, mas à educação em geral, como parte fundamental para o desenvolvimento integral do ser humano.

A Escola Dominical na origem do movimento metodista expressa essa intencionalidade. Hanna Ball é um nome fundamental nesta história, pois no movimento wesleyano ela é a responsável pela primeira Escola Dominical da era moderna na Inglaterra, em High Wycombe. A iniciativa da anglicana metodista Hanna Ball (1769) é anterior à experiência de Robert Raikes, o jornalista anglicano (1780) a quem geralmente se credita o mérito de ter feito a primeira Escola Dominical.

Na realidade, Robert Raikes, por ser homem, jornalista, por ter posses, teve a possibilidade de organizar seu movimento de forma mais sólida e dar a ele maior publicidade, mas é da metodista Hanna Ball o pioneirismo na criação desta agência de Educação Cristã. Robert Raikes fez a primeira Escola Dominical de Gloucester, mediante conselho e parceria da jovem Sophie Cooke, natural daquela cidade. Sophie, com 18 anos, começou a fazer parte da Sociedade Metodista e em conversa com Robert Raikes, quando este lhe perguntou a respeito do que fazer com as crianças pobres, sugeriu: “vamos ensiná-los a ler e ler para a igreja” (WARDLE, 1918, p.17 – tradução livre). Sophie, mais tarde, tornou-se esposa de um pastor metodista, Rev.Samuel Bradburn, conhecido como um eloquente pregador.

As iniciativas de Hanna Ball, Sophie Cook e Robert Raikes são expressões do que Wesley nos ensina como obras de misericórdia. Sendo a educação um meio de graça, essas servas e servo de Deus foram usados de forma muito especial para abençoar a vida das crianças pobres da sua época. Olhando para as duas experiências de educação desenvolvias por eles, vemos perspectivas comuns e significativas. Uma delas é o caráter popular da educação, isto é, uma educação

direcionada às crianças pobres que não tinham acesso a ela; outra tem a ver com a educação das meninas. Posteriormente à iniciativa de Hanna Ball, muitas mulheres metodistas abriram escolas para meninas; as escolas dominicais contavam com professoras e professores leigos; a educação bíblica, religiosa era o fundamento destas escolas e, a partir delas se ensinava as crianças a lerem e a escreverem, bem como noções de aritmética.

Saltar da experiência da Escola Dominical na Inglaterra para a experiência com Escola Dominical no Brasil não é algo simples, porque no meio desse percurso existe a experiência do metodismo nos EUA. O que chega a nós é a experiência estadunidense, especialmente a missão que sai do sul dos EUA.

A primeira experiência de Escola Dominical no Brasil é metodista. A primeira incursão metodista se dá em 1836 com Justin Spaulding. Veja o que diz o relatório da época:

“Conseguimos organizar uma escola dominical, denominada Escola Dominical Missionária Sul-Americana, auxiliar da União das Escolas Dominicais da Igreja Metodista Episcopal… Mais de 40 crianças e jovens se tornaram interessados nela (…). Está dividida em oito classes com quatro professores e quatro professoras. Nós nos reunimos às 16:30 aos domingos. Temos duas classes, uma fala inglês, a outra português. Atualmente parecem muito interessados e ansiosos por aprender” (REILY, 1984, P. 81-82).

Essa experiência é finalizada em 1841 quando ele retorna para os EUA, mas o metodismo não vai embora por completo. Nas pesquisas do Professor e Historiador João Wesley Dornellas, encontramos Mary (Martha) Walker, que assume protagonismo entre as poucas pessoas leigas metodistas que permaneceram no Brasil. No seu texto, o professor Dornelas a categoriza como a heroína do metodismo e o elo perdido entre as duas fases da história do Metodismo no Brasil. Afirma ele: “Interrompeu-se a missão, não o trabalho, que certamente continuou vivo na casa de Martha (Mary) Walker”. O metodismo retornaria apenas em 1867 com Junius Estaham Newman, que começa a obra definitiva.

Entre a primeira e a segunda missão metodista chegam os congregacionais Robert e a Sara Kalley, a quem se atribui o pioneirismo da Escola Dominical no Brasil. A primeira Escola Dominical organizada por eles é de 19/08/1855, em Petrópolis/RJ. A Igreja Presbiteriana começa sua Escola Dominical em 1860, com o reverendo Ashbel Green Simonton. Já a primeira Escola Dominical das igrejas Assembleia de Deus é de 1911, em Belém do Pará.

Nas histórias da história da Escola Dominical, em todos os seus movimentos de existência e permanências, é possível perceber a centralidade do ensino e da aprendizagem da Palavra de Deus para a formação integral do ser humano. Uma Escola Dominical eficaz é aquela em que, no processo de ensino e aprendizagem, a Bíblia ilumina a vida e a Vida ilumina a Bíblia, ou seja, a fé ilumina a vida e a vida ilumina a fé. Assim, os ensinamentos que partilhamos nos levam à vida abundante, terna e eterna, pautada no amor a Deus e ao próximo.

Andreia Fernandes, pastora.

 

Bibliografia

REILY, Duncan Alexander. História documental do Protestantismo no Brasil. 3ª Edição. São Paulo: ASTE, 2003.

DORNELLAS, João W. Pequena História do Povo Chamado Metodista. Rio de Janeiro: Federação Metodista de Homens – 1ªRE, Igreja Metodista, 1996. Disponível em http://metodistamaringa.com.br/wp-content/uploads/2016/06/Pequena-Historia-do-Povo-Chamado-Metodista.pdf

ENGLISH, John C. "Dear sister:" John Wesley and the women of early methodism (1994). Disponível em: http://archives.gcah.org/bitstream/handle/10516/6039/MH-1994-October-English.pdf?sequence=1

MORRIS, Thomas E., "By-Products of Methodism" (1921). Historical Society Addresses. Paper 30. Disponível em http://digitalcommons.wofford.edu/histaddresses/30

WARDLE, Addie G. History of the Sunday School Movement in the Methodist Episcopal Church. Tese de doutoramento em Fiolosofia. Universidade de Chicago, 1918. Disponível em https://divinityarchive.com/bitstream/handle/11258/2285/cu31924029469354.pdf?sequence=1

BUYERS, P. Pitts, Spaulding e Kidder: o trabalho missionário Metodista chega ao Brasil em 1835. Disponível em http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaocolunas.asp?Numero=1285

BROISLER, M. A História da Escola Bíblica Dominical. Disponível em https://teologiahistoriavidacrista.wordpress.com/2017/12/13/a-historia-da-escola-biblica-dominical/

Verbete Escola Dominical. A Dicitonary of Methodism in Britain and Ireland. Disponível em https://dmbi.online/index.php?do=app.entry&id=2649

Verbete Hanna Ball (1734-1792). A Dicitonary of Methodism in Britain and Ireland. Disponível em https://dmbi.online/index.php?do=app.entry&id=2649


CLIQUE AQUI E CONFIRA O MATERIAL COMPLETO PARA A CELEBRAÇÃO DO MÊS DA ESCOLA DOMINICAL.


Posts relacionados

Escola Dominical, por Sara de Paula

Live | Anunciar as boas notícias da Graça: os atuais desafios da evangelização

Venha conversar conosco sobre os desafios a evangelização tem enfrentado em tempos de distanciamento social, tristezas e incertezas. O que são as boas notícias da Graça, e como comunicá-las de forma que gerem esperança e salvação? Essas e outras questões serão respondidas no nosso encontro, que acontecerá no dia 24/02, quarta-feira, às 19h30, no canal do YouTube (Educação Cristã Metodista) e no Facebook da Escola Dominical. 

Educação, Liturgia, Departamento Nacional de Trabalho com Crianças, Escola Dominical, por José Geraldo Magalhães

Reflexão: Uma Igreja que se preocupa com as crianças!

Uma igreja que se preocupa com as crianças é uma igreja que se importa com o seu presente e que se preocupa com o seu futuro. As crianças são o futuro da Igreja, sim; mas também são o presente da Igreja. Elas adornam, animam e são parte viva do Corpo de Cristo. O louvor da boca dos pequeninos é maravilhoso! Os testemunhos muitas vezes trazem o pai, a mãe e não raramente toda a família para Jesus e para a Comunidade do Povo de Deus! 

Escola Dominical, Estudos Bíblicos, Discipulado, por José Geraldo Magalhães

Bispo Paulo Lockmann: Características do Líder Cristão

Confira o estudo do bispo metodista, Paulo Lockmann, sobre liderança. "A história da humanidade é melhor conhecida pela história de homens e mulheres que a influenciaram". Continue lendo!